segunda-feira, 22 de julho de 2019

Textual description of firstImageUrl

Feud

Um jogo de estratégia mais contemporâneo que nasceu em versão tabuleiro como o antigo ArimaaFeud da Bearwaves, põe-nos a viver a arte da guerra numa espécie de xadrez bem mais acessível, e que podem encontrar completamente grátis na App Store.


Gosto bastante de jogos de xadrez, especialmente das variações que vão aparecendo e que vou mostrando aqui no Apps do iPhone. Neste caso estamos o mais distante que é possível do xadrez, em termos de apresentação, regras, personagens, etc, mas podem ter a certeza que é um belíssimo jogo de estratégia para um ou dois jogadores.

O jogo foi criado originalmente para tabuleiro por Dave Cordell em 2016, e chega agora aos computadores, telemóveis e tablets. Podemos jogar sozinhos contra o computador, ou contra um amigo frente a frente no mesmo iPhone ou iPad, ou então optar pelos combates online contra jogadores de todo o mundo.

Mas que raio se passa neste estranho jogo com um tabuleiro de 4x4 peças? Temos peças brancas e pretas (as pretas começam primeiro), 8 para cada lado, e compõem-se por um rei, dois cavaleiros, dois arqueiros, um médico, e um feiticeiro.

Dava para fazer uma nova história do Rei Artur com esta composição, mas dada a proximidade das peças, podem ter a certeza que ia ser uma história bem curta, pois os combates começam de imediato mal é dado o tiro de partida (não há tiros nenhuns, isto é tudo muito medieval obviamente).


Cada peça tem as suas próprias características ao nível de movimento e acções que podem executar. E como tal, todas elas têm determinados pontos que representam a sua energia (sem pontos morrem e desaparecem do tabuleiro), e sempre que ficarem isoladas (sem nenhuma peça amiga do seu lado), fecham os olhos e ficam inactivas, paralizadas no campo de batalha.

O jogo processa-se da seguinte forma, cada jogador tem direito a duas fases, uma em que podemos mover uma peça (trocar duas peças de lugar, uma com a outra, seja com uma peça amiga ou inimiga), e uma segunda fase em que podemos fazer uma acção de qualquer guerreiro, seja atacar, curar amigos, ou teletransportar o feiticeiro para o lugar de outra peça amiga.

Aconselho a fazerem o tutorial, que ficarão a perceber o jogo bem rapidinho, e num instante poderão ficar online para defrontarem outros jogadores que estejam espalhados por esse mundo fora. Jogar sozinho é um bom desafio, mesmo na dificuldade fácil, e dará para aprender boas estratégias para ganhar o jogo (que acaba sempre que alguém matar o rei adversário, ou conseguir isolar todas as peças do inimigo, deixando-o sem movimentos possíveis). Bons combates!


Feud na App Store

Tamanho: 97.2 MB

sexta-feira, 19 de julho de 2019

Textual description of firstImageUrl

The Kreator

Aqui está a experiência zen para levarem com vocês para o fim de semana. O jogo The Kreator da StarRhyme Co., Ltd., é uma experiência altamente relaxante que nos senta na cadeira do criador (??) e nos põe a criar vida numa viagem de luz que também conta com os seus contratempos, assim como esta nossa aventura da vida.


Em The Kreator controlamos um pequeno ser luminoso, uma espécie de cometa que vai dando voltas ao planeta, que fazemos saltar sempre que tocamos com um dedo no ecrã, e o mantemos a flutuar ao deixar o dedo pousado no ecrã. O nosso objectivo é coleccionar todos os pequenos pontos de luz amarelos, porque sempre que falharmos nesta nossa tarefa imperiosa, aquilo que um dia era luz, no outro dia transforma-se em escuridão, e virá atrás de nós para nos destruir.


A explicação inicial quando arrancamos com o jogo é apenas esta, mas depressa percebemos que podemos contar com algumas ajudas de outros seres luminosos, assim como algumas tarefas extra que nos levam a trazer vida ao planeta. Sim, ao deslizarmos pelo solo fazemos crescer as flores e as árvores, avançando pelas 4 diferentes estações do ano com as suas cores peculiares.

O nosso pequeno cometa tem uma auréola à sua volta, que nos permite agarrar mais facilmente os pontos de luz, mas quanto mais tempo ficarmos no ar, mais pequena fica essa auréola. Temos que voltar a deslizar pelo solo para que a auréola volte a aumentar, o que se torna em algo essencial para a nossa sobrevivência.


Os pontos de luz que se transformarem em escuridão começam a perseguir-nos a e juntar-se uns aos outros, ficando cada vez maiores e mais rápidos. A nossa única salvação são os pontos de luz brancos e cor de rosa, que se aliam a nós para destruir a escuridão, por isso há que apanhar todos aqueles que encontrarmos sem falta.

