segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

DEAD 2048

Foi com o original Threes! que começou esta aventura de combinar peças para obter um número cada vez maior, que acabou por explodir mais tarde com uma imensidão de jogos 2048. Como já foi provado com The Human Age, ainda é possível inventar algo novo inspirado nesta fórmula, e agora com o gratuito DEAD 2048 da Cogoo Inc., temos ainda mais, um jogo que mistura 2048 com o género Tower Defense, e de uma maneira brilhante.


O mundo como o conhecemos já era, e uma infecção transformou a maior parte dos humanos em zombies. Posto isto de lado, que é a história de todos os jogos que metem zombies ao barulho, há que ajudar os últimos humanos a resistir aos ataques dos infectados, e quem sabe até encontrar uma cura para a infecção e salvar o planeta?

Este jogo Indie está muito bem concebido, agarrando na mecânica de jogo do 2048, e ultrapassando-a com um jogo que é também um jogo de Tower Defense, pois há zombies a caminhar para nos destruir, e temos que acabar com eles, antes que eles acabem connosco.

Num terreno bem pequeno, com uma grelha de 4 por 4, começamos por construir as primeiras casas com habitantes para defender o caminho por onde vêm os zombies. Combinar 2 casas iguais faz com que estas passem para um próximo nível, transformando-se numa nova estrutura mais potente, eventualmente passando para torres de defesa bem eficazes a eliminar zombies.

Para combinar estruturas, apenas temos que deslizar com o dedo na diagonal, fazendo com que todas as estruturas se desloquem no ecrã na direcção pretendida. Esta é a parte que é bem idêntica a jogos como 2048 ou Threes!. Mas depois temos o caminho em volta do nosso terreno, por onde vêm os zombies, e há que ter estruturas de defesa encostadas à cerca, para que os humanos disparem sobre os monstros.

Isto complica a nossa tarefa de combinar estruturas para obter maiores e melhores torres de defesa, pois podemos retirar uma preciosa torre que esteja encostada à cerca no caminho, e colocá-la no meio do terreno, onde não ataca ninguém, o que é um desperdício, e pode-nos levar à morte.

Se os zombies não forem eliminados, eles ficam presos numa jaula inventada pelos humanos, mas esta jaula tem um limite, e quando ficar cheia, eles acabam por destruir a povoação dos homens e perdemos o jogo. Também, sempre que não conseguimos destruir um zombie, aparece uma estrutura contaminada no meio do nosso terreno, a qual tem que ser eliminada combinando com uma estrutura idêntica não contaminada.

Como em Threes! ou 2048, temos de chegar a um determinado número de combinações das estruturas, para chegar finalmente ao laboratório que inventará a cura, e nos leve à vitória. Para isso vai ser preciso muita prática e estratégia, e até usar as pequenas ajudas que podemos adquirir com compras in-app (ou tocando no pequeno avião que sobrevoa por vezes o terreno), que nos permitem eliminar estruturas fracas, desfazer uma jogada, construir uma torre de imediato, etc.

Se gostam de jogos estilo 2048, então vão ter de experimentar este DEAD 2048, que com esta modalidade de Tower Defense, torna tudo isto ainda mais stressante, com a pressão do tempo a jogar contra nós, e os zombies que acabam por nos destruir se não colocarmos as torres mais potentes de forma estratégica junto às cercas.


DEAD 2048 na App Store

Tamanho: 219 MB



sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Glopy

Aqueles jogos de madeira com labirintos onde temos de levar pequenas esferas de metal até aos respectivos buracos continuam a ser dos meus favoritos, e agora acabou de aparecer na App Store um jogo que eleva isto tudo para um nível nunca antes visto. Trata-se de Glopy da Hayrullah Emre KalafatGunes, e não temos apenas um jogo de madeira para resolver, mas sim 24 puzzles delirantes.


Tenho em casa alguns destes jogos de madeira antigos, onde é preciso muita paciência e destreza para resolver os puzzles. Aqueles onde temos de colocar as pequenas esferas nos buraquinhos são especialmente frustrantes e desafiantes, mas quando conseguimos ter tudo no seu respectivo lugar ficamos bem satisfeitos.

