sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Bertram Fiddle: Episode 1: A Dreadly Business

Há por aqui fãs de aventuras point-and-click? Se a resposta for negativa podemos cortar já relações. Especialmente quando temos promoções espectaculares que nos põem nas mãos jogos como o belíssimo Bertram Fiddle: Episode 1: A Dreadly Business da Rumpus Animation, que podemos encontrar hoje grátis na App Store.


Um jogo com um humor muito peculiar passado em Londres em plena época Vitoriana, acompanhamos as aventuras de um detective, um explorador e aventureiro chamado Bertram Fiddle, e o seu fiel companheiro Watson em versão ciclope, onde teremos de descortinar um mistério, quem é o assassino em série Geoff the Murderer.

Estamos perante um clássico jogo point-and-click, o primeiro episódio, pois já há um segundo também disponível na App Store, mas com alguma acção à mistura, pois existem algumas sequências em que temos de jogar uma espécie de mini jogos, como o que se pode ver na imagem em cima, em que temos Bertram a correr atrás de um estranho personagem, e onde temos de nos desviar das pessoas e obstáculos que aparecem à nossa frente.


O trabalho de vozes é impecável, a banda sonora lindíssima e adequada à época que é retratada no jogo, e o humor nos diálogos é uma constante, e está muito bem apanhado. Os criadores do jogo atrevem-se mesmo a compará-lo ao humor presente no clássico The Secret of Monkey Island, o que é dizer bastante.

A verdade é que este jogo foi fruto de uma campanha de sucesso no Kickstarter, e o jogo também ele gozou de grande sucesso e bem aclamado pela crítica. Com uma mecânica bem interessante em que temos de pôr o nosso amigo a resolver alguns dos problemas por nós, e com o qual podemos contar para nos dar dicas de como prosseguir em alguma situação, temos aqui um jogo fantástico point-and-click, e pelo preço a que está hoje na App Store, não podíamos desejar melhor do que isto.


Bertram Fiddle: Episode 1: A Dreadly Business na App Store

Tamanho: 1.35 GB



quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Beat Street

Por altura dos anos 90 perdíamos umas boas horas nas máquinas a jogar Double Dragon, Final Fight, ou Cadillac Dinosaurs, sendo preciso uma boa dose de memória para decorar todos os botões e movimentos possíveis. Agora num telemóvel isso não faz sentido, e é aqui que entra o delirante Beat Street da Lucky Kat Studios, um Beat 'Em Up gratuito que nos transporta facilmente para os tempos em que era fascinante jogar estes jogos de porrada neles.


Em vez de tocar duas vezes no joystick para correr, e depois tocar no joystick para cima para saltar, e depois tocar no botão do golpe especial, agora podemos simplesmente fazer tudo com um único dedo no ecrã, e é neste aspecto que este jogo brilha.

Beat Street pode ser jogado com apenas um dedo, e podemos mesmo assim executar todo o tipo de golpes mirabolantes, graças a um sistema muito bem pensado para um Beat 'Em Up a correr num telemóvel.

Este jogo é uma autêntica homenagem a jogos como Final Fight, ou Street Fighter, percebendo-se facilmente a sua inspiração em personagens bem conhecidos desses jogos e até de outros heróis da banda desenhada (alguns personagens parecem retirados do Street Fighter, Tartarugas Ninja, e até mesmo do Dragon Ball Z).

Toko City está carregada de gangs que aterrorizam constantemente a cidade, e cabe-nos a nós colocar toda a gente na ordem. Com muita porrada está claro, que é coisa que não falta aqui neste jogo, e basta mover o dedo pelo ecrã para o fazer.

Com o dedo no ecrã movemos o nosso herói, e basta ir tocando no ecrã para este começar a dar porrada em quem estiver perto de si. Simples não? Mas há mais, pois à medida que vamos completando as primeiras missões vão-nos sendo introduzidos novos golpes e movimentos que podemos efectuar com o dedo.