A ideia é ver quantos dias conseguimos aguentar nesta grande viagem da vida, dando conta que com cada estação que passa a dificuldade também aumenta, com os pontos de luz a ficarem cada vez mais difíceis de apanhar. Esta experiência zen pede absolutamente o uso de headphones, que a banda sonora original é lindíssima, proporcionando cerca de 40 minutos de música sem parar. O jogo não tem qualquer publicidade, e podem adquirir através de uma compra in-app um novo mundo e o modo zen que não traz nenhum perigo associado, só a viagem interminável a apreciar a beleza do planeta e da música que ouvimos.


The Kreator na App Store

Tamanho: 95 MB

quinta-feira, 18 de julho de 2019

Textual description of firstImageUrl

Warhammer Quest 2 grátis na App Store

Têm aparecido cada vez mais jogos onde podemos explorar masmorras, e não há dúvidas que um dos Dungeon Crawlers mais espectaculares e realistas que temos disponível na App Store é este Warhammer Quest 2 da Perchang, que podemos encontrá-lo grátis a partir de hoje e durante uma semana inteira.


Neste jogo temos o nosso herói a viajar de cidade em cidade, onde iremos ter sempre uma aventura para viver, o que normalmente se traduz em ajudar o povo da cidade que estamos a visitar, entrando de seguida numa masmorra carregada de perigos e também muitos tesouros. No seu interior, teremos que avançar até chegar ao nosso objectivo, pelo caminho eliminando todos os monstros, bandidos, morcegos sanguinários, aranhas gigantes, etc, que nos aparecerem pela frente.

Cada herói tem um número de pontos de acção, que tanto nos permitem mover o nosso personagem através dos "quadrados" no terreno, ou atacar os vários monstros. É aqui que entra a parte da estratégia destes combates por turnos. Decidir entre mover um herói ou então aproveitar os seus pontos de acção e efectuar ataques certeiros é algo que vamos ter de pesar constantemente.


Ao nível gráfico o jogo é lindíssimo, podendo-se observar os reflexos das armas em acção na armadura do capitão, todo o tipo de sombras e fumo (ou nevoeiro), o que é simplesmente espectacular. Ao contrário do primeiro jogo, agora temos um verdadeiro 3D, podendo manipular a imagem no ecrã com 2 dedos, variando o ângulo de visão, aproximando bem perto do chão para ver tudo com maior detalhe, etc.


Para quem aprecia estes Role Playing Games, com os seus combates estratégicos por turnos, não há mesmo melhor jogo que este para iPhone ou iPad. Warhammer Quest 2 é o jogo que têm de ter instalado se são mínimamente fãs deste tipo de jogo. Podem ver aqui em cima o vídeo oficial que nos mostra toda a beleza que acompanha este magnífico jogo, que devem instalar já no vosso iPhone ou iPad, ainda para mais estando em promoção completamente grátis, e com a oferta imediata de um novo herói, o Guarda das Sepulturas, um morto-vivo extremamente potente e duro de matar. Para recrutar este herói, basta abrir o jogo, ir à taverna e recrutá-lo para a nossa equipa.


Warhammer Quest 2 na App Store

Tamanho: 2.4 GB

quarta-feira, 17 de julho de 2019

Textual description of firstImageUrl

Paintiles

Os verdadeiros fãs de puzzles vão gostar bastante deste Paintiles de Andrey Spencer, um jogo que podemos encontrar hoje grátis na App Store, sem qualquer publicidade, e que nos põe a pintar azulejos de maneira a nos livrarmos de todos eles.


O conceito é bem simples, mas passados os primeiros 2 ou 3 puzzles é muito fácil começar a ser induzido em erro. A ideia é eliminar todos os azulejos coloridos do ecrã, bastando para isso pintar azulejos de maneira a fazer grupos da mesma cor para que sejam eliminados. Um grupo com 2 azulejos da mesma já é um grupo, e desaparece se o criarmos.

Mas temos de ter muito cuidado para não deixar azulejos orfãos no ecrã, pois um único azulejo no ecrã não tem nenhum azulejo ao seu lado para que seja pintado para formar um novo grupo. Da mesma forma, deixar espaços entre os azulejos também não é positivo, e acabar com 2 ou mais azulejos da mesma cor também nos deixa sem soluções possíveis, pois temos de ter sempre um azulejo de cor diferente para que possa ser pintado para formar um grupo de outra cor.


É como digo, o conceito é simples, mas este é um daqueles puzzles que nos dá mesmo a volta à cabeça, e nos obriga a pensar genuínamente nos nossos movimentos. Para complicar, lá mais para a frente começam a aparecer certos elementos extra como por exemplo plataformas que se desfazem se os azulejos que se encontram directamente por cima forem destruídos (fazendo cair em baixo os azulejos que estavam por cima desses).

Bombas no ecrã também nos obrigam a pensar em soluções mais criativas, pois ao serem activadas rebentam com os azulejos que estejam directamente em contacto com o azulejo que contenha a bomba. Isto tudo aumenta bastante a dificuldade dos mais de 60 puzzles criados à mão, o que é um óptimo exercício para o cérebro.

