sexta-feira, 10 de julho de 2020

Textual description of firstImageUrl

BE-A Walker

Em Maio andei um pouco distraído por causa do Covid-19 e do isolamento social, e passou-me ao lado este BE-A Walker da Games Operators, um belíssimo jogo de acção que é ao mesmo tempo um shooter e um simulador de caminhar, e que podem encontrar grátis na App Store.


Lembram-se do filme Avatar de 2009? A história deste jogo não anda muito longe da história desse filme, e portanto o que temos de saber é que a humanidade já não consegue viver no planeta Terra, e resolve procurar outros planetas para colonizar. Lá encontramos um planeta bem verdinho e com muita água, apenas com o problema de não se poder respirar o ar, e aquela coisa chata de já existirem lá habitantes, indígenas a quem vamos dar uma mãozinha (à volta do pescoço).

Os indígenas são bem agressivos, e conseguem penetrar as armaduras dos soldados com as suas setas gigantes, e cabe-nos a nós conduzir um Mech gigante, e defender a base dos colonizadores, e eliminar os indígenas sempre que nos atacarem. Para isso podemos usar as armas do Mech, e também os seus pés mecânicos para os esmagar.

Mas como eu mencionei no início, este é também um simulador de caminhar, e portanto há que controlar as pernas do Mech, o que juntando à parte em que temos de apontar a mira para eliminar os inimigos no chão, se torna uma tarefa bem mais complicada do que parecia à partida.


É possível tocar num botão que coloca o Mech em movimento automático, mas podem ter a certeza que vão querer usar o controlo manual das suas pernas, porque por vezes temos os inimigos debaixo dos nossos pés, e teremos mesmo que esmagá-los para continuar com segurança.

O jogo põe-nos do lado dos maus logo no início (dependendo do ponto de vista claro, sobrevivência da humanidade, ou sobrevivência de uma tribo que está a ser invadida), mas depressa nos vai deixar decidir de que lado queremos combater, e portanto num instante poderemos estar a combater as forças dos humanos, em defesa dos indígenas (exactamente como no filme Avatar).

Com uns gráficos espectaculares, assim como uma bela escolha no que toca a efeitos sonoros, o jogo ganha pela história, e pela escolha moral que nos obriga a fazer, o que nos leva a ter um jogo 2 em 1, podendo jogar contra os indígenas ou contra os humanos. Há muitos melhoramentos a fazer ao nosso Mech, e muitas horas de jogo pela frente. Não percam este magnífico jogo que conta com boas críticas no Steam.


BE-A Walker na App Store

Tamanho: 351.3 MB

quinta-feira, 9 de julho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Gatecrasher 2

Preparados para fritar o cérebro enquanto estão a jogar este Gatecrasher 2 de Ben Grant, um jogo gratuito extremamente simples mas altamente desafiante, que nos põe a perseguir a melhor pontuação enquanto controlamos dois feixes de luz?


Sim, este é um daqueles jogos que nos podem deixar os nervos em franja, e é um dos melhores exercícios para o cérebro, porque apesar de ser fácil controlar estes feixes de luz com apenas um dedo, o facto de eles funcionarem como espelho um do outro vão-nos destruir por completo.

Temos um feixe de luz cor de rosa e um feixe de luz amarelo, que avançam em paralelo, e pela frente aparecem uma data de portais coloridos, os quais temos de atravessar com o feixe de luz da mesma cor. Deslizando com o dedo no ecrã para os lados, percebemos que o feixe de luz cor de rosa acompanha o nosso dedo, e o amarelo move-se na direcção oposta.

Com os portais a surgirem de forma aleatória, ora de uma só cor, ora de cores alternadas, ora as duas cores ao mesmo tempo, e com a velocidade a aumentar, já estão a imaginar que isto não vai ser nenhuma tarefa fácil.

Um jogo para quem gosta de perseguir High Scores e obter a melhor pontuação do mundo, ou simplesmente aprecia um belo exercício para o cérebro, este é um daqueles jogos que podemos abrir todos os dias para uma corridinha, que só nos faz bem ao nossos reflexos, timing, coordenação, etc, etc. Boa sorte!

Nota: Ler a descrição do jogo, que é hilariante, e foi o que me fez experimentar este Gatecrasher 2 em primeiro lugar. :D


Gatecrasher 2 na App Store

Tamanho: 76.6 MB


quarta-feira, 8 de julho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Wave Redux

Primeiro estranha-se, mas depois entranha-se. É o que eu tenho a dizer sobre este Wave Redux de Tom Janson, um jogo Arcade de timing e reflexos com uma banda sonora espectacular, para relaxar ou para dar cabo dos nervos, e que podem encontrar hoje grátis na App Store.


O jogo chega-nos pelas mãos de Tom Janson, o criador de Sneak Master, um jogo que partilhei aqui no início do ano que também considerei muito bem conseguido e desafiante. E estes jogos simples são impressionantes, na medida em que nos podem deixar completamente viciados e a querer fazer jogo atrás de jogo sem parar, para conseguir chegar mais longe, ou conseguir uma pontuação cada vez mais alta.

O objectivo é simples, levar o nosso pequeno triângulo o mais longe possível sem embater em nenhum obstáculo. Há 4 níveis de dificuldade, 2 relaxantes, e 2 para queimar o cérebro e os nossos nervos. A jogabilidade também é diferente, dependendo se estamos nos níveis relaxantes ou nos níveis difíceis.

Se estivermos numa de relaxar, há 2 velocidades diferentes, e para controlar o nosso triângulo que desliza sem parar, apenas temos de manter o dedo no ecrã para que ele corra noutra direcção, e largando ele volta a correr na direcção original. É só isto, e claro, há que apanhar todos os blocos com cruzes e pedras preciosas, e outros blocos especiais que podem pôr o ecrã em constante rotação, que nos vai baralhar por completo as ideias.


