sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Elegy - The Girl On The Moon

Um aventura em formato mini, um micro jogo point-and-click onde temos de ajudar uma pobre menina russa a atingir os seus sonhos. Estou a falar de Elegy - The Girl On The Moon de Deze Lyu, um bonito e curto jogo que podemos encontrar hoje grátis na App Store.


Este não é nenhum conto de fadas, mas sim a dura realidade de muitas crianças, neste caso passado na Rússia, muito possivelmente. No jogo controlamos as acções e movimentos de uma menina que apenas quer agradar aos seus pais, que claramente a negligenciaram e pouco querem saber dela.

Quando a realidade não tem nada de interessante, há que sonhar, e é mesmo isso que a menina faz, ela quer sentar-se na lua a olhar para as estrelas, e teremos que ajudá-la a atingir esse objectivo de sonho. O jogo conta com dois finais, e temos de garantir que fazemos tudo para que o seu sonho não seja o final da sua vida.


A aventura não é muito longa, e trata-se de um típico jogo point-and-click onde temos de tocar nos objectos e pessoas que encontramos para perceber para que servem e que acções podemos tomar. Há dicas que nos são dadas através de pequenos balões, o que nos indica o caminho a seguir e o que temos de fazer para avançar no jogo. Encontrar alguns objectos específicos, combiná-los, usá-los com outros objectos e pessoas, etc.

É um jogo que requer alguma paciência, mas como não é muito longo só temos de ter atenção aos pormenores e cumprir todos os objectivos antes de chegarmos ao desejo final da menina. Os gráficos apesar de minimalistas estão muito bem adequados à história, assim como a banda sonora. É uma história potente, que apesar de ser curtinha, tem por trás uma mensagem bem actual e relevante.


Elegy - The Girl On The Moon na App Store

Tamanho: 56.7 MB

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Bloku!

Ando sempre à procura do meu próximo vício no universo Tetris, e o recém chegado Bloku! de Abdullah Firat, parece ser mesmo aquele remédio que o médico recomendou para tirar o comichão, um jogo que podemos encontrar grátis na App Store.


Esta é uma interpretação interessante do conceito do Tetris clássico, onde temos os blocos a aparecer de baixo para cima, e para fazer linhas temos de eliminar blocos do ecrã, obedecendo ao desenho dos blocos que temos apresentados em cima. Só podemos eliminar blocos com aqueles formatos, e temos de ter muito cuidado para não deixar chegar os blocos ao topo do ecrã.

Este é um High Score chaser, da mesma maneira que o Tetris, pois o nosso objectivo é aguentar no jogo o máximo de tempo que conseguirmos sem perder, ao mesmo tempo atingindo uma pontuação considerável e eliminar toda a concorrência no quadro de pontuações mundial.


Sempre que eliminamos uma linha activamos o combo multiplicador de pontuação, e se continuarmos a eliminar linhas de forma seguida esse combo continua activo, aumentando de 1x para 2x, para 3x, por aí fora, o que nos permite conseguir pontuações mais altas mais rápido.

Corremos o risco de chegar ao topo mais rápido, mas isso já vai da estratégia de cada um. O jogo é fácil de aprender, mas a estratégia ideal vai levar algumas jogadas a dominar, pois é muito fácil ficar com blocos orfãos a subir pelo ecrã acima e nenhuma maneira de os eliminar a não ser tentar fazer linhas em baixo para os fazer descer. Não se admirem se ficarem colados ao jogo como eu fiquei, a tentar aguentar cada vez mais tempo com vida. Um excelente exercício para treinar o cérebro, não percam.


Bloku! na App Store

Tamanho: 73.7 MB

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Isometric Squares - puzzle ²

Aqui está um belíssimo jogo onde temos de encaixar uma data de quadrados numa grelha, dando-nos a opção da dificuldade com que queremos concluir o jogo. Estou a falar de Isometric Squares - puzzle ² de Wojciech Wysocki, e está neste momento grátis na App Store.


Cada nível arranca com uma grelha onde estão colocadas algumas peças quadradas umas em cima das outras. A nossa tarefa é retirar estas peças uma a uma e ir preenchendo os espaços vazios da grelha. Num instante vamos andar a retirar as peças todas da grelha para poder ver onde melhor encaixá-las porque vamos começar a dar por nós sem soluções possíveis bem rapidinho.

O jogo pode ser jogado com a câmara numa perspectiva em 3D, mas os controlos não ajudam, e apenas recomendo a pessoas com muita paciência para descobrirem onde colocar as peças. De qualquer maneira o modo em 2D é super divertido e também ele bem desafiante, com 50 níveis para resolver.


E não pensem que é pouco, porque cada nível tem 5 níveis de dificuldade, o que representa um puzzle diferente para cada um dos níveis de dificuldade. Isto dá 250 puzzles diferentes para resolver, mais coisa menos coisa. A ideia é não ficarmos presos num nível, bastando jogá-lo num nível de dificuldade mais baixo, e assim poder passar ao próximo desafio.

O melhor mesmo é resolver todas as dificuldades, que assim temos muitos mais puzzles para resolver. Já sabem, se é de um desafio que gostam, então toquem no botão da câmara, saltem para o modo de perspectiva 3D, e desejo-vos boa sorte com isso. O jogo está agora gratuito na App Store, e vale bem a pena.


Isometric Squares - puzzle ² na App Store

Tamanho: 115.9 MB

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Run The Beat - Hot Songs

Um belíssimo jogo que apareceu este mês e me tem dado conta do meu tempo livre é este Run The Beat - Hot Songs da Mousetrap Games, um jogo de ritmo e plataformas, e também um quebra cabeças daqueles lixados que podemos encontrar agora grátis na App Store.


Não é um Guitar Hero, mas tem algumas nuances deste grande clássico. Jogar um jogo de plataformas ao ritmo da música não é propriamente novidade, mas este Run The Beat - Hot Songs está muito bem conseguido, e conta com músicas de excelente qualidade criadas pela banda do jogo, assim como alguns hits famosos da música mundial.

O jogo arranca em modo de tutorial, explicando-nos que temos de saltar por cima de obstáculos de cor azul, e por vezes para além do obstáculo à nossa frente temos também em baixo uma bola azul a indicar qual o momento em que temos de tocar no botão para saltar (esta é a parte Guitar Hero).