Mas não temam, pois para além do modo de níveis onde estamos limitados pelo número de movimentos que podemos fazer (ou pintadelas), há também um modo Zen sem limites, onde podemos jogar livremente puzzle atrás de puzzle, sem pensar no número de movimentos que podemos dar. Boa sorte!


Paintiles na App Store

Tamanho: 12.7 MB

terça-feira, 16 de julho de 2019

Textual description of firstImageUrl

Space Agency

Com o aniversário de 50 anos da chegada do homem à lua a pairar sobre as nossas cabeças, os filmes, séries, e jogos passados no espaço estão ao rubro. Como tal não podia deixar passar ao lado a excelente oportunidade de experimentarem um dos simuladores do espaço mais divertidos de sempre na App Store, o jogo Space Agency da Nooleus, que está pela primeira vez grátis em 6 anos.


Temos por aqui fãs da construção de foguetões? Escolher as diferentes partes que compõem um foguetão, e depois lançá-lo para órbita? E depois lançar um satélite, ou reabastecer a estação espacial? O céu é o limite neste fantástico jogo (o céu não é claramente o limite neste caso), pois podemos fazer o que nos apetecer neste belíssimo simulador.

Para não assustar os iniciantes, o jogo tem um fantástico tutorial que nos leva pela mão explicando como fazer as coisas mais básicas, como por exemplo montar um foguetão, iniciar o lançamento, controlar a inclinação do foguetão para ganhar velocidade, colocá-lo em órbita, separar as diferentes partes do foguetão durante o processo, e como atracar diferentes partes para proceder a abastecimento do nosso veículo ou reabastecimento da estação espacial, e aprender a movimentar no espaço.

O tutorial serve-nos bem para aprender o básico, que de seguida podemos arrancar para o modo de carreira, onde já vamos preparados para começar a realizar as dezenas de missões que temos lá para fazer. Este não é um jogo de acção Arcade, mas sim um jogo onde temos de pensar para gerir o orçamento ao escolher as diferentes partes do foguetão, e depois passar por cada parte da missão como se fossem diferentes mini jogos onde temos mesmo de controlar o foguetão e os veículos espaciais.


Desde missões onde temos de aterrar na lua e voltar à terra, temos também um modo de quickplay onde podemos realizar missões rápidas, ou enveredar mesmo pelo modo sandbox ou somos livres de fazer aquilo que nos apetece, como por exemplo criar a nossa própria estação espacial, visitar outros planetas, etc, etc. É claro que para isso temos de ter peças e orçamento, tudo coisas que vamos ganhando e desbloqueando no modo de carreira. Ou então, investir numa compra in-app para adquirir de forma imediata uma série de peças, e não ter de perder tempo a jogar o jogo, o que seria um grande erro.

Para quem aprecia estas lides no espaço, vai adorar o jogo Space Agency. Ele já anda pela App Store há mais de 6 anos, e continua a ser actualizado pelos seus criadores, tendo uma legião de fãs por trás sempre a ajudar ao seu desenvolvimento e sempre a pedir coisas novas. Aproveitem que o jogo está agora em promoção, completamente grátis na App Store, e preparem-se para perder umas boas horas a explorar o espaço.


Space Agency na App Store

Tamanho: 37.5 MB

segunda-feira, 15 de julho de 2019

Textual description of firstImageUrl

Woodways

Um Búfalo, uma raposa e um pato, encontraram-se num bar e resolvem ir passear pelo mundo fora. E não vão a lado nenhum sem nós, por isso preparem-se para resolver uma série de puzzles neste Woodways de Stav Goldstein, um jogo gratuito que podemos encontar hoje grátis em promoção na App Store.


Primeiro somos apresentados à raposa, a qual temos de mover no ecrã até chegar ao portal de saída para o próximo desafio. De seguida aparece o pato, e logo depois o búfalo. Cada vez que fazemos um gesto no ecrã para mover um animal, movem-se todos ao mesmo tempo, complicando imenso a nossa vida, pois não podemos permitr que os animais caiam em qualquer armadilha, como é o caso de caírem na água ou em qualquer outro buraco que se encontre espalhado pelo ecrã.

Para conseguir mover os 3 animais para os 3 portais ao mesmo tempo, vamos ter de contar com os vários obstáculos e paredes que existem em cada nível. Usar uma pedra para evitar que um animal se mova, aproveitando para mover os outros, para assim os colocar na posição perfeita, é algo que vamos estar constantemente a fazer.

Como temos de ter muito cuidado para não deixar cair nenhum animal na água, o movimento de UNDO (voltar atrás) vai ser o nosso melhor amigo, e apenas temos de tocar duas vezes seguidas no ecrã para dar um passo atrás.