Deslizar rapidamente para um lado começamos a correr, e tocar no ecrã de seguida faz com que o herói execute um ataque em pleno voo. Ficar com o dedo no ecrã após um toque e depois largar faz com que executemos um poderoso ataque. Deslizar para cima outro ataque potente, e por aí fora. Parece complicado, mas não é. Há é que ter noção que os golpes mais potentes usam os poderes da barra de combo, que vai crescendo quanta mais porrada distribuírmos pelo pessoal.

O que está interessante neste jogo é que vamos desbloqueando novos lutadores, que podemos levar connosco, e assim sempre que ficarmos sem energia, podemos continuar com o outro lutador, a ver se temos mais sorte. Caso contrário, perdemos e temos de voltar ao início do nível.

Há melhorias para fazer aos nossos lutadores, há cartinhas para ganhar que são necessárias para aumentar os seus níveis e capacidades, e há um sistema de energia que se vai renovando automaticamente, e que nos impede de jogar seguido durante muito tempo. Por um lado é uma coisa boa porque passar muito tempo a debitar porrada no ecrã é cansativo, e não há nada como ir jogar um pouco de Threes! ou ir dar uma caminhada antes de voltarmos à acção novamente, o que vale bem a pena que o jogo tem mesmo grande qualidade.

É de notar que o jogo conta ainda com um modo co-op que nos permite ir combater para as ruas com outro jogador online lado a lado. Isto sim, é mesmo um piscar de olhos aos jogos Beat 'Em Up das máquinas, porque não havia nada mais divertido do que agarrar num amigo e enfrentar os gangs a dois. Vejam aqui em baixo o vídeo de apresentação do jogo, e não percam este belíssimo título se são apreciadores do género, especialmente porque é completamente grátis.


Beat Street na App Store

Tamanho: 210 MB



quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Dead Rain : New Zombie Virus

A moda dos zombies ainda não passou, especialmente quando continuam a aparecer jogos bem interessantes na App Store. É este o caso de Dead Rain : New Zombie Virus de JungWoo Park, um jogo com muita acção e um visual fantástico que se estreou há umas semanas atrás e ficou hoje grátis.


Este jogo tem uma história, não que interesse muito mas aqui vai. Os humanos foram contaminados por um vírus que os transforma em zombies com árvores a nascer no interior dos seus corpos. A chuva está contaminada e faz com que cresçam ainda mais ramos por baixo da pele. No meio desta confusão toda temos de encontrar a filha do herói que está desaparecida (se calhar já virou uma oliveira ou castanheiro, quem sabe?).

O que importa é a acção e o ambiente criado pelo jogo, que com o seu visual peculiar, se torna imediatamente num jogo bem agradável de jogar. Estamos perante um jogo de plataformas / runner, onde temos o nosso herói a correr para a esquerda ou direita (de forma livre), onde terá que enfrentar zombies árvore que vão aparecendo por todo o lado.


Os controlos são simples e eficazes, com um pequeno slider do lado esquerdo para movermos o nosso herói para a esquerda ou direita (funciona bem, não se assustem com o aspecto básico do botão), e botões do lado direito para usar o martelo gigante (a nossa primeira arma), ou a caçadeira, pistola, metralhadora, etc. Há também um botão para saltar, que também nos ajuda a trepar paredes entre outras coisas.

O martelo também serve para rebentar paredes, abrir portas, rebentar com armários e caixotes, empurrar objectos, etc. E há alguns elementos de puzzle nestas plataformas, pois teremos que empurrar certos objectos para atingir certas zonas por exemplo. A estratégia também faz parte, pois por vezes temos que saltar por cima de algum obstáculo, e como os zombies são mais lentos a passar pelo mesmo, podemos usá-lo como escudo temporário para destruir os homem árvore sedentos de sangue.


Cada capítulo pode ser jogado em diferentes níveis de dificuldade, onde podemos encontrar mais zombies, e zombies bem mais fortes que não caiem com apenas uma bala ou martelada. E convém mesmo repetir estes capítulos para obter mais moedas e estrelas, que podem ser usadas para adquirir mais armas e fazer todo o tipo de melhorias.

