segunda-feira, 27 de março de 2017

Cube Escape: The Cave

Com o jogo Rusty Lake Hotel começou uma série de jogos espectaculares, que acabou por evoluir para os gratuitos Cube Escape, onde temos muitos mistérios point-and-click para resolver. O jogo Cube Escape: The Cave da LoyaltyGame B.V., é o último jogo gratuito a ser lançado na App Store, e é obrigatório para quem gosta de resolver puzzles e mistérios.


O jogo arranca com um velho a entrar numa caverna misteriosa, que nos vai levar às profundezas do Rusty Lake, sendo este o nono episódio desta grande série de jogos baseados no primeiro jogo Rusty Lake Hotel.

Para fazer jus ao seu nome, neste jogo é como se nos encontrassemos dentro de um cubo, podendo rodar para os lados para qualquer uma das suas faces, onde em cada um dos lados temos alguns puzzles para resolver, para ir avançando na história, e passar assim para outra área do jogo (ou cubo).


Não há cá tutoriais para nos ajudar, por isso há mesmo que interagir com os objectos que vemos no ecrã para perceber o que fazem, e quais as consequências de activar determinado interruptor, que pode ser noutro quadro completamente diferente, obrigando-nos a navegar entre os quatro lados do cubo à procura de pistas e soluções.

Pode-se dizer que este jogo está divido em 3 fases distintas, primeiro na caverna, e depois avançando para um local que eu considero espectacular e o puzzle mais porreiro deste jogo, obrigando-nos a pensar "fora do cubo", e com uma mecânica fantástica ao nível dos quebra cabeças a resolver.


Recomendo vivamente qualquer jogo que tenha vindo a seguir ao Rusty Lake Hotel, mas especialmente esta série de jogos Cube Escape, que já são nove, e todos eles gratuitos na App Store. Se quisermos obter alguma dica, é-nos pedido para visualizar um vídeo com publicidade a uma app ou jogo, e é só isso que temos de fazer.

Se por acaso se virem à rasca para resolver algum puzzle, e não conseguirem avançar no jogo (mesmo usando as dicas do ponto de interrogação), basta passar pelo menu do jogo, que se pode encontrar lá um link para um guia da resolução do jogo (que eu não recomendo, de todo, como é óbvio).

Podem ver aqui em baixo um vídeo que nos mostra algumas cenas do jogo, para abrir o apetite, e se nunca experimentaram nenhum destes jogos point-and-click, então é favor de passar pela App Store, que são pelo menos 9 jogos gratuitos com mistérios para resolver, e depois se quiserem, investir nos originais Rusty Lake Hotel e Rusty Lake: Roots, que foram aqueles que começaram tudo isto e valem bem a pena.


Cube Escape: The Cave na App Store

Tamanho: 96.3 MB



sexta-feira, 24 de março de 2017

Cosmic Express

Desenhar linhas de comboio no espaço para levar passageiros alienígenas até ao seu destino é a proposta deste Cosmic Express da Draknek Limited, um jogo indie aclamado nos vários festivais por onde passou, que aterrou a semana passada na App Store.


O objectivo deste simpático e belíssimo quebra cabeças é levar o comboio espacial do ponto A ao ponto B, e pelo caminho transportar os alienígenas para as suas casas. Cada alienígena tem a sua cor (um é laranja, outro roxo, outro verde, etc), e devem ser transportados para a casa da mesma cor que se encontra algures no terreno.


Regra geral, o caminho mais curto não é a solução, de todo. Depressa percebemos que temos de fazer um zigue-zague doido com as linhas de comboio, para chegar a todos os alienígenas e suas respectivas casas, e conseguir chegar ao túnel de saída, que nos leva para os próximos níveis.


O problema é que não podemos passar por cima da linha, por isso teremos que pensar muito bem no caminho a desenhar com o dedo, para chegar à solução do nível em questão. Os níveis estão distribuídos por constelações, e cada constelação introduz uma mecânica diferente. Nas primeiras apenas temos que nos preocupar com as cores dos aliens, e com um único lugar no comboio, mas num instante passamos a ter mais lugares no comboio, linhas que podem ser atravessadas, mais obstáculos, alienígenas verdes pegajosos que sujam o comboio (fazendo com que outros não queiram viajar a seguir a estes), portais de teletransporte, etc, etc.