Mas o jogo vai complicando, e ainda bem, tornando-se num desafio espectacular que nos faz voltar uma e outra vez sem parar. A mecânica do jogo vai avançando na medida em que para além do botão para saltar azul, passamos a ter também um botão laranja para nos abaixarmos dos obstáculos laranja, um botão rosa para atingir os obstáculos e inimigos cor de rosa, e um botão com um olho para nos tornar invisíveis e conseguir assim atravessar nuvens de fumo sem sofrer qualquer dano.


Com vários modos de dificuldade (o que aumenta o número de botões assim como os obstáculos que nos aparecem à frente), é possível jogar também num modo livre sem stress, ou num modo Arcade, onde as regras são ligeiramente diferentes.

Podemos jogar as vezes que quisermos as músicas que já desbloqueamos, e para desbloquear novas músicas (assim como as pistas dos artistas famosos), é só concluir o nível e música anterior, e gastar moedas e chaves, tudo coisas que podemos coleccionar sem gastar um tostão.

Como é óbvio, é possível pagar coisas com dinheiro para desbloquear as coisas mais rápido, mas sinceramente os desafios e músicas são tão porreiros (assim como o síncronismo dos obstáculos com a música), que queremos mesmo é jogar e jogar até conseguir desbloquear tudo por nosso próprio mérito.


Run The Beat - Hot Songs na App Store

Tamanho: 300.3 MB

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Table Top Racing: World Tour

E eis que está de volta, passados 4 anos depois do último Table Top Racing Premium Edition, o famoso jogo onde corremos com umas autênticas micro machines em cenários onde tudo é gigante, temos agora disponível na App Store o novo Table Top Racing: World Tour da Playrise Digital, com muitas mais pistas e carros, modos de jogo online e multi jogador, e compatibilidade com Apple TV e controladores MFi e outros.


Neste novo jogo especialmente direccionado para os fãs das corridas de carros, temos 32 pistas espectaculares que atravessam 8 temas bem diferentes, passando pela mesa da cozinha, a mesa de trabalhos numa oficina, a mesa para um almoço espectacular numas férias tropicais, uma mesa numa estância de ski, etc, etc.

As pistas são bem atractivas e todas elas têm vários desvios secretos que podemos tomar para ganhar vantagem sobre os nossos adversários assim como ganhar algum dinheiro extra. Mas não podemos esquecer que este jogo vive bastante dos carros que podemos adquirir, e desta vez temos 16 micro machines, desde o carocha ao típico carro musculado americano, até à carrinha para ir de férias com a família.


Como já é conhecido de outros jogos clássicos de corridas, temos poderes para apanhar durante a corrida, que tanto podem servir para dar um turbo extra ao nosso carro, como para nos dar armas para atacar os adversários e atrasar assim o seu progresso na corrida. Coisas como mísseis, bombas EMP (Pulso Electromagnético), raio congelante, etc, etc.

Mas desta vez para além destes poderes e armas que podemos agarrar durante a corrida, podemos também adquirir e melhorar uma série de rodas especiais que se transformam em armas que podemos activar no seu próprio botão no ecrã, e que farão toda a diferença para o resultado final da corrida.

Mais importante são os vários modos de jogo que temos disponíveis, que nos levam a atravessar mais de 180 eventos no total, o que nos dá imensas horas de jogo. Aliado a isto a compra dos carros que mais gostamos, cada um com características e comportamentos específicos, o melhoramento da aceleração, velocidade e comportamento da direccção, e ainda e personalização do aspecto do carro, há mesmo muita coisa para fazer em Table Top Racing: World Tour.



O jogo conta com um modo online onde podemos ter 8 jogadores de qualquer parte do mundo a competir com os seus carros, e um modo split-screen (horizontal ou vertical) onde podemos jogar contra a A.I. ou contra um amigo, desde que cada um tenha o seu próprio controlador MFi ou os bem conhecidos PS4 Dualshock ou controlador XBOX.

Ao nível de controlos, prefiro bastante usar os joysticks, mas os controlos no ecrã do iPhone também estão interessantes. O carro acelera automaticamente e só temos que tocar nos lados para o fazer virar nessa direcção, e o travão passa a estar imediatamente disponível no lado oposto para onde estamos a virar. Parece estranho, mas ao fim de uma corrida ou duas já nos habituamos. Complicado será acertar no timing para fazer derrapar o carro nas curvas ou acertar com um arranque rápido quando se inicia a corrida.

É de notar que os gráficos continuam impecáveis, e foram extremamente melhorados para esta versão comparando com o último jogo. E para quem tem uma Apple TV vai ficar maravilhado com a qualidade gráfica nativa de 4K a 60Hz, o que dá muito jeito para se jogar em split-screen contra um amigo ao nosso lado no sofá. A banda sonora break-beat é qualquer coisa, produzida por Wes Smith da Juice Recordings, é super variada e mantém-nos ali agarrados à estrada com a adrenalina no máximo. Um jogo a não perder para qualquer fã de jogos de corridas.


Table Top Racing: World Tour na App Store

Tamanho: 3.1 GB

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Pixelmator Photo: Pro Editor

Se andam à procura de um Photoshop para editar as vossas fotos num iPad, então apressem-se que este Pixelmator Photo: Pro Editor da Pixelmator Team, está neste momento grátis na App Store, uma promoção temporária, por isso há que dar gás.


Com suporte para imagens RAW (mais de 500 câmaras diferentes), ajustes inteligentes com Machine Learning, cortes mágicos de objectos que não queremos que façam parte da imagem, filtros a simular a maioria dos filmes analógicos conhecidos, ajustes de cor com a qualidade reconhecida dos melhores softwares de desktop, etc.


Temos ainda o suporte a Batch Editing, onde podemos alterar com apenas um toque uma série de imagens de uma única sessão de fotos. Inteligência artificial e machine learning para ajustar automaticamente as fotos, melhorando-as consideravelmente (depois de ter aprendido com mais de 20 milhões de imagens).

Esta é uma app que já foi escolha dos editores da Apple na App Store, e tem tido boas críticas por essa internet fora. É de aproveitar a promoção, que não é todos os dias que nos oferecem um software tão potente como este para iPad.


