segunda-feira, 29 de junho de 2015

Her Story

Há jogos fora do comum que nos deixam fascinados pela sua originalidade, e este Her Story de Sam Barlow, é exactamente um deles, um autêntico mistério policial para resolvermos, sentados em frente a um computador antigo, onde temos de visualizar centenas de clips de vídeo de uma série de 7 entrevistas realizadas em 1994 pela polícia a uma mulher britânica, sobre o desaparecimento do seu marido.


O jogo arranca e coloca-nos logo em frente ao monitor de um computador velhinho, com um sistema operativo a fazer lembrar um Linux ou Windows 95, onde temos aberto um programa que nos dá acesso a um arquivo de vídeos da polícia, neste caso sobre uma entrevista a uma mulher britânica cujo marido desapareceu em 1994.

Como estamos perante um ambiente de trabalho de um pc, é possível abrir os ficheiros de texto que se encontram no desktop, assim como o lixo (que contém um pequeno jogo e respectivo ficheiro info pirata), uma aplicação de chat e uma aplicação para verificação da base de dados do arquivo.

O software que temos à nossa frente é algo limitado, e para o usar temos de inserir uma palavra chave, que servirá para nos revelar os primeiros 5 vídeos que encontrar no arquivo onde seja usada essa mesma palavra durante a entrevista.


O problema do ano 2000 (Y2K) baralhou por completo o sistema informático, separando as 7 entrevistas em pequenos clips de vídeo, e ao mesmo tempo perdendo-se todas as perguntas da polícia, ficando só as partes onde vemos a mulher a contar a sua história.

Cabe-nos a nós tentar entender o que se passa nesta complicada história, saltando de entrevista em entrevista, para trás e para a frente no tempo, quase aleatoriamente, apanhando mais uma e outra palavra chave aqui e ali, que nos leva a pesquisar e desvendar uma nova série de vídeos que ainda não vimos (quase 300 clips no seu total).

Há um utilitário no ambiente de trabalho chamado "Database Checker", que podemos abrir para ver de uma forma rápida o número de vídeos que já visualizamos (aparecem a verde), e quantos buracos ainda existem na base de dados, que correspondem aos vídeos que ainda falta ver.

Sempre que visualizamos um novo vídeo, temos a possibilidade de adicionar uma legenda personalizada, e de seguida adicioná-lo à nossa lista de vídeos favoritos, para que seja facilmente acessível a qualquer momento, se acharmos que é importante para desvendar o mistério mais à frente. Temos também acesso ao histórico das pesquisas em cima, que nos indica o número de vídeos que há ainda para descobrir relativamente a uma palavra específica.


Todos os vídeos da entrevista vêm legendados em inglês, mas é também importante estarmos atentos à mulher no vídeo, porque como qualquer detective bem sabe, a linguagem corporal pode revelar muita coisa sobre uma pessoa, ou caso (que o diga Sherlock Holmes).

O jogo vale pela sua história, e depressa ficamos agarrados a tentar descobrir o que se passou na noite em que desapareceu o marido da senhora, porque arrancamos logo com um vídeo da mulher a pedir para chamar um advogado, isto já no último dia de entrevistas, o que nos deixa com a pulga atrás da orelha.

A actriz Viva Seifert faz aqui um excelente trabalho, o que aliado a uma grande história, nos transporta para aquele pequeno gabinete, onde acreditamos estar mesmo em frente a um antigo monitor CRT, a ouvir o barulho de pisca pisca das lâmpadas fluorescentes no tecto, o click click das teclas quando estamos a inserir novas palavras para pesquisar, e que aqueles vídeos são de facto cópias digitais das entrevistas em VHS de um arquivo antigo da polícia.

Não me vou adiantar muito sobre a história, porque a piada é mesmo ir descobrindo aos poucos toda a trama, e resolver este puzzle de histórias dispersas. Deixo apenas a dica de que sempre que estivermos perto de resolvermos todo o mistério, somos brindados com uma pequena alteração na música, ou ouvimos um carro da polícia a passar na rua, etc, momento em que aparecerá alguém no chat a perguntar como está a correr a nossa "investigação".

O jogo é bem diferente de tudo aquilo que já se viu em iOS, e também é possível jogá-lo num iPad, que ganha outra dimensão por causa do seu ecrã maior. Pelo preço de 4,99€ recomendo-o vivamente, porque é uma experiência como nenhuma outra. Fica apenas o aviso que o jogo pesa bastante com os seus 1.76 GB, e que puxa bem pelo processador e bateria do iPhone, ao visualizarmos tantos vídeos de seguida.


Her Story na App Store (Brasil)

Her Story na App Store (Portugal)

Tamanho: 1.76 GB



Sem comentários :

Enviar um comentário