O grande desafio vem do facto de que os 3 animais têm características diferentes, por exemplo o pato pode andar sobre a água e não dá cabo do chão. A raposa pode andar sobre o chão danificado, mas mal atravesse uma placa rachada, esta desfaz-se aparecendo um novo buraco no chão. O búfalo é pesadíssimo, portanto não pode andar sobre a água nem sobre placas rachadas, que desabam debaixo das suas patas mal este as pise.

As próprias mecânicas dos níveis começam a evoluir, sendo introduzidas para além das placas rachadas, placas de gelo que fazem com que os animais deslizem sem parar de uma ponta à outra, placas que os teletransportam de um lugar para o outro, etc.

O jogo tem um grafismo muito simpático, e é certamente bem desafiante, mantendo-nos agarrados ao jogo por muitas muitas horas, com os seus mais de 50 puzzles que temos para resolver. Vejam aqui em cima um vídeo que nos mostra o jogo em acção, e não percam, que é deste tipo de ginástica que o nosso cérebro precisa todos os dias.


Woodways na App Store

Tamanho: 201.1 MB

sexta-feira, 12 de julho de 2019

Textual description of firstImageUrl

Jelly Shift

Aqui está o jogo Arcade gratuito para o fim de semana, Jelly Shift da SayGames, é um daqueles jogos que podemos jogar usando apenas um dedo, excelente para treinar os nossos reflexos, e com uma mecânica não muito habitual de se ver na App Store.


Ajudem a pequena gelatina a chegar até ao final de uma série de corridas, bastando para isso deslizar com o dedo no ecrã para cima e para baixo, o que fará com que a gelatina mude de forma, desde uma forma achatada até uma figura esbelta e comprida, de maneira a que passe pelos vários obstáculos que aparecem à sua frente.

O jogo é bastante fluído e bem divertido, especialmente por utilizar uma mecânica que não é muito comum na App Store. Um jogo do tipo endless runner mas constituído por fases curtas, onde o nosso timing e reflexos, assim como um olho rápido para avaliar a forma dos obstáculos, farão toda a diferença para chegar à vitória.


Temos de ter atenção aos obstáculos que se aproximam para adaptarmos a forma da gelatina de maneira a passar pelo interior do obstáculo, e outras vezes para passar por cima de uma espécie de ponte e evitar cair no precipício, e outras apenas para conseguir apanhar as pedras preciosas que se encontram espalhadas pelos vários níveis.

Estas pedras preciosas podem ser usadas para adquirir novas gelatinas, com diferentes formas e cores, e algumas raras com a forma de animais fofinhos. O jogo está muito bem concebido e corre muito bem no meu iPhone X. A única questão mais chata é a quantidade de anúncios que aparecem no final de cada nível, que apesar de serem de apenas 3 segundos, se tornam um pouco irritantes. Mas, já sabem como é, se apreciam o jogo e querem continuar a jogá-lo sem interrupções, é só investir numa compra in-app e retirar por completo toda e qualquer publicidade. Boa sorte!


Jelly Shift na App Store

Tamanho: 157.3 MB

quinta-feira, 11 de julho de 2019

Textual description of firstImageUrl

Soccer Pinball Pro

Há jogos mesmo muito simples, como é o caso do recém chegado Flappy Royale, mas nos quais nos podemos perder por horas a fio. Outro caso de sucesso que acabou de aterrar na App Store é este Soccer Pinball Pro de Sebastian Barrotta, um jogo gratuito que mistura Futebol com as máquinas de flippers, e que funciona mesmo muito bem.


Não é um jogo de penáltis, mas sim um jogo de tiro à baliza. Imaginem-se na grande área, e têm a oportunidade de mudar o resultado do jogo e levar a vossa equipa à vitória. Mas o que temos à nossa frente é uma máquina de flippers (ou pinball), e temos de mostrar as nossas habilidades e pontaria para tentar enfiar a bola na baliza usando apenas dois flippers.

O jogo conta com dois modos, um de temporadas, que vai aumentando de dificuldade à medida que vamos ganhando jogos, e outro modo do tipo infinito, onde temos de marcar o maior número de golos possível para chegar ao topo do placar de pontuações.


O modo de temporadas é o mais divertido, pois temos sempre que marcar um x número de golos para ganhar um jogo, e se conseguimos ganhar 3 jogos seguidos temos direito a abrir um cofre com prémios. Isto dos prémios tem a ver com ganhar moedas e bolas novas, as quais podemos desbloquear com as moedas que coleccionamos durante o jogo (têm a forma de alvos, os quais devemos atingir sempre que pudermos).

No início estamos apenas nós, a baliza e o guarda redes, que coitadinho nem se mexe, tal é a nossa destreza e rapidez à Cristiano Ronaldo. Mas à medida que vamos marcando golos e ganhando jogos, começam a aparecer mais defesas na grande área, e o guarda redes começa a mover-se.