Há que explorar bem o jogo, pois há muita coisa que vai evoluíndo à medida que vamos avançando pelos capítulos. Como se pode ver pelo trailer há momentos bem loucos e stressantes para ultrapassar, como estar enfiado numa jaula rodeado por zombies, enquanto tentamos desesperadamente rebentar o chão com o martelo para fugir para o piso inferior. Vejam aqui em baixo o vídeo de apresentação do jogo, e não percam esta grande oportunidade, pois até hoje o jogo era a pagar.


Dead Rain : New Zombie Virus na App Store

Tamanho: 177 MB



terça-feira, 21 de novembro de 2017

Animal Crossing: Pocket Camp

E cá temos mais um jogo da Nintendo a chegar aos nossos iPhones, depois de Super Mario Run, temos agora o famoso Animal Crossing: Pocket Camp que está a partir de hoje disponível completamente grátis na App Store, um jogo onde podemos criar o nosso próprio acampamento, fazer amigos, coleccionar todo o tipo de coisas, etc.


Prontinhos para umas merecidas férias, eis que chegamos ao local onde vamos acampar por uns dias, e recebemos de imediato a notícia que iremos ser o gerente do acampamento. Lá se vai o tão desejado descanso não é? Mas as tarefas que temos pela frente são muito positivas, pois iremos fazer muitos amigos, que é o mais importante neste mundo dos animais.

No início começamos por conversar com alguns dos animais que estão no acampamento, e a partir daí podemos fazer amizade com eles, visitar o seu próprio acampamento, convidá-los a visitarem o nosso, e fazer pequenas tarefas que nos pedem, em troca de alguns items que podem ser úteis para fabricar algumas mobílias e outros objectos.

Cada animal tem a sua preferência no que toca a gostos, e como tal teremos que ir colocando certas peças de mobília no nosso acampamento para que estes nos venham visitar. Para mandar construir a mobília teremos que obter coisas como madeira, lã, metal, etc, que nos são entregues pelos amigos sempre que lhes entregamos coisas como fruta, peixe, insectos, etc.

As tarefas que temos de fazer são mesmo essas, ir até à praia pescar algum peixe, apanhar conchas e côcos, passar pelo rio e pescar outros tipos de peixe, enveredar pela floresta para apanhar insectos nas árvores, e ao mesmo tempo ir até às árvores de fruto e abaná-las para apanhar a fruta que cai no chão. Os animais pedem-nos estas coisas, e em troca dão-nos items importantes para a construção das coisas que precisamos.

O jogo vai renovando as tarefas que os nossos amigos têm para nós, e à medida que a amizade vai crescendo, também os seus pedidos vão ficando mais refinados, assim como as coisas que podemos mandar construir. Mobilar o nosso acampamento ao nosso gosto é uma das coisas que podemos fazer com gosto neste jogo, e depois podemos andar a visitar os acampamentos dos nossos amigos (reais ou outros) para ver como é que eles organizaram o espaço deles.

Com vários locais diferentes para visitar, incluíndo a zona dos 3 corvos pretos que são uma espécie de mecânicos, que estão ao nosso dispôr para melhorar a nossa caravana, pintando-a, aumentando o seu espaço e mobília interior (por um preço, claro), etc, há aqui muita coisa para fazer, e muito tempo a perder durante dias e dias.

É possível gastar dinheiro real com o jogo, mas a julgar pelas críticas de quem tem vindo a jogar o jogo já há algumas semanas na Austrália (onde foi lançado previamente), este é um daqueles jogos onde não é mesmo necessário gastar qualquer dinheiro, pois tudo se pode conseguir com algum tempo investido no jogo. Vejam aqui em baixo o vídeo de apresentação desta belíssima versão do Animal Crossing para telemóveis, e divirtam-se a competir com os vossos amigos pelo melhor acampamento.

Nota: De momento está o mundo inteiro a tentar ligar-se aos servidores da Nintendo e podem aparecer por vezes erros de conexão. É tentar novamente carregando no botão respectivo, ou então jogar mais tarde quando tudo estiver mais calmo.