Este Glopy põe-nos à frente no seu primeiro puzzle uma pequena bola de madeira, com caminhos escavados na sua superfície, e uma pequena esfera colorida que temos de fazer chegar ao buraco com a mesma cor. O primeiro puzzle é muito simples, e apenas para demonstrar como tudo funciona, e até para praticarmos como mover a bola em todas as direcções.

Estas bolas têm partes móveis, que ao serem rodadas nos permitem estabelecer um caminho viável para a esfera atravessar até chegar ao buraco da sua cor respectiva. Quando todas as bolas tiverem saído pelos seus buracos, passamos para o próximo puzzle, para a próxima bola.

Os primeiros 5 puzzles vamos concluí-los em tempo recorde, mas num instante percebemos que cada bola que vem a seguir introduz algo novo para nos vai dificultar a vida, o que vai fazer com que demoremos bem mais tempo a chegar ao final. Passamos a ter caminhos mais complexos para atravessar, alavancas que bloqueiam as partes móveis da bola, caminhos com tinta que mudam a cor das esferas, etc, etc.

Quando começamos a ter esferas que não têm um buraco com a sua cor, sabemos que temos de levá-las por um caminho que tenha tinta para mudar a sua cor, mas com 4 ou 5 esferas a passearem livres na bola, temos de pensar muito bem nos nossos movimentos para não fazer asneiras. Porque se uma esfera calhar de cair num buraco que não é da sua cor, perdemos o jogo, e temos de recomeçar esse puzzle do início.

Para controlar esta bola gigante, apenas temos de deslizar com o dedo (ou dedos) abaixo do puzzle para a poder girar em todas as direcções, e tocar directamente nas partes móveis da bola para as mover e assim orientar os caminhos para as esferas atravessarem. É de salientar que as pequenas esferas obedecem à gravidade, portanto se inclinarmos o iPhone, estas movem-se em conformidade na direcção da inclinação (como nos jogos de labirintos).

Com uma banda sonora bem simpática e um visual incrível, que parece mesmo que temos um destes puzzles de madeira à nossa frente na mão, este é um jogo obrigatório para quem aprecia resolver puzzles onde é precisa muita destreza, concentração e paciência. Puzzles inspirados em objectos reais, mas com mecânicas que não seriam possíveis num verdadeiro puzzle deste género.

Os gráficos 3D do jogo são incríveis, mas é possível reduzir a qualidade gráfica e desligar a música, se quisermos poupar um pouco a bateria do iPhone, o que por vezes pode dar jeito se estivermos longe de um carregador. Compatível com o ecrã fantástico do iPhone X, este jogo de 2€ é fantástico e recomendo vivamente aos fãs do género.


Glopy na App Store

Tamanho: 406 MB



quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Playdead's INSIDE

Que dias incríveis vivemos actualmente na App Store. A quantidade de jogos de grande qualidade que nos chegam directamente das melhores consolas é sufocante. Primeiro com The Witness, depois com GRID Autosport, e agora com o espectacular Playdead's INSIDE da Playdead, um belíssimo jogo dos criadores do também fantástico e intrigante Limbo.


Como no assustador Limbo, o seu primeiro jogo do género a aparecer na App Store, controlamos um rapazinho, na sua aventura através de um mundo desconhecido e carregado de perigos, onde não sabemos o que temos de fazer, quem somos, o que estamos ali a fazer, e apenas temos aquele instinto básico e primário de tentar não morrer.

Como jogo side scrolling que é, temos de avançar para o lado direito para ir descobrindo o mundo, passo a passo, perigo a perigo. Num instante percebemos que temos de deslizar com o dedo para cima para saltar por cima de obstáculos, e que mantendo o dedo no ecrã nos permite arrastar caixotes e outras coisas, para podermos chegar a locais mais altos.