Ao nível gráfico, animações e efeitos sonoros, não podia estar mais refinado, podendo-se ver o estado do tempo a mudar com chuva a cair no campo, ouvindo-se o barulho do público a aplaudir, e ver os defesas a reagirem em pânico sempre que levam com uma bola no meio das pernas. O jogo é mesmo divertido e só têm de visualizar publicidade se tocarem no botão para ganhar uma vida extra, senão é sempre a jogar sem interrupções e qualquer publicidade para chatear.


Soccer Pinball Pro na App Store

Tamanho: 55.6 MB

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Textual description of firstImageUrl

Dr. Mario World

Depois de Super Mario Run e Animal Crossing: Pocket Camp a Nintendo traz agora outro dos seus jogos para iOS, Dr. Mario World, que para mim é o mais divertido dos 3, com a sua mecânica match-3 estilo Tetris, mas bem diferente daquilo a que estamos habituados nos jogos do mesmo género que andam pela App Store.


Este é um jogo Nintendo sem dúvida nenhuma, com os gráficos impecáveis a que a Nintendo já nos habituou, até aos efeitos sonoros e música que nos transportam a 100% para o universo do Super Mario que tão bem conhecemos.

Em Dr. Mario World temos de livrar o mundo de vírus, e aqui não há bons nem maus, pois vamos mesmo ter de aliar forças com o Bowser (por exemplo) e outros personagens do universo Super Mario para conseguirmos juntos libertar o mundo deste grande mal.

O jogo é uma mistura de Tetris com o clássico Match-3, mas tudo acontece de baixo para cima, e temos liberdade de mover as peças com o dedo para os locais que queremos, inclusive rodá-las, e até movê-las depois de fazerem combinações, caso ainda sobre pedaços adicionais destas peças.

As peças são comprimidos coloridos, que temos de combinar com os vírus da mesma cor e outros objectos de maneira a fazê-los rebentar e assim desaparecerem do ecrã. Temos sempre um determinado número de vírus para destruir, e apenas um número limitado de comprimidos para conseguir chegar lá.


Há ajudas que podemos adquirir para nos auxiliar nesta aventura, e há certos personagens como as famosas tartarugas que ao serem combinadas com os comprimidos rebentam com uma linha inteira. Há bombas que explodem com tudo à sua volta, e há também poderes especiais dos nossos Dr. Mário ou Dr. Bowser ou Dr. Peach, que ajudam a eliminar linhas ou colunas.

O jogo tem uma campanha gigante para se jogar, assim como um modo de desafios, e é possível jogar online contra outros jogadores, o que é extremamente divertido, pois podemos atrapalhar o jogo do inimigo lançando vírus e outros blocos para o seu ecrã se formos mais rápidos a fazer combinações e a eliminar vírus do nosso ecrã.

Podem encontrar o jogo grátis na App Store, mas já sabem como é que a Nintendo funciona, há um sistema de energia, que podemos adquirir com créditos no interior do jogo, ou dinheiro real. Ou então, simplesmente esperar que a energia se restabeleça para poderem voltar a jogar. No geral o jogo está muito bem conseguido, e só é pena mesmo não ser um jogo Premium sem estas tretas das energias e das compras in-app.


Dr. Mario World na App Store

Tamanho: 194.4 MB



terça-feira, 9 de julho de 2019

Textual description of firstImageUrl

Texas Hold’em

Apareceu primeiro no antigo iPod e era jogado rodando a click wheel, e depois mal abriu a App Store em 2008 ficou disponível nos primeiros iPhones e iPods Touch. Estou a falar de Texas Hold’em da Apple, que agora passados 11 anos está de volta ao iPhone com novos gráficos e de forma completamente gratuita.


A Apple tem andado a dar cartas ultimamente no mundo dos jogos, com o lançamento e o relançamento como é este caso de alguns jogos que deixam todo o mundo surpreendido. Não sei se será por causa do novo serviço de jogos Apple Arcade que está para sair no Outono, mas é certo que algo mudou com toda a certeza na postura da Apple em relação aos jogos no iPhone.

Desta vez trouxe-nos de volta um jogo que foi bem querido de muita gente há muitos anos atrás, que apesar de ser um jogo pago tinha muitos fãs, especialmente na versão inicial no iPod. Mas agora podemos instalá-lo de forma completamente gratuita e podemos jogá-lo offline contra 24 jogadores controlados pelo computador, ou então contra 8 amigos ligados via WiFi.


O jogo está muito bem conseguido, podendo ser jogado com o iPhone na vertical, onde podemos ver o dealer a dar as cartas, e ir passando os olhos por cada um dos jogadores, um a um, vendo o que cada um faz, e estando a atentos aos seus tiques para ver se estão a fazer bluff ou não.

Quem não gostar muito de ver esta versão realista e animada de ter pessoas reais na sua frente, basta colocar o iPhone na horizontal que passa para uma versão da mesa vista de cima, onde podemos jogar esta versão bem interessante do Poker sem quaisquer distracções, concentrando-nos apenas nas apostas e nas cartas em cima da mesa.