Pixelmator Photo: Pro Editor na App Store

Tamanho: 186 MB

terça-feira, 26 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Crazy Caps

Estamos em modo Black Friday e há muitos jogos em promoção na App Store neste momento. Há também alguns clássicos bem antigos a ficarem temporariamente grátis, como é o caso deste Crazy Caps de Zhou Rui, um belíssimo jogo do género match-3 cheio de twists e mecânicas inovadoras.


Quase que se podia dizer que este jogo foi feito para se jogar mesma na vida real, pois bastaria colocar as cápsulas em cima da mesa, e começar a movê-las para conseguir eliminá-las a todas da mesa. E é isto que temos de fazer em Crazy Caps, trocar umas com as outras (desde que sejam adjacentes) de maneira a obter 3 ou mais cápsulas da mesma cor em linha para eliminá-las do ecrã.


O jogo varia bastante na sua mecânica pois vão aparecendo todo o tipo de cápsulas malucas que mudam completamente a maneira de jogar. Temos cápsulas aliens que trocam as cores de todas as cápsulas à sua volta, cápsulas bomba, cápsulas atómicas, cápsulas que pintam todas as outras da mesma cor, etc, etc.

O jogo conta ainda com 3 modos de jogo diferentes, um clássico, um dividido por desafios a ver quanto tempo nos aguentamos, e um modo de puzzle, onde temos de aproximar 3 passarinhos um do outro para conseguir passar uma série de desafios uns atrás dos outros. Este é um jogo bem antigo, mas que envelheceu muito bem, e continua a ser muito divertido e viciante. Não percam!


Crazy Caps na App Store

Tamanho: 43.9 MB

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

NOX – Escape Games

Onde andam os fãs de jogos do género room escape? Hoje venho-vos falar de NOX – Escape Games da Everbyte, um jogo que nos coloca numa mansão com muitos quartos para desbloquear, uma série de puzzles e mini jogos para resolver, e podem encontrá-lo completamente grátis na App Store.


Sem qualquer memória de como fomos ali parar nem quem somos, começamos presos numa cela, de onde teremos que escapar, apenas para ir avançando de quarto em quarto numa enorme mansão, procurando chaves para abrir portas, códigos para abrir cadeados (o clássico dos jogos do género room escape), e muitos puzzles para resolver.


O que este jogo tem de apelativo para além dos puzzles desafiantes, é a opção por incluir pequenos mini jogos aqui e ali. Quando estamos à espera de mais um puzzle para resolver, eis que nos aparece um pequeno jogo à frente, que é também ele uma espécie de puzzle a ser resolvido, mas em modo jogo no qual teremos que usar o iPhone como controlador.

O jogo inova também no aspecto em que temos de rodar a câmara para obter uma visão total dos quartos que estamos a visitar, e há que notar que os gráficos são bem cuidados e um deslumbre para a vista. Há muita coisa interactiva no ecrã, há objectos a combinar uns com os outros no inventário, e no geral um grande mistério a ser resolvido para fãs deste tipo de jogo e mesmo para os novatos.


NOX – Escape Games na App Store

Tamanho: 367.8 MB

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Ubi's Dimensions

Desde o aparecimento do fabuloso jogo Monument Valley, a perspectiva 3D e os desafios criados à volta de mundos a fazer lembrar os desenhos de M.C. Escher são uma constante em outros jogos também eles fantásticos. É este o caso do recém chegado Ubi's Dimensions de Timi Koponen, um jogo gratuito carregado de puzzles criados à mão onde vamos testar ao máximo a nossa noção de perspectiva.


A mecânica deste jogo varia entre aquela que podemos observar em Monument Valley e aquela que é bem conhecida em jogos do estilo do clássico Sokoban. O nosso herói, Ubi, está perdido algures num mundo multidimensional, e a única maneira de encontrar uma saída é caminhar em direcção a um cristal estranho que o transporta de desafio em desafio, até chegar finalmente a uma conclusão.

Para chegar a este cristal temos de levar Ubi até ao cristal, ora tocando no local para onde queremos que ele caminhe, ou deslizando o dedo no ecrã na direcção em que queremos que ele se mova. Este mundo obedece à gravidade, e portanto é possível levá-lo a cair no limbo se não houver uma rampa sobre a qual ele consiga caminhar.


Temos portanto de procurar estas rampas, o que o levará a caminhar de pernas para o ar, e obrigando-nos a rodar o ecrã com dois dedos (ou usar as setas disponíveis no ecrã), para conseguir visualizar qual o caminho a seguir (quase como se estivessemos a resolver um cubo de rubik).

A certa altura começamos a ver caixotes a impedir o nosso caminho, os quais temos de nos livrar, fazendo-os cair no limbo, ou então encontrar um caminho alternativo, ou mesmo usar estes cubos para nos ajudar a chegar ao nosso destino, arrastando-os como no jogo Sokoban.

O jogo conta com 50 níveis desenhados à mão, e a partir de um certo nível começamos a observar um pedido para adquirir o jogo (3,99€), ou então visualizar um vídeo com publicidade. Se apreciam o jogo e querem agradecer o criador do jogo pelo seu trabalho, invistam na compra in-app. Mas se não o quiserem fazer, é completamente possível jogar o jogo até ao final visualizando estas pequenas publicidades antes de cada nível (é possível ultrapassá-los ao final de 5 segundos). Um jogo bem desafiante que recomendo vivamente a todos os fãs de puzzles e quebra cabeças.


Ubi's Dimensions na App Store

Tamanho: 123.1 MB

quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Minecraft Earth

Pode-se dizer que sou um grande fã de jogos de construção, e não há dúvidas que neste campo o jogo Minecraft bate toda a competição, mesmo havendo preferências diferentes entre os jogadores deste tipo de jogos. A grande notícia do dia é a chegada do jogo Minecraft Earth da Mojang, que nos permite construir em Realidade Aumentada no mundo real à nossa volta, e podem encontrá-lo hoje grátis na App Store.


Em Minecraft Earth podemos construir exactamente como no jogo original Minecraft, a grande diferença aqui é a possibilidade de fazê-lo no mundo real, inclusive construir algo em colaboração com amigos, e estas construções ficam lá disponíveis no local onde foram deixadas para toda a gente ver.

Há um aspecto do jogo que nos põe a caminhar no mapa como se estivessemos a jogar Pokémon GO, mas em vez de encontrar Pokémons, andamos à procura de materiais para adicionar ao nosso inventário, para podermos depois usar nas nossas construções.