Mas de saltar por cima de obstáculos e empurrar um pequeno caixote, depressa percebemos que há perigos à espreita, como homens que mal nos vêem se apressam a tirar-nos a vida, a cães que nos despedaçam o corpo se não formos rápidos a chegar a um local seguro. Sim, este jogo não perdoa neste aspecto, é completamente brutal, e recomendo vivamente o uso de headphones, que aumenta a experiência do jogo umas 100 vezes.

Como se pode ver os gráficos são belíssimos, e como tal convém ter um iPhone 6S ou melhor, senão não vos é permitido jogar o jogo por questões de compatibilidade. Os controlos são soberbos e muito simples, e apesar de permitir o uso de um controlador MFi, não é de todo necessário.


Um jogo de terror como o Limbo, onde passaremos por momentos bem assustadores com o míudo, e com muitos puzzles e quebra cabeças para resolver. Alguns momentos são brilhantes e de um engenho incrível, mostrando a criatividade espectacular da equipa da Playdead. Este é um jogo que aguardava há muito que chegasse ao iPhone e iPad, e posso-vos dizer que é uma beleza de jogar no ecrã completo de um iPhone X.

Da mesma maneira que fizeram para as consolas como a Playstation, INSIDE permite-nos jogar o primeiro capítulo do jogo completamente grátis, o que se traduz nuns bons 10 minutos a experimentar este mundo negro, belíssimo, e aterrorizante, o que é algo que recomendo a toda a gente. Para adquirirem todos os restantes capítulos basta adquiri-los através de uma compra in-app de cerca de 9€. Isto é metade do preço a que o jogo está nas consolas e PC, o que é de louvar, e um incentivo extra para o comprar sem olhar para trás.


Playdead's INSIDE na App Store

Tamanho: 1.27 GB



terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Selfissimo!

Os fãs das selfies têm uma nova experiência da Google disponível grátis na App Store. Trata-se da app Selfissimo! da Google Inc., que transforma o nosso iPhone num autêntico fotógrafo particular, que vai tirando fotos conforme vamos movendo o telemóvel, inclusive dizendo palavras de incentivo e elogios enquanto vai disparando.


Esta app usa a câmara frontal para nos tirar uma série de fotos a preto e branco, de forma completamente automática, bastando fazer uma nova posse e parar por 1 segundo para que a Selfissimo tire nova foto, e por aí fora.

A app é uma experiência da Google que usa um algoritmo de visão que detecta quando realizamos uma nove pose, e isto de forma fluída, como se estivessemos de facto numa sessão fotográfica com um fotógrafo profissional na nossa frente, a tirar foto atrás de foto seguidas sem parar. Um fotógrafo que sempre que dispara vai dizendo coisas como "espectacular", "fantástico", "magnífico", "potente", etc, tudo palavras para nos incentivar a fazer melhores poses.

No final basta tocar no ecrã para parar a sessão fotográfica, e é-nos apresentado de imediato uma folha de contacto com todas as selfies que tiramos. A partir daqui podemos tocar em cada foto individualmente para a visualizar em grande, e guardar aquelas que achamos estarem melhor. Em alternativa, podemos também guardar a folha de contacto com todas as selfies.

Não há um botão para gravar todas as fotos automaticamente, por isso temos mesmo que abrir uma a uma para as guardar. Já a folha de contacto, basta tocar no botão de partilhar, que guarda de imediato esta grelha com todas as selfies, que tem sempre a sua piada ficar com este registo.


Selfissimo! na App Store

Tamanho: 195 MB



segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

O Barco do Amor

Que grande nostalgia que bateu agora, especialmente se foram como eu, daquelas pessoas que assistiram na televisão há muitos anos atrás O Barco do Amor. Pois bem, a divertida série de TV chega agora à App Store no formato jogo em O Barco do Amor da GameHouse, e podem encontrá-la gratuita com compras in-app.


Abrir o jogo e ouvir a música do genérico da série de TV, e assistir a uma apresentação dos personagens principais da série exactamente como acontecia no princípio de cada episódio do show, é daquelas coisas que só por isso já vale a pena instalar o jogo.