É um jogo grátis, tem o selo de qualidade da Apple, e é uma das versões mais famosas do Poker, o que agradará a muita gente, podendo perder horas e horas a jogar contra adversários controlados pelo iPhone, e ir assim avançando pelos vários cenários, começando a jogar numa garagem, e depois num iate, até chegar a Las Vegas, Paris ou Macau.


Texas Hold’em na App Store

Tamanho: 1.5 GB

segunda-feira, 8 de julho de 2019

Textual description of firstImageUrl

The Gardens Between

Em 2013 experimentei um jogo bem simples mas com uma qualidade gráfica impressionante que me deixou com esperança pelos seus próximos jogos. Não tardaram a fazer mais uma série de jogos fantásticos e agora em Maio a The Voxel Agents saíu-se com o deslumbrante The Gardens Between, uma aventura espectacular carregada de puzzles que se resolvem manipulando o tempo.


Um jogo que mais parece saído dos anos 80/90, uma homenagem à amizade e brincadeiras de dois míudos, Arina e Frendt, que se vêm de repente envolvidos numa série de aventuras num mundo de sonhos, onde todos os seus brinquedos passam a fazer parte do cenário que têm de atravessar até chegar ao portal que os levará para o próximo local onde têm ainda mais puzzles para resolver.


Estas pequenas ilhas carregadas de brinquedos estão também cheias de obstáculos, os quais devem ser ultrapassados manipulando o tempo. Ao tocar no ecrã e deslizar o dedo para a direita fazemos com que o tempo avance para a frente, e por conseguinte vemos os amiguinhos a caminhar pelos caminhos que têm na sua frente. Se deslizarmos o dedo para a esquerda, voltamos com o tempo para trás, fazendo com que os nossos amiguinhos façam marcha atrás, assim como tudo o que esteja a acontecer no ecrã ande também para trás.


Há alguns objectos especiais que o míudo pode manipular, que nos permitem manipular o tempo num determinado ponto no espaço, movendo apenas alguns objectos, não interferindo com o movimento dos míudos. E a míuda anda com uma lanterna especial, a qual deve ser carregada com uma luz mágica, que lhe permite afastar o nevoeiro que serve como obstáculo, ou activar pontes de luz para poderem ultrapassar alguns precipícios que lhes vão aparecer pela frente. A ideia é chegar com a lanterna acesa até ao topo da ilha, local onde colocarão a lanterna no portal, que assim activado os transportará para a próxima ilha.


Toda a mecânica do jogo é bem interessante, pois há que manipular o tempo de maneira a que uma espécie de robôs que por lá andam a passear, nos ajudem a levar a luz para certos locais chave, ajudando-nos assim a ultrapassar alguns dos obstáculos mais chatos do jogo.

Por vezes andaremos a manipular o tempo para interferir com um jogo de consola que está a passar numa tv, ou então para controlar uma gota de água que pode assim interagir com a electricidade, ou mesmo até para controlar objectos a boiar na água que podem servir de ponte de passagem.


Os puzzles são brilhantes e não precisamos de muitas tentativas até perceber como funcionam (sendo todos bem diferentes uns dos outros), e como ultrapassar um determinado nível. Pelo caminho vamos passando por um momento bem nostálgico onde nos vão passando à frente uma data de objectos e brinquedos da nossa infância, isto tudo acompanhado de uns gráficos com um visual incrível, e uma banda sonora que não deixará ninguém indiferente.

Chegado o final do jogo, compreendemos que história é esta que acabamos de viver, uma verdadeira homenagem à amizade na infância, e não podia deixar de referir todos os momentos com animações que vão contando pedaços da história, e os créditos que vêm acompanhados de uma música incrível, enquanto vamos vendo o nome de todas as pessoas responsáveis por este belíssimo jogo. The Gardens Between é mais um daqueles jogos candidatos para um dos melhores de 2019 sem qualquer dúvida. Não percam.


The Gardens Between na App Store

Tamanho: 747.4 MB


The Gardens Between - Rating: 5

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Textual description of firstImageUrl

Miximum

A Apple Music e a sua app oficial não são o melhor lugar para gerir e criar playlists de música inteligentes. É certo que há recomendações bem interessantes que a Apple Music nos faz, mas a verdade é que não há maneira de criarmos uma playlist ao nosso gosto de uma maneira prática e fácil. É aqui que entra esta Miximum de Mike Clay, uma app gratuita que nos permite criar uma playlist de música completamente personalizada ao nosso gosto, e que considero obrigatória para qualquer aficcionado de música em geral.


Ora bem, o que esta app nos permite fazer é absolutamente extraordinário, e só mesmo quando começamos a explorar todas as opções que esta app nos disponibiliza é que percebemos o quão potente ela é. Por exemplo, imaginem que querem misturar as músicas de 3 playlists diferentes que têm na app de música do iPhone, mas querem que tenha apenas a duração de 2 horas, e que não tenha músicas de artistas repetidos, e que sejam músicas com a velocidade de pelo menos 140 BPM.