Também há aventuras nas quais podemos participar, e há muita cooperação entre jogadores como se pôde ver na apresentação do jogo ao vivo no evento da Apple, inclusive combates e muitas outras coisas deslumbrantes, como criar um edifício enorme, e depois andar a caminhar no seu interior em realidade aumentada. Um jogo a experimentar com toda a certeza, e que me parece bem mais porreiro para incentivar as pessoas a passearem na rua à procura de materiais para as suas construções.


Minecraft Earth na App Store

Tamanho: 193.2 MB



terça-feira, 19 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Nearly - Location Reminders

A app de lembretes nativa que vem com o iPhone é extremamente potente, com a possibilidade de criar diferentes listas de lembretes, lembretes geolocalizados, lembretes para quando enviamos mensagens para alguém, etc. Mas para aqueles que necessitam de algo mais específico, como por exemplo lembretes para quando nos estamos a aproximar de localizações onde temos de fazer algo ou comprar alguma coisa, então esta Nearly - Location Reminders de Ryan Kaminsky, é a app ideal, e está hoje grátis na App Store.


Imaginem uma app de lembretes, onde todos os lembretes estão associados a uma localização específica. Temos um lembrete para passar nos correios para comprar envelopes, um lembrete para nos avisar que temos de comprar leite quando passarmos perto do supermercado, um lembrete a avisar para comprar pão naquela pastelaria favorita, um lembrete para dizer olá aquele amigo que já não vemos há algum tempo, e todos estes lembretes disparam apenas quando estivermos perto das localizações associadas.

Isto é muito interessante, porque primeiro mostra-nos uma lista dos lembretes por distâncias às localizações guardadas. Vemos primeiro os lembretes das localizações mais próximas, o que por si só já é algo bem útil, e que se fizermos navegar até cada um dos locais nesta lista, vamos concluir todas as tarefas da maneira mais rápida e eficaz, não andando a passear desnecessáriamente entre locais distantes.

E depois porque é uma app com lembretes que podemos esquecer, que sempre que nos aproximarmos das localizações aí indicadas seremos avisados que há algo para fazer nessa localização. Portanto, muito útil para o dia a dia, e extremamente útil no caso de termos várias tarefas para fazer num determinado local, onde basta tocar na próxima notificação que surgir a lembrar de algo, e fazer navegar até ao local usando os mapas da Apple.

Como é uma app específica só para isto, torna-se mais interessante de usar do que a app de lembretes nativa do iPhone. A apresentação da app e o seu interface são simples e completamente direccionados para a conclusão destas tarefas geolocalizadas. Como app gratuita, não há que enganar, é mais uma daquelas apps bem úteis de ter instaladas no iPhone.


Nearly - Location Reminders na App Store

Tamanho: 4.7 MB

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

NABOKI

Como os seus jogos anterioresNABOKI de Maciej Targoni, é mais um belíssimo jogo minimalista carregado de puzzles e quebra cabeças para resolver, especialmente indicado para todas aquelas pessoas que adoram perceber como se resolve um problema quando não há quaisquer instruções ou pistas de qualquer tipo.


Um jogo com uma banda sonora lindíssima, que nos põe logo num estado zen bem relaxante, arrancamos com um cubo com uma seta desenhada numa das suas faces, que indica a direcção que este vai tomar ao tocarmos nessa mesma seta.

De seguida percebemos que podemos rodar esse cubo, encontrando novamente a seta, e activando-a para que mais uma vez o cubo desapareça do ecrã, levando-nos para o próximo desafio. Desta vez, vários cubos, todos com setas, e não há dúvidas daquilo que temos de fazer.


O jogo agarra neste conceito de rodar as peças e procurar as setas para retirar os cubos do ecrã, e expande-o ao longo de vários níveis com novas mecânicas, novos interruptores que nos permitem rodar os cubos sobre si mesmos, cubos que não se mexem, cubos que pode ser deslocados do seu lugar com alavancas, etc, etc.

Não há instruções, não há pistas, somos apenas nós, a música relaxante, e o explorar da peça que temos na frente à procura de respostas, à procura de nos vermos livre das várias peças que temos à nossa frente, para sermos transportados para o próximo desafio, até voltarmos ao início, muitos e muitos puzzles depois.


Como é costume nos jogos de Maciej Targoni, todos os seus puzzles minimalistas são espectaculares e são uma bela ginástica mental. Pelo preço de 1€ não podíamos ficar mais bem servidos do que isto. São daqueles jogos que volta e meia volto a jogar, pois são uma delícia de resolver, e recomendo vivamente, mesmo às pessoas que não jogam normalmente estes tipo de quebra cabeças.

Se estiverem com curiosidade mas não sabem bem se é o vosso tipo de jogo, então experimentem a demo grátis online, que nos deixa resolver dezenas e dezenas dos puzzles presentes no jogo para perceberem como é que tudo funciona, e se é do vosso agrado.


NABOKI na App Store

Tamanho: 134 MB

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Mole Playing

Caio muito facilmente no vício destes jogos onde temos de avançar por uma masmorra adentro a toda a velocidade enquanto vamos combatendo monstros e coleccionando tesouros. Hoje estreou-se mais um jogo deste género chamado Mole Playing que nos chega pelas mãos da ASNET, e podem encontrá-lo agora grátis na App Store.


Um dos meus favoritos deste género é o jogo Sprint RPG, que já falei aqui antes, e este Mole Playing é quase a mesma mecânica, mas em vez de ser visto na primeira pessoa enquanto avançamos em frente na masmorra, aqui é mais tipo jogo de plataformas enquanto vamos avançando da esquerda para a direita e vice versa.

Já repararam no nome do jogo? Belo trocadilho com Role Playing, que é um dos estilos presentes neste jogo. E então tudo se processa da seguinte forma, temos uma barra de energia em cima que começa a descer de imediato a uma velocidade estonteante, porque parar é morrer, e neste caso é mesmo literal. Temos de estar em constante movimento se não queremos morrer de imediato.

O único problema? É que sempre que nos enganamos perdemos ainda mais energia e então aí é que morremos mesmo mais depressa. E que comandos são estes? Temos em baixo no ecrã uma série de botões como por exemplo duas setas que nos permitem andar para a esquerda e para a direita, uma seta para saltar, um botão para atacar com a nossa arma, e um botão para activar o escudo.