Este é um jogo de gestão de tempo, pois teremos que ajudar a tripulação do navio a satisfazer os pedidos dos clientes. Como outro qualquer jogo do género, teremos de servir comida aos clientes, levar-lhes produtos que nos pedem, entre outros serviços.


Onde este jogo inova é na sua proximidade ao show de TV, onde teremos que ajudar os clientes do navio a resolverem as suas situações de vida, seja vida romântica, solucionar negócios, etc, etc, exactamente como na série de televisão, e ao mesmo tempo ver também os acontecimentos em redor da tripulação.

Esta espécie de narrativa e as pequenas histórias que temos de viver com os vários personagens faz mesmo lembrar o espírito da série, e é muito bem vindo. Temos aqui 6 capítulos diferentes, atravessando cenários diferentes como o restaurante, a piscina, o consultório, a ilha, etc, onde as tarefas e personagens da tripulação também vão variando.

Podem ver aqui em baixo o pequeno vídeo de apresentação do jogo para abrir o apetite, e claro, instalem o jogo nem que seja para ouvir a música do genérico, ver as piadas e o humor das personagens do show que está presente em várias cenas do jogo.


O Barco do Amor na App Store

Tamanho: 592 MB



quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Timber West

Jogo castiço para os fãs dos cowboys, índios e faroeste em geral é este Timber West da DIGITAL MELODY GAMES KITAJEWSKI I STALEWSKI SPOLKA JAWNA, um shooter arcade que acabou de se estrear hoje e está disponível gratuito na App Store.


À partida poderia parecer apenas mais um joguinho simples e básico para queimar uns minutos e depois apagá-lo do iPhone, mas desenganem-se que temos aqui um jogo bem divertido e com alguma complexidade bem interessante ao nível da sua jogabilidade.

Quem nunca quis ser o maior xerife lá da terra? O nosso herói quer ser com toda a certeza o melhor xerife e para isso terá que mostrar as suas habilidades e pontaria, ajudando a libertar as vilas dos perigosos bandidos que estão por todo o lado.

Este é um jogo para se jogar com apenas um dedo, bastando tocar no ecrã para activar a mira, que de seguida arranca a partir do lugar onde pousamos o dedo, sempre para cima até chegar ao bandido, que levará um tiro no momento em que levantarmos o dedo do ecrã (se a mira estiver em cima do seu corpo, como é óbvio).

É uma mecânica muito interessante, e apesar de não ser necessário colocar o dedo directamente por baixo do bandido que aparece no ecrã, é uma boa ajuda para não falharmos tanto e sermos mais rápidos no gatilho.

Temos um controlo extra neste jogo, comparando com outros títulos que foram aparecendo na App Store que se assemelham a este Timber West, que é a possibilidade de ajustar a mira enquanto esta sobre pelo ecrã acima, bastando deslizar ligeiramente o dedo para os lados para apontar em cheio no bandido que queremos eliminar.

Apanhar porcos e águias com dinheiro é essencial para conseguirmos o suficiente para contratar um novo cowboy, que vem com uma nova arma mais potente, que é sempre refrescante para não ficarmos aborrecidos. É claro que isto também nos obriga a arriscar mais, levando-nos a apanhar com um balázio por não eliminarmos os bandidos que estão no ecrã no tempo que é necessário para o fazer.

É possível continuar a jogar no nível em que estamos quando levamos um tiro, bastando para isso investir algumas moedas, ou visualizando um pequeno vídeo com publicidade. No entanto, o jogo é tão divertido, que confesse que não me importo nada começar tudo de novo, até porque ajuda a treinar a pontaria e os reflexos.

Vejam aqui em baixo o vídeo de apresentação do jogo, e não deixem de treinar esse dedo no gatilho, que este shooter é bem divertido, e é um daqueles mini jogos para se jogar com um só dedo, que bate todos os dias qualquer flappy bird ou outro do género.


Timber West na App Store

Tamanho: 101 MB