É isto que esta app permite fazer, com apenas alguns toques criamos um mix fantástico adaptado aos nossos gostos e necessidades do momento em questão, e está criada uma nova playlist em poucos segundos. O processo é simples, seleccionamos de onde queremos seleccionar as músicas, que pode ser toda a nossa música, ou apenas de uma ou mais playlists que já tenhamos guardadas na Apple Music.

Até aqui isto já seria suficiente, pois misturaria todas as músicas que seleccionamos numa só playlist. Mas há um segundo passo que podemos explorar, onde se podem criar regras como a duração das músicas, artistas a incluir obrigatóriamente, artistas a evitar, se são músicas que já ouvimos mais que uma ou duas vezes, os géneros de música que queremos incluir, a batida da música, etc, etc, tudo o que quisermos para passar de uma selecção musical de 1000 músicas para apenas 150, escolhidas a dedo por nós (ou neste caso pela Miximum).

O que temos de fazer a seguir é exportar esta mistura como uma playlist para a app da Apple Music, com um nome e uma imagem que carregamos do rôlo de câmara, e já está, ficamos com uma playlist novinha em folha em apenas alguns segundos, que não tínhamos como criar se não perdessemos horas a procurar todas as músicas que queremos à mão.

A app também conta com um leitor de música interno, que confesso, não é de todo o mais prático, mas que nos permite ouvir as músicas directamente a partir da Miximum. O que eu recomendo é que exportem a playlist para a Apple Music e ouçam lá a música. No entanto se apreciarem a parte dinâmica de ter uma mistura que se vai actualizando automáticamente à medida que vão adicionando novas músicas à vossa biblioteca na Apple Music, então ouçam directamente na app e que controlem a música através dos controlos de música nativos do iPhone. Seja como for, esta app é obrigatória de ter no iPhone de qualquer audiófilo que se preze.


Miximum na App Store

Tamanho: 6 MB

quinta-feira, 4 de julho de 2019

Textual description of firstImageUrl

LEGO® Tower

Se há universo onde um jogo como Tiny Tower encaixa perfeitamente, é mesmo no mundo da LEGO.  É então uma excelente notícia a chegada esta semana de LEGO® Tower da NimbleBit, que nos põe mais uma vez a construir uma torre enorme cheia de personagens da LEGO onde cada piso é um apartamento ou um local de trabalho para os habitantes da LEGO Tower.


A NimbleBit anda a fazer jogos deste género há já muitos anos, sendo Tiny Tower o original, passando pelo universo de Las Vegas onde podemos inclusive participar em jogos de Casino em alguns dos pisos, e até tivemos direito a um Star Wars: Tiny Death Star, que tinha um conceito brilhante, e completamente maravilhoso para qualquer fã da Guerra das Estrelas, mas que acabou por ser retirado da App Store pela Disney (o que é típico destes senhores).

Os legos são perfeitos para este tipo de construção, até porque a torre serviu até de inspiração para uma torre real criada pela LEGO que ganhou um Record do Guiness, como podem ver pela imagem aqui em baixo. Os legos e pisos da LEGO Tower parecem tão reais, que parece que estamos a brincar mesmo com uma verdadeira torre de legos à nossa frente.


Para aqueles que já conhecem os jogos do tipo do Tiny Tower, já sabem bem o que fazer, não há assim nada de muito novo, havendo apenas algumas diferenças aqui e ali. Mas para quem nunca jogou o jogo a ideia é mais ou menos esta. Construir pisos para ir aumentando a torre, alguns podem ser pisos de apartamentos, que levam 5 residentes de cada vez, os quais precisam de trabalho para pagarem a renda e nos darem dinheiro.

E para ter trabalhos para os residentes, temos de construir pisos de tipos diferentes, ora de comida (coisas como cafés, restaurantes, etc), serviços (bancos, capelas para casamentos), cultura, saúde, etc, etc, tudo locais que podem dar mais dinheiro se colocarmos lá a trabalhar um residente que tenha como preferência esse local. É portanto um jogo de gestão, onde vamos andar sempre à procura da pessoa ideal para o trabalho certo.

Depois há todo o aspecto de personalização onde podemos mudar o aspecto e cor dos legos da torre, ou dos próprios pisos, o aspecto do nosso construtor, e mudar por completo as peças dos bonecos que habitam a torre. Isto tudo com peças que vamos ganhando de forma aleatória (ou comprando, para quem estiver disposto a investir). Portanto, há que manter as lojas e serviços a funcionar, há que transportar os visitantes de elevador, que irão gastar dinheiro nas nossas lojas, e por aí fora. Este é no geral mais um belíssimo jogo do género do Tiny Tower original, que é perfeito para os fãs da LEGO e fãs de jogos de gestão de tempo.