A progressão no jogo vai-se fazendo a um bom ritmo, e as novas mecânicas são introduzidas devagarinho, como deve ser. Mas se por acaso ficarmos empatados em algum nível, há a possibilidade de desbloquear todos os níveis de uma vez (passando pelas definições), e assim ficaremos livres para saltitar de nível em nível à vontade, dentro de cada constelação.


São ao todo mais de uma centena de puzzles para resolver, e acreditem que alguns são bastante desafiantes. Como não há tempo limite, podemos explorar à vontade, desenhando e apagando linhas, ou mesmo começando de novo tocando no botão de UNDO, até chegarmos à solução final.

Alguns níveis têm mais que uma saída, o que nos obriga a jogá-los de novo, encontrando uma solução diferente desta segunda vez que o jogarmos. Os gráficos estão muito bem conseguidos, estando os aliens e objectos completamente animados, e para além de uma banda sonora de fundo, todos os aliens fazem os seus próprios ruídos, assim como o comboio, o que dá bastante vida ao jogo. Podem ver aqui em baixo a trailer do jogo, e se forem fãs de quebra cabeças como eu, vão adorar com toda a certeza este Cosmic Express.


Cosmic Express na App Store

Tamanho: 213 MB



quinta-feira, 23 de março de 2017

Pipe It

Eu sou um grande fã de jogos estilo Pipe Mania, como por exemplo o jogo Noodles! ou Aqueduct que já passaram aqui pelo Apps do iPhone. Mas há sempre lugar para inovar, e é esse o caso de Pipe It de ANDREY NOVIKOV, um jogo que podemos encontrar gratuito na App Store, criado por Alexey Pajitnov, o inventor do Tetris.



Este grande senhor, Alexey Pajitnov, que nos trouxe o Tetris, um jogo que continua bem vivo e nas mãos de milhões de pessoas hoje em dia (ainda há pouco tempo falamos aqui do Block Vs Block), continua a criar belíssimos jogos de puzzles, alguns estilo Tetris, outros estilo o Pipe Mania, como é este o caso de Pipe It.

Aqui temos uma grelha com uns quadrados vazios, que devem ser preenchidos com as peças que temos disponíveis em baixo. A ideia é conectar todos os tubos da mesma cor, e não deixar nenhum tubo por conectar.

Com o dedo podemos arrastá-los livremente para a esquerda e direita para encontrar aquele que queremos jogar na área de jogo em cima. No início é tudo muito simples, tendo apenas uma cor, sendo todos os puzzles bem fáceis de resolver, o que é ideal para aprender a mecânica do jogo.

Mas de seguida começamos a ter mais cores presentes no ecrã, com tubos a sobreporem-se uns aos outros, e de níveis que ultrapassamos em poucos segundos, começamos a perder uns bons minutos a tentar perceber como tudo encaixa para chegar à solução final.

Temos aqui 4 packs com 600 puzzles no total, mais um pack dourado especial, criado exclusivamente por Alexey Pajitnov. Para desbloquear os packs, temos de resolver todos os puzzles do pack anterior, e assim sucessivamente.

Podemos contar com ajudas, tocando no botão de interrogação em cima, se acharmos que ficamos completamente bloqueados. Quando chegarmos a um nível onde temos 7 cores diferentes para os tubos a jogar na grelha, então poderemos dizer com à vontade, que temos um cérebro muito bem exercitado, sendo essa a mais valia destes jogos.


Pipe It na App Store

Tamanho: 41.2 MB

quarta-feira, 22 de março de 2017

Dead Ahead: Zombie Warfare

Para jogos de defesa do castelo com zombies não há nada como o clássico Plants Vs Zombies, mas quando podemos atacar ao mesmo tempo que defendemos, então aí a estratégia é outra. E é mesmo isto que podemos experenciar no recém chegado Dead Ahead: Zombie Warfare da Mobirate Studio Ltd, um jogo de zombies que podemos encontrar grátis na App Store.



Primeiro há que dizer que o aspecto gráfico deste jogo é uma delícia para os olhos, com os nossos heróis e zombies com um look anime pixelizado, assim como todas as animações que acontecem à nossa frente durante as cenas de acção e os cenários em geral, tudo muito bem conseguido.