Estes são os comandos que temos de usar em cada movimento que damos na masmorra, e não podemos falhar, não mais que duas ou três vezes pelo menos, senão lá se vai a energia. E para recuperar a energia é só acelerar, que andar depressa faz com que a energia se recupere sozinha, ou então apanhar os vários corações que andam espalhados pelo castelo, normalmente nas escadas.

Como é que se falha a dar comandos perguntam vocês? Então, se o caminho estiver livre, temos de usar uma das setas, para a esquerda ou direita, conforme o lado para onde estamos virados. Se estivermos com degraus à frente, temos de usar o botão para saltar. Se nos depararmos com um monstro ou uma arca, temos de usar o botão para atacar, e se por acaso o monstro demonstrar que nos vai atacar, temos de usar o escudo.

E pronto, é mais ou menos isto, só temos de repetir e repetir e repetir, e começar a fazê-lo cada vez mais rápido e mais rápido. À medida que vamos avançando cada vez mais para cima no castelo, começam a aparecer novos monstros com novas mecânicas de ataque e defesa, que nos obrigam a usar a memória para saber o que fazer em cada momento.

As moedas que vamos apanhando podem ser usadas para mudar o aspecto da nossa toupeira, seja armamento e escudo como cabeça e roupa. Ou então poupamos para desbloquear o outro cenário disponível para além do castelo, o que implica chegar às 1000 moedas. O jogo tem publicidade que não me apareceu uma única vez, e podem visualizá-la opcionalmente para ganhar mais moedas. Um belíssimo jogo, super simples, daqueles que nos deixam viciados e não conseguimos pousar tão rápido.


Mole Playing na App Store

Tamanho: 111 MB

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Micro Breaker

Podem esquecer todos os jogos que já viram para iPhone dentro do mesmo género do clássico Arkanoid. Este é um tipo de jogo que já me acompanha desde míudo e sou mesmo grande fã, mas confesso que fiquei de boca aberta com a espectacularidade deste Micro Breaker de Marcin Kloc, um brick breaker gratuito que quebra barreiras, de todas as formas possíveis e imaginárias.


Vamos colocar já de lado o mais óbvio, que o jogo é lindíssimo. Com um visual 3D incrível, temos aqui uns efeitos especiais visuais e sonoros que ultrapassam todos os jogos que já vi deste género para iPhone e iPad. E para os 123 MB dá para perceber que optimização é algo que se quer, e portanto o jogo corre a um frame rate altíssimo, sem qualquer atraso ou glitch num iPhone X.

Mas agora falando do quão brilhante este jogo é, e como a sua mecânica nos vai surpreendendo com twist atrás de twist à medida que vamos avançando de nível. Primeiro é um clássico brick breaker, onde controlamos uma "raquete" na parte inferior do ecrã, e temos de bater na bola de maneira a que esta vá destruíndo todos os tijolos que se encontram em cima.

E depois o jogo entra em velocidade warp e desaparece completamente da mira de todos os jogos dentro do mesmo género. Para além dos clássicos poderes que nos ajudam a vencer (e a perder, por isso evitem os poderes vermelhos), temos uma série de poderes que nunca vimos em lado nenhum, como de repente uma bola que salta no ecrã, ou uma bola que vai aos zigue-zagues completamente descontrolada.


A própria raquete pode ser usada para dar maior força à bola, bastando para isso aplicar mais força e velocidade e lá vai a bola a toda a velocidade contra os tijolos. Os próprios tijolos podem ser empilhados em altura, e há até níveis de chefes, onde os próprios blocos ganham vida e jogam contra nós.

Aliado a tudo isto temos a possibilidade de jogar o jogo com o iPhone na vertical, onde podemos observar o jogo visto de cima, ou então na horizontal, onde passamos a ver o jogo como no vídeo acima, numa visão mais primeira pessoa, bem mais próxima do chão.

Há um modo de realidade aumentada para activar que funciona de forma espectacular, colocando-nos no meio da acção, e onde podemos mover o iPhone para visualizar o jogo de vários ângulos, mais perto, mais longe, o que nos apetecer, é simplesmente incrível. A jogabilidade é qualquer coisa fora do normal, e é um daqueles jogos que não queremos pousar.

Há mil e um poderes para adquirir, melhores raquetes, publicidade para visualizar para ganhar vidas e mais poderes, e até publicidade forçada que aparece de vez em quando, e que pode ser eliminada com uma compra in-app. Jogo do caraças, não percam aquele que é agora para mim o melhor jogo do género Brick Breaker.


Micro Breaker na App Store

Tamanho: 123.3 MB

terça-feira, 12 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Racing Fever 2

Um novo jogo de corridas acabadinho de estrear onde temos de acelerar ao máximo numa estrada em linha recta com muitos carros a circular na mesma para dificultar a nossa condução, é aquilo que este Racing Fever 2 da Gameguru tem para nos oferecer, e podem encontrá-lo hoje grátis na App Store.


Este jogo tem  um aspecto soberbo com uns gráficos 3D incríveis, e uma sensação de velocidade que só vista para se acreditar. Aqui não há curvas, temos apenas uma enorme estrada em linha recta, com 3 ou 4 faixas, e muito trânsito a dificultar a nossa corrida, o que nos obriga a conduzir saltitando entre faixas para evitar os carros que se encontram à nossa frente.

Não haver curvas faz com que este jogo seja mais drag race que outra coisa, mas eu diria que é mais um jogo bem realista, onde qualquer pessoa poderia fazer isto pegando no carro e fazendo-se à estrada e correr no meio do trânsito, o que é com toda a certeza ilegal (e que faz com que apareça a polícia atrás de nós em algumas situações no jogo).


O modo carreira está cheio de desafios diferentes para competir, seja contra o tempo, seja eliminação contra outros adversários, e em cada prova há sempre um boss contra quem correr. Todas estes desafios dão-nos prémios fantásticos em forma de dinheiro e cartas com peças para o carro ou mesmo personalização do seu aspecto geral.

As cartas que vamos ganhando podem ser usadas para melhorar vários aspectos do carro, que influenciam a aceleração, a velocidade máxima do carro, a capacidade de manobra, etc, etc. À medida que vamos vencendo provas vamos também ganhando a capacidade de desbloquear novos carros, cada vez mais potentes, e quantos mais melhor, porque podemos decidir antes de cada prova qual o carro a levar para a corrida.