LEGO® Tower na App Store

Tamanho: 174.3 MB



quarta-feira, 3 de julho de 2019

Textual description of firstImageUrl

Total Party Kill

O jogo vencedor de uma competição onde se tinha de fazer um jogo em 48 horas sob o tema "é preciso fazer sacrifícios", Total Party Kill de Jussi Simpanen, foi o justo vencedor, e é um belíssimo quebra cabeças de plataformas que não vai deixar ninguém indiferente, e podem encontrá-lo hoje grátis na App Store.


Como todo o jogo do género Dungeon Crawler onde temos de entrar numa masmorra à procura dos tesouros mais espectaculares, neste Total Party Kill avançamos para a aventura com 3 bravos guerreiros. Um mago, um cavaleiro, e um atirador de flechas, cada um com uma habilidade diferente, essencial para ajudar pelo menos um deles a chegar à saída de cada secção da masmorra.

Isto de se aventurar por uma masmorra adentro, uma masmorra carregada de perigos, não é algo muito saudável, especialmente quando podemos ter de matar os nossos amigos para conseguir chegar à saída do nível. E é aqui que o jogo brilha. O cavaleiro mata com a sua espada, atirando os seus amigos pelos ares a uma grande distância (bom para activar botões que estão longe). O mago congela os seus amigos, transformando-os num autêntico bloco de gelo, o qual pode ser usado como plataforma numa zona carregada de picos. E o atirador dispara uma flecha com tanta força que espeta os seus amigos na parede, ideal para fazer uma escadinha e chegar a locais mais altos.


A mecânica do jogo é muito interessante, assim como as habilidades especiais de cada um dos heróis, as quais percebemos rapidamente que podem ser combinadas umas com as outras para conseguir ultrapassar os puzzles mais difíceis (um herói morto ainda pode ser congelado, atirado pelos ares, e levar com uma flecha, etc).

Com uma banda sonora que me faz lembrar imenso o antiguinho HeroQuest que jogava no Amiga 500 nos anos 90, tentar resolver os mais de 60 puzzles desta masmorra é um prazer imenso. Sejam ou não fãs de puzzles, é algo que serve muito bem qualquer pessoa, sejam iniciantes ou veteranos dos melhores quebra-cabeças. O jogo conta com alguma publicidade aqui e ali (que pode ser eliminada por completo com uma compra in-app), e podem encontrá-lo hoje grátis na App Store. E eu recomendo vivamente, que não há muitos jogos brilhantes como este, especialmente para um jogo que foi criado em apenas 48 horas.


Total Party Kill na App Store

Tamanho: 67.3 MB



segunda-feira, 1 de julho de 2019

Textual description of firstImageUrl

Flappy Royale .io

Maldito Flappy Bird dos infernos, que mais parece ter açucar, porque uma pessoa não consegue parar depois de começar a jogar. E como se a fórmula não fosse já por si só altamente viciante, vêm estes gajos e criam um Flappy Royale .io, que nos transporta para o mundo das Battle Royale, onde estamos a competir directamente contra outros 99 pássaros.

Para aqueles que nunca ouviram falar nem jogaram Flappy Bird, tenho-vos a dizer que vocês devem morar numa caverna bem profunda, e já agora, ainda há lá dinossauros a viver? Para todos os outros, parem de ler já imediatamente, pousem o iPhone e nunca mais voltem a passar por aqui. A sério, este jogo é tão viciante, tão irritante, que quando começamos difícilmente vamos conseguir pousar o iPhone tão cedo.

E o pior de tudo, é que com esta coisa das Battle Royales, até arrancamos o jogo a saltar de um autocarro como no famoso Fortnite, e depois é o querido e estupidamente viciante Flappy Bird que sempre conhecemos. Tocar no ecrã para bater as asas, e passar pelo maior número de tubos que conseguirmos sem bater contra nenhum deles.


O problema é que a fórmula agora foi transformada e é agora um jogo ainda mais viciante, porque estamos a ver todos os outros 99 jogadores a voar ao nosso lado, e carago se não vamos ganhar aquela corrida. E não ajuda que para começar um jogo contra outros 99 é algo imediato, não temos de esperar tempo nenhum, é só tocar no botão do "Ready", e siga.

É certo que não é em tempo real, e estamos sempre a jogar contra os 99 fantasmas do jogo que foi feito imediatamente antes do nosso. É uma forma brilhante de pôr tudo a jogar, sem esperar, e sem stresses de pôr toda a gente à espera uns dos outros até estarem prontos.

O jogo ainda não saiu oficialmente na App Store, mas basta passar na página do Flappy Royale aqui em baixo, e têm lá a versão beta para iOS (é preciso instalar o Test Flight, caso ainda não tenham), e há também uma versão Web para testarem de imediato o jogo no browser do computador. Mas ficam já avisados, cuidado que isto é muito viciante, e ainda por cima podemos modificar o aspecto do nosso pássaro. É a loucura!


Flappy Royale .io Beta

Flappy Royale na App Store