Este jogo é a continuação de Dead Ahead, que infelizmente  já não se encontra disponível na App Store, mas que continua com a uma legião incrível de fãs, que ficaram muito contentes com a chegada deste Dead Ahead: Zombie Warfare à App Store. Neste jogo à lá Walking Dead, andamos a viajar de autocarro de zona em zona, encontrando barreiras na estrada, as quais temos de destruir, ao mesmo tempo mantendo os zombies que nos atacam bem longe do autocarro e dos nossos heróis.

Este é um jogo de castle attack, pois podemos usar a energia que vamos ganhando com o tempo, para mandar homens para o terreno para que vão combater os zombies e destruir as barreiras na estrada que impedem a passagem do autocarro. Quando os zombies conseguem ultrapassar os nossos tropas, começarão a atacar o autocarro que tem como única defesa o condutor, que se encontra no tejadilho a disparar a sua caçadeira (por vezes uma metralhadora bem potente e rápida).

À medida que vamos evoluíndo e atravessando cada vez mais zonas do jogo, poderemos melhorar os nossos homens, e até adquirir novos heróis, como por exemplo de um simples homem do campo com uma pá na mão, passamos a poder pôr no terreno um homem armado com uma caçadeira que dispara à distância, um trabalhador com colete à prova de bala, e até lançar barris para cima dos zombies.

Os zombies também vão variando, ficando cada vez mais fortes, e com diferentes capacidades, alguns correndo, outros nascendo do chão como esqueletos do cemitério, etc. Para ter em conta ao nível de estratégia, há que contar com os homens que perdemos no terreno, que como é bem sabido de série como Walking Dead, depois de mortos, transformam-se também eles em zombies, e virão atacar-nos, duplicando o ataque do inimigo.

O jogo conta com um sistema de energia que se vai renovando com o tempo, que são bidões de combustível para que o autocarro possa viajar para novas zonas. Mas para aqueles que não gostam de aguardar basta tocar nos homenzinhos que nos sugerem vídeos publicitários para visualizar, que nos darão mais moedas, e mais combustível para continuar a jogar.

Este jogo chega-nos pelas mãos dos criadores do fantástico Space Expedition: Classic Adventure, um jogo gratuito que eu adorei jogar. Portanto não é de admirar que este Dead Ahead: Zombie Warfare seja mais um espectacular jogo que ficará por bastante tempo no meu iPhone, especialmente tendo em conta para a quantidade de conteúdos incluídos. Vejam aqui em baixo a trailer do jogo e instalem-no no vosso iPhone que não se irão arrepender.


Dead Ahead: Zombie Warfare na App Store

Tamanho: 138 MB



terça-feira, 21 de março de 2017

The Trail

Já me andava a questionar há algum tempo do que seria feito de Peter Molyneux? Depois do seu Godus, que para mim continua a ser um grande jogo, vim a descobrir na App Store que há outro jogo vindo da sua mão. Trata-se do jogo The Trail da Kongregate, e podemos encontrá-lo gratuito na App Store.



Como pioneiros acabados de chegar de barco a uma nova terra desconhecida, teremos de caminhar e explorar estas novas terras, encontrar materiais e todo o tipo de recursos para nos alimentar, produzir roupas, construir ferramentas e armas, para conseguir sobreviver neste novo lugar inóspito.

O objectivo inicial é de caminhar até à cidade de Eden Falls, e pelo caminho meter na mochila todas comidas que encontrarmos, assim como ramos das árvores, pedras, conchas, peles de animais, etc, tudo coisas importantes para nos alimentar e construir novas ferramentas.

Nos primeiros quilómetros somos acompanhados por uma guia que nos vai dizendo aquilo que temos de fazer, e nos explica como andar ou correr, e onde está a nossa energia, e a importância de ter roupa e ainda mais de ter um chapéu na cabeça (afinal de contas somos exploradores e o sol na moleirinha é algo a evitar).

A nossa caminhada é interrompida de x em x quilómetros pela paragem numa fogueira, um ponto de paragem de descanso para repôr energias, e onde podemos negociar items com outros viajantes. É também aí que podemos pegar nos objectos que fomos coleccionando para fabricar coisas novas.

Para além das paisagens lindíssimas que podemos observar livremente na nossa caminhada, podemos ver as estações a mudar (assim como todo o ambiente à nossa volta), e entrar em vários mini-jogos, como por exemplo cortar lenha das árvores (quando já tivermos construído um machado de pedra), ou mesmo caçar coelhos com uma fisga.