O jogo é Freemium por isso já sabem que podem contar com algumas publicidades em vídeo aqui e ali, essencialmente só se quisermos ganhar mais coisas para avançar mais rápido no jogo. E como tal há o combustível e energia a ter em conta, que quando se acaba temos de aguardar que se preencham automaticamente, ou adquirir com créditos do jogo ou mesmo visualizando publicidade.


É aqui que dá jeito ter mais de um carro, que se um estiver sem combustível, basta pegar noutro carro, e não temos de esperar muito para continuar a correr. Subir de nível faz com que todos os carros fiquem com o combustível no máximo de imediato, por isso nunca temos de parar de jogar se não quisermos.

Para além do modo de carreira o jogo conta ainda com um modo de condução livre onde apenas temos de nos fazer à estrada e ver quantos quilómetros conseguimos aguentar no meio do trânsito cada vez mais caótico, e com os carros constantemente a mudar de faixa, isto para ganhar prémios e melhorias, claro.

Há nitrogénio para usar (e podemos ganhar mais bastando passar razias aos carros que vão na estrada, evitando bater neles obviamente), há 2 modos de controlo (tocar no ecrã ou acelerómetro), há vários ângulos de câmara disponíveis, como se pode ver pelas imagens mais acima, e está até prometido um modo multijogador para um futuro próximo. Seja como for, temos aqui um belo racer gratuito, ideal para quem não aprecia muito andar a fazer curvas e drifts, etc. Conduzir no meio do trânsito é um desafio muito interessante, e está muito bem representado neste jogo, por isso não percam.


Racing Fever 2 na App Store

Tamanho: 406.7 MB

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Fill the Hole 3D

Com a chegada das chuvas os buracos na estrada são uma constante, obrigando a cortar estradas ao trânsito até que venha alguém reparar o problema. É aí que entra este Fill the Hole 3D da ThinkCube Inc., um jogo que nos põe a tapar buracos e que podem encontrar gratuito na App Store.


Têm aparecido nos últimos anos muitos jogos do género onde temos que preencher os espaços com uma data de blocos que fazem lembrar os blocos do Tetris. Em Fill the Hole 3D este conceito é expandido e reinventado, passando a contar com uma pequena história, onde temos uma estrada a encher-se de buracos, e nós a ser chamados ao serviço de preencher estes buracos com os blocos que nos são fornecidos em baixo, e assim reparar a estrada danificada.

Mas o conceito vai ainda mais longe em termos de desafio, pois estes buracos começam a ter várias camadas e diferentes profundidades, assim como os blocos, que também eles passam a ter diferentes alturas. Tudo isto torna o jogo bem mais interessante que os habituais jogos deste género, e estranhamente satisfatório.

O jogo apela fortemente aquela satisfação que temos de preencher os espaços com os blocos que foram feitos para caber exactamente nesses lugares. É certo que alguns desafios lá mais para a frente a coisa começa a ficar bem mais complicada, e é aí que começamos a perder mais tempo para resolver estes puzzles, colocando a retirando blocos até acertarmos com a fórmula. Em cerca de 40 níveis nunca me apareceu nenhum vídeo de publicidade, portanto para mim o jogo é completamente grátis, e é de aproveitar que há aqui muitas horas de jogo pela frente para qualquer fã de puzzles e quebra cabeças.


Fill the Hole 3D na App Store

Tamanho: 112.8 MB

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

OmniBuzz - GPS Alarm for Transit

Receber um aviso quando chegamos a um local é algo possível de fazer no iPhone usando a app dos lembretes, mas para quem anda todos os dias nos transportes públicos ou está em viagem num local desconhecido, falhar uma saída pode ser a maior dor de cabeça, e por isso vos venho falar hoje desta OmniBuzz - GPS Alarm for Transit da Sparrogon, que podem encontrar grátis na App Store.


Primeiro, a app de lembretes do iPhone permite-nos criar avisos geolocalizados, que tanto nos avisam quando chegamos a um determinado local, ou quando saímos de um local. Isto é perfeito para ser usado como lembrete, mas não tanto para algo que se faça diariamente, como por exemplo avisar para sair do comboio / metro / autocarro em determinada estação, no caso de estarmos distraídos ou a dormir.

Os lembretes podem não disparar imediatamente, e quando o fazem enviam uma pequena notificação que pode passar despercebida. E depois misturam-se com os outros lembretes, e parece que temos sempre algo para fazer, e afinal é apenas o lembrete para nos avisar para sair num local, o que se torna confuso ter tudo na mesma app.

Para ser mais exacto e confiável, temos de usar uma app como esta OmniBuzz - GPS Alarm for Transit, que nos permite marcar um ponto no mapa, definir o raio de acção (a que distância do local é que queremos ser avisados), e escolher o tipo de aviso, se queremos com som, se queremos que vibre durante vários segundos, para ter a certeza que nos acorda, caso estejamos a dormir.

A app envia uma notificação para além do alarme configurável, e também conta com um muito útil widget que podemos verificar na central de widgets a qualquer momento, e que nos diz a que distância nos encontramos do local, sem ter de entrar na app. Isto dá jeito para quando andamos em viagem e temos de sair num certo local que não conhecemos, e vamos verificando no widget se estamos muito longe ou não.

A OmniBuzz usa o GPS em background, como qualquer app de navegação, por isso há que ter isso em conta quando estamos com pouca bateria no iPhone. O que é certo é que usando os lembretes do iPhone pode-se tornar uma confusão de coisas para fazer misturadas com estes avisos, e o aviso pode aparecer atrasado apenas quando já estivermos em movimento para outro local. Com esta app não há que enganar, quando estivermos a chegar perto do local recebemos o aviso que faltam 500 metros (mais ou menos, é configurável) para chegar, e isto com alarme sonoro ou uma vibração chata e prolongada que nos arranca de qualquer sono pesado.


OmniBuzz - GPS Alarm for Transit na App Store

Tamanho: 34.3 MB

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Super Fishermind

Um jogo de tabuleiro clássico que sempre achei fascinante por poder jogar sozinho e ser um belíssimo desafio para a mente era o Mastermind. Hoje estreou-se na App Store um novo jogo gratuito chamado Super Fishermind de Andrea Vallini, que nos transporta para um universo onde peixes coloridos são a chave do código a ser quebrado.