Animal Crossing: Pocket Camp na App Store

Tamanho: 106 MB



segunda-feira, 20 de novembro de 2017

MRRMRR - Faceapp Face Filters

Se já têm um amigo com o novo iPhone X a mandar-vos animojis, ou se têm os míudos lá em casa a chatear que querem experimentar estes divertidos emojis animados, então é só instalar esta MRRMRR - Faceapp Face Filters da I Love IceCream Ltd., uma app gratuita que imita estes famosos efeitos.


A app já é bem conhecida e anda pela App Store desde o ano de 2016. É concorrente dos efeitos de rosto conhecidos de outras apps como Snapchat, Instagram, MSQRD e mesmo Facebook Messenger, onde podemos ver a nossa cara transformada, ou cheia de adereços, ou mesmo a trocar de cara com um amigo, etc.

Mas na sua última actualização, foi introduzida na barra em baixo uma secção de emojis, onde podemos encontrar as caras conhecidas dos animoji do iPhone X. Só falta o macaco, raposa e coelho, mas de resto lá estão a maior parte dos animais, aliens, e cocó, prontos para fazermos os nossos vídeos divertidos e enviar por iMessage, mail, ou partilhar nas redes sociais.


Como a app está disponível na barra de baixo na app das mensagens do iPhone, basta tocar no seu nome "MRRMRR" para abrir de imediato a sua versão minimizada onde podemos escolher estes emojis animados, fazer um vídeo rápido (que não está limitado aos 10 segundos do iPhone X), e enviar por iMessage para qualquer contacto.

Claro que também podem usar esta app para enganarem alguém e levá-los a pensarem que vocês já têm o novo iPhone X, mas de resto, aproveitem para explorar os filtros e efeitos fantásticos de rotos que esta app tem no seu interior, que há aqui caras bem malucas que não estão presentes nas apps da concorrência.


MRRMRR - Faceapp Face Filters na App Store

Tamanho: 119 MB

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Faraway 2: Jungle Escape

Lembram-se do jogo Faraway: Puzzle Escape, do qual falei aqui há uns meses? Pois bem, a Snapbreak Games trouxe-nos hoje o também gratuito Faraway 2: Jungle Escape, que deixa para trás as paisagens do deserto e nos leva para as misteriosas paisagens da floresta profunda, onde muitos puzzles nos esperam para ser resolvidos.


Não consigo deixar de jogar estes jogos estilo Room Escape, e com títulos belíssimos das consolas como The Witness, a fasquia ficou bem alta para todos os outros que apareçam na App Store. No entanto estes Faraway têm muita pinta, com os seus puzzles simpáticos e banda sonora relaxante, e com 9 cenários grátis para experimentar o jogo, parece-me um fantástico negócio.

O primeiro jogo, Faraway: Puzzle Escape foi jogado por mais 1 milhão de pessoas, o que revela um grande sucesso, e tendo em conta que estamos a falar de resolver quebra cabeças, é muito positivo, e o cérebro agradece a ginástica mental extra.

Neste segundo jogo continuamos à procura do nosso pai, onde vamos encontrando as habituais notas que este foi deixando para trás, onde vai contando a aventura que viveu, e dando-nos algumas pistas do que aí vem para a frente.

Temos 18 templos para explorar, e cenários 3D bonitos na selva carregados de pistas e dispositivos para manipular, vários quebra cabeças que temos de resolver para ultrapassar os labirintos e chegar ao portal final de cada cenário.

Agora temos disponível uma muito prática câmara fotográfica, que nos permite tirar fotos às pistas, para que sirvam de memória futura quando estivermos em frente ao dispositivo onde queremos usar essa mesma pista.

O jogo é bastante intuitivo, e com cenários bem simples de serem resolvidos, pelo que podemos até jogá-lo com uma criança ao nosso lado. Como é óbvio alguns cenários têm puzzles bem mais complexos de serem resolvidos, mas nada que não seja ultrapassado com muita atenção e observação.

Seja como for, está disponível um sistema de dicas, que podem ser activadas visualizando um vídeo com publicidade. Se conseguirem concluir os 9 cenários gratuitos iniciais, e acharem que o jogo vale a pena, é só investir numa compra in-app para desbloquear o resto do jogo, e já está.


Faraway 2 na App Store

Tamanho: 301 MB