A partir de certa altura na nossa viagem lá conseguiremos finalmente chegar a uma cidade, onde poderemos juntarmo-nos a outros 19 jogadores e tornarmo-nos habitantes definitivos dessa cidade, cada um com a sua casa, onde podemos guardar os objectos que temos a mais na mochila (a mochila não é infinita, e depressa começamos a ter de escolher muito bem que items manter lá dentro), e evoluir a cidade em conjunto.

Mas a viagem não se fica por aqui, pois podemos continuar a explorar os caminhos destas novas terras, sabendo que a qualquer momento podemos voltar à nossa casa, para guardar mais coisas, ou gastar ouro a construir novos edifícios na cidade, escolher uma profissão, etc. Há mesmo muito para fazer neste jogo, mas há que ultrapassar os primeiros minutos de jogo para perceber tudo aquilo que tem para nos oferecer, como se pode ver aqui em baixo neste vídeo.


The Trail na App Store

Tamanho: 526 MB



segunda-feira, 20 de março de 2017

Shardlight

Os fãs de aventuras point-and-click têm muita sorte com a plataforma que escolheram porque o iPhone e iPad estão carregados de excelentes aventuras para jogar. A Wadjet Eye Games não é nenhuma estranha ao género, pois está constantemente a lançar títulos de grande qualidade, e este Shardlight é o seu mais recente jogo point-and-click futurista a chegar ao iPhone e iPad.


Há sempre um risco de uma guerra mundial, e pelo que se pode ver nos tempos que correm por esse mundo fora, a realidade está bem mais próxima da ficção. Em Shardlight, as bombas caíram, e a civilização deixou de ser o que era. Cidades destruídas, doenças e morte espalharam-se pelo mundo, e uma nova ordem mundial tomou conta das vidas das pessoas.


Amy Wellard é a personagem que nos vai acompanhar nesta aventura, também ela doente, e a precisar urgentemente de uma vacina, que está sob o controlo da Aristrocracia. Ela, como outros, vai fazendo pequenos trabalhos aqui e ali, na esperança de ganhar um bilhete de lotaria, que lhe pode dar acesso a uma vacina.

Mas depressa se vê envolvida entre a Aristocracia (o poder estabelecido) e a resistência, que quer deitar abaixo o poder que oprime o povo. Com muitas tarefas para fazer, tanto a mando da Aristocracia como da resistência, teremos que resolver os problemas de muitos personagens desta história, e ao mesmo tempo descobrir o mistério do seu passado, assim como toda a trama e jogos de poder que a rodeiam.


Um jogo com um aspecto gráfico pixelizado excelente, cenários lindíssimos, acompanhados de uma banda sonora fantástica, e um trabalho de vozes de actores soberbo. Como aventura clássica point-and-click que é, temos acesso aos diálogos em forma de texto sobreposto no ecrã, mas ouvir as vozes de grande qualidade presentes no jogo, revela o trabalho incrível que temos aqui, e transporta-nos para um autêntico filme de ficção.

Como qualquer aventura point-and-click, há que tocar no ecrã para que a nossa personagem se mova para esse local, tocar nos objectos para ver uma descrição sobre o mesmos, ou para interagir com eles (manter o dedo pousado no ecrã revela de imediato quais os objectos que são interactivos e mais relevantes para a continuação da história). Em cima temos acesso a um inventário, onde podemos agarrar nos objectos e largá-los em cima de outros objectos ou pessoas, para mais interacções.


Com puzzles excelentes para resolver, e com as dicas do costume apenas a surgirem se falarmos com todas as pessoas (ou as pessoas certas), temos aqui um mistério para resolver que pode demorar umas largas horas, por isso ponham o cinto de segurança que a viagem pode ser longa (se não forem procurar um guia walkthrough na net, claro).

Para os apreciadores de fãs de aventuras point-and-click não há que enganar, esta está muito bem avaliada pelas publicações de jogos online, e pelos jogadores em geral. Não é das aventuras mais fáceis, pois não nos leva pela mão na resolução dos puzzles, mas também não é muito difícil. A história é futurista e acaba por ser bastante misteriosa, o que nos deixa agarrados até ao final. Vejam aqui em baixo a trailer do jogo, e boa sorte na resolução desta trama.


Shardlight na App Store

Tamanho: 1.12 GB