O objectivo do jogo é descobrir quais os 5 peixes coloridos que estão escondidos debaixo de água. Para o conseguir teremos que ir experimentando por tentativas várias combinações de peixes até chegarmos à solução. O jogo está bem concebido e tem a sua piada, com os iscos coloridos a serem colocados na água para fazer os peixes virem à tona, e revelar as pistas que teremos de usar para chegar à solução.

Temos de conseguir chegar à solução antes de se acabarem as 11 tentativas, senão perdemos o jogo. Do lado direito temos um quadro com a indicação se acertamos de alguma forma nos peixes que  escolhemos. Uma bola laranja diz-nos que temos um peixe da cor certa mas na posição errada, e um visto verde diz-nos que temos um peixe da cor certa na posição certa. Quando chegarmos aos 5 vistos verdes, quebramos o código secreto.

O jogo conta com vários modos e níveis de dificuldade diferentes. Podemos começar pelo Begginer, que nos permite jogar com apenas 5 peixes (um de cada cor), e o código secreto conta apenas com 5 peixes e sem que seja permitidas cores repetidas. Mas podemos partir de imediato para o modo Classic Easy, que passa logo para peixes de 6 cores, e que podem ser de cores repetidas, o que aumenta consideravelmente a dificuldade.

Junta-se a isso mais níveis de dificuldade, um modo onde jogamos contra o tempo, para aqueles que têm um cérebro a funcionar a 200 à hora, e ainda um modo de desafios para quem gosta mesmo de derreter o cérebro. Aconselho vivamente a passarem pelas definições do jogo e desactivarem a animação da água no fundo, pois torna-se demasiado irritante ao fim de algum tempo. Um óptima ginástica mental, Super Fishermind é muito engraçado e recomendo a todas as pessoas de qualquer idade.


Super Fishermind na App Store

Tamanho: 89.7 MB

terça-feira, 5 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Bastion by Supergiant Games

Considerado um dos melhores jogos Indie de 2012 na App Store e também nomeado pelos editores da App Store para ser colocado em destaque, Bastion by Supergiant Games, é aquele jogo RPG de acção com uma qualidade invejável, que ainda hoje se pode considerar um dos melhores jogos do género, e podem consegui-lo grátis por um tempo muito limitado.


O jogo original foi retirado da App Store e foi completamente renovado. Volta agora a aparecer na App Store e está temporariamente gratuito. O jogo é grátis, o que nos permite jogar o primeiro capítulo, uma espécie de tutorial que nos explica mais ou menos o que se está a passar e como controlar o nosso herói, e depois temos de avançar para uma compra in-app para adquirir o jogo na sua totalidade.

Durante um tempo limitado esta compra in-app é a custo zero, por isso apressem-se a jogar os primeiros minutos do jogo, até chegarem a um portal onde vos será dito que terão de adquirir o resto do jogo. Aí aparece a compra in-app que neste momento custa exactamente zero tostões, e é uma oportunidade que não devem desperdiçar.



A narração neste jogo é duma qualidade excelente, a voz é incrível e vai reagindo aos nossos movimentos e acções que fazemos no jogo. Só por isto o jogo vale tudo a pena, mas depois partimos para a parte gráfica, com os cenários desenhados à mão a fazer lembrar um comic, e todo o mundo 3D que vai aparecendo e desaparecendo debaixo dos pés do nosso herói.

O jogo foi reestruturado e adaptado para os ecrãs dos novos iPhones e iOS, vem carregado de acção, seja porrada neles ou tiro neles, podemos escolher quais as armas que queremos levar para o combate, um martelo, pistolas, arco e flechas, vocês é que sabem. Boa sorte na reconstrução de Bastion, e preparem-se para perder muitas horas a jogar este magnífico jogo.


Bastion by Supergiant Games na App Store

Tamanho: 1.4 GB

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Azarashi

Um jogo Arcade que ocupa apenas 1 MB, onde temos de testar os nossos reflexos ao máximo enquanto tentamos salvar umas pequenas focas transformadas em porta-chaves, é isso que o louco Azarashi da Studio Pixel tem para nos oferecer, e podem encontrá-lo hoje grátis na App Store.


Em Azarashi parece que estamos numa daquelas feiras onde temos de atirar dardos aos balões para ganhar os prémios que estão ligados aos mesmos. Aqui é uma versão parecida onde temos 3 pequenos porta chaves com focas que estão conectados a um fio. Esse fio vai sendo cortado cada qual com o seu tempo próprio, e nós teremos que ser rápidos a atirar um dardo que agarrará o porta-chaves, não permitindo que a foca caia no chão.

Claro que o timing é tudo, e os nossos reflexos vão ter de estar no seu melhor, que se atirarmos cedo demais acertamos com o dardo na cabeça da foca, e se não conseguirmos agarrar o porta-chaves antes que desapareça do ecrã, adeus foca.


O objectivo do jogo é apanhar os 3 porta-chaves o mais rápido possível em 3 séries diferentes. A primeira série é a mais fácil e mais lenta, e a 3ª série temos mesmo de estar concentradíssimos que as focas caiem a uma velocidade estonteante. Somados os pontos das 3 séries e obtemos a nossa pontuação final, que a partir de um certo valor começa a dar direito a prémios na forma de novos porta-chaves que podemos vê-los aparecer nos próximos jogos, como um gatinho fofinho, etc.

O jogo é extremamente simples, mas também muito viciante. Daqueles jogos em que queremos sempre fazer mais um jogo para bater a pontuação anterior, e porque queremos ver os novos porta-chaves, e tentar não matar as foca fofinhas com os nossos dedos cada vez mais ansiosos.


Azarashi na App Store

Tamanho: 1.1 MB

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Warsnake

Estamos numa altura em que os jogos andam a evoluir, especialmente aqueles géneros clássicos que pensamos não ser possível mudar ainda mais a fórmula como aconteceu recentemente no caso dos jogos match-3, e agora com este Warsnake da Moido Games Ltd., que nos traz o clássico jogo Snake completamente reinventado.


Ainda me lembro de ter o jogo Snake no meu Nokia, onde tinha de andar a passear com a pequena cobra no ecrã a comer todas as frutas que encontrava, e ao mesmo tempo a ter especial cuidado com o tamanho da sua cauda que não parava de crescer e começava a tornar-se um verdadeiro perigo.

Esta era a premissa do Snake original, tentar comer o maior número de frutas e aguentar o máximo de tempo possível no ecrã sem bater contra a nossa própria cauda. Depois apareceram algumas versões onde a cobra tinha de se mover no interior de um labirinto, mas nenhuma como este Warsnake que nos traz um autêntico 50% cobra 50% guerra.


Pois é, neste jogo encontramos a cobra num labirinto, que ainda por cima está às escuras, e que só nos deixa visualizar as paredes mais próximas da cabeça da cobra, o que torna tudo bem claustrofóbico. E depois como se isso não fosse suficiente, temos inimigos que andam por ali a passear e que dão cabo das nossas vidas se formos contra eles.

Como é 50% jogo de guerra, podemos disparar contra eles para os eliminar, e isto é altamente satisfatório. Tocando do lado esquerdo do ecrã, arrastando o dedo na direcção que queremos, permite-nos controlar o movimento da cobra, e do lado direito temos o disparo do canhão (tocar na parte superior do lado direito activa as bombas).

Disparar o canhã tem uma dupla função, e isto está muito bem pensado aqui neste jogo, pois permite-nos iluminar temporariamente o caminho na direcção do disparo. E para além de bem pensado, está também muito bonito ao nível gráfico, com uns efeitos visuais fantásticos.


O jogo funciona em modo de campanha, avançando missão a missão, cada uma com um determinado objectivo, como conseguir apanhar um x número de pedras preciosas e matar não sei quantos inimigos, e depois avançar para a saída. Passados alguns desafios, e como não podia deixar de ser temos um desafio extra onde encontramos o chefão, que é bem mais difícil de derrotar do que os pequenos bandidos que ele vai libertando para nos destruir.

Este é um jogo bem desafiante e super divertido, daqueles que não nos mata logo quando vamos contra uma parede ou inimigo, pois vamos perdendo a cauda da cobra até não restar mais cauda, e conta com uma banda sonora electrónica incrível estilo jogos dos anos 80 que não deixará ninguém indiferente. Se tiverem uma Apple TV podem até jogar contra outra pessoa, que há um modo multijogador especial só para a caixinha mágica da Apple.


Warsnake na App Store

Tamanho: 83.8 MB

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Promoção Halloween da Glitch Games

Mesmo a tempo do Halloween a Glitch Games colocou gratuitos 3 dos seus misteriosos jogos point-and-click do género Room Escape, onde temos de resolver uma série de puzzles e quebra cabeças para conseguir escapar do local onde nos encontramos e levantar o véu ao mistério que nos rodeia.


Já falei aqui de Forever Lost: Episode 1 HD e Forever Lost: Episode 2 HD, assim como do mais recente dos 3, The Forgotten Room. Mas a estrela desta promoção poderá mesmo ser o jogo All That Remains: Part 1, onde passamos a ter mais cenas animadas, um trabalho de vozes bem profissional, e um mistério bem mais interessante e assustador para resolver.


Os puzzles são uma grande componente de todos estes jogos, e são a parte central que atrai os fãs destes quebra cabeças misteriosos. No caso de All That Remains vestimos a pele de Campbell Price, um jovem a quem costumavam chamar de paranóico, mas estas vozes parece que perderam o pio, pois perderam a sua vida.

E nós encontramo-nos fechados num bunker e temos um único canal de comunicação com a nossa irmã que também ela está presa. Cabe-nos a nós descobrir como fugir do bunker, perceber o que se está a passar, e tentar salvar a nossa irmã. São bons a resolver puzzles? Têm aqui 3 jogos gratuitos de grande qualidade para provar as vossas capacidades de dedução.


Forever Lost: Episode 1 HD

The Forgotten Room

All That Remains: Part 1

terça-feira, 29 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

reky

Os jogos que mais aparecem aqui nos Apps do iPhone são mesmo os quebra cabeças, e basta seguir o link para perceber que são já às centenas, e na sua maioria tudo jogos de grande qualidade e com mecânicas e jogabilidade bem interessantes. Isto só acontece porque vão aparecendo sempre novas maneiras de resolver puzzles, e este reky de Andreas Diktyopoulos, é mais um a juntar a uma enorme lista de puzzles inovadores que marcam pela diferença.


Em reky controlamos uma pequena bola saltitona, a qual temos de levar até ao portal de saída em cada nível, que aparece assinalado com uns pequenos riscos animados. Digo isto porque a certa altura começamos a ter vários portais que podem ser atravessados pela nossa bola, que nos transportam entre diferentes localizações no nível, e há que saber qual é o portal final, o nosso objectivo e destino.

A mecânica de jogo é nova e portanto há que perder uns minutos a perceber como tudo funciona. Para mover a nossa bola é só tocar no local que queremos para onde ela vá, e está feito, como em qualquer jogo point-and-click. A ideia de cada nível será tentar estabelecer um caminho viável para que a bola consiga chegar até ao portal de saída.

Para isso contamos com as cores que pintam alguns dos blocos presentes no ecrã. Estes blocos podem ser movidos, bastanto deslizar o dedo sobre eles, o que nos permite obter novas passagens para a nossa bola. Ao passarmos sobre estes blocos coloridos podemos tocar no seu interior para transferir a sua cor para a bola, que pode dessa forma ser transferida para um outro bloco em branco, passando este bloco a ter a capacidade de ser movido da mesma forma que o anterior bloco.


Diferentes cores permitem que os blocos se movam de maneiras distintas, e é aqui que temos a parte do quebra cabeças para resolver. Há que mover vários blocos, ou por vezes apenas só um, brincar com as cores, atravessar portais, e contar com o botão de UNDO (voltar atrás) para não termos que reiniciar constantemente um mesmo nível. Sim, que isto com portais podemos acabar por ser transportados para um local de onde não haja saída possível.

Este é um jogo onde a partir de certo nível experimentar é a ordem do dia. Temos de perceber em que direcção certos blocos coloridos se movem, e para onde certos portais nos transportam. E só aí é que podemos começar a usar a lógica para perceber quais os movimentos a fazer e qual o melhor caminho até chegar ao portal de saída. Com 96 níveis para resolver, e um design incrível 3D a acompanhar, este é um jogo muito bonito que recomendo vivamente a qualquer fã de puzzles e quebra cabeças.


reky na App Store

Tamanho: 420.9 MB