Nos modos mais difíceis, também estes têm duas velocidades distintas, mas a jogabilidade muda por completo. Para controlar o movimento do triângulo temos de deslizar o dedo para cima e para baixo no ecrã, sendo que cada movimento corresponde a uma direcção diferente. O stress aqui é que o triângulo é tipo uma minhoca ou cobra, que vai diminuíndo de tamanho, e acaba por se destruir se formos lentos demais. Isto obriga-nos a estar em constante movimento, através de um labirinto cada vez mais curto e stressante.

O jogo é gratuito e é bem generoso no que toca a publicidade, apenas nos pedindo para visualizar um vídeo se quisermos reviver ao perdermos num jogo, ao invés de recomeçar outra vez do início, ou quando jogamos os modos de relax. Não deixem de experimentar o jogo e vão ver como ele é altamente viciante.


Wave Redux na App Store

Tamanho: 35.4 MB

terça-feira, 7 de julho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Donuts Delivery

Um quebra cabeças para gulosos, que começa de uma forma simples, mas que vai complicando lá mais para a frente, é este Donuts Delivery de Rakshak Kalwani, que nos põe a arranjar os pedidos de Donuts numa caixa para entregar aos clientes.


Colocar donuts numa caixa para entregar só vira um quebra cabeças a partir do momento em que os clientes são esquisitos e querem que os donuts venham com uma certa disposição. É exactamente essa disposição que aparece num papel do canto direito do ecrã, e a qual temos de seguir à risca.

Mas os donuts já estão quase todos na caixa, tirando um último que entrará apenas no final, portanto teremos que andar a arrastá-los de um lado para o outro, aproveitando o espaço vazio que temos na caixa. Já estão a ver que é inspirado livremente naquele jogo clássico de arrastar peças para conseguir obter a imagem correcta, mas de uma forma muito bem conseguida na minha opinião.

O desafio está em conseguir bater o menor número de movimentos para chegar à solução, cujo valor máximo aparece representado em cima ao centro. Se conseguirmos bater esse número, ganhamos as 3 estrelas, e não queremos menos do que isso, porque afinal de contas é um puzzle que queremos resolver da melhor maneira possível, certo?


Mas à medida que vamos resolvendo os desafios, começam a aparecer donuts com características especiais, como aquele donut que teima em não sair do lugar, ou aqueles dois que andam sempre aos pares, ou aquele que explode depois de ser movido duas vezes, ou ainda aquele que troca de lugar com outros donuts.

Tudo isto permite-nos chegar a puzzles que começam a ser bem mais complexos, e ainda mais quando começam a misturar vários destes donuts especiais. Com cerca de 200 puzzles para resolver, depois de passados os níveis mais fáceis, podem ter a certeza que vão começar a coçar o cérebro para resolverem aqueles lá mais para a frente.

As moedas que se ganham permitem-nos decorar a nossa loja de donuts, assim como a rua onde a loja está situada. Mas parece-me que é melhor guardarem as moedas para desbloquear donuts com aspectos diferentes (inclusive a representar as bandeiras de alguns países), que passam a figurar nas caixas que temos para arranjar. Com uma publicidade a aparecer a cada 3 ou 4 puzzles, nada que chateie num jogo com muito bom aspecto e extremamente bem concebido.


Donuts Delivery na App Store

Tamanho: 52.5 MB

segunda-feira, 6 de julho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Minesweeper Genius

Não é o primeiro a misturar o jogo das minas com picross, mas fá-lo com muita pinta e estilo. Estou a falar de Minesweeper Genius da Mother Gaia Studio, um jogo onde temos de ajudar Aristotle e a sua vassoura a limpar o laboratório infestado de bombas.


Temos portanto de encontrar bombas (ou melhor ainda, não encontrar, pois estas explodem), tentar descobrir a sua localização usando os números que aparecem nas lâmpadas em cima e à esquerda, e ao mesmo tempo caminhar até à saída de cada puzzle.

Normalmente nos jogos de picross e minesweeper, apenas temos de tocar no ecrã para ir seleccionando os espaços que nos parecem correctos e livres de bombas. Mas aqui temos de mover o nosso herói Aristotle desde a sua posição inicial até à saída final.

A ideia é então descobrir qual o caminho certo sem tropeçar em nenhuma bomba escondida. Para nos ajudar podemos colocar bandeiras sobre as posições que suspeitamos ter bombas. Para isso contamos com a ajuda das lâmpadas que nos dizem quantas bombas existem escondidas numa determinada linha ou coluna.


Os puzzles não são muito difíceis, e se usarmos as bandeiras e estivermos atentos às indicações das lâmpadas, depressa descobrimos o caminho. No entanto, à medida que os níveis vão ficando maiores, e com a introdução de algumas coisas extra, como por exemplo setas que nos fazem saltar umas posições pelo ar, e outras que movem todos os quadrados debaixo dos nossos pés, podem complicar um pouco a nossa tarefa.

Os verdadeiros fãs de puzzles devem evitar usar as bandeiras, pois assim é um verdadeiro trabalho de memória ter a constante noção do posicionamento das bombas sem qualquer ajuda. Outra coisa interessante é que cada nível é gerado aleatóriamente, portanto basta reiniciar um determinado desafio para que seja completamente novo e diferente do que estava ali antes.

Ao nível visual é um jogo muito bonito, e a sua jogabilidade é muito boa e simples. O nosso Aristotle não perdoa, e sempre que demoremos tempo demais a jogar, ele adormece e começa a ressonar, chato o suficiente para nos obrigar a fazer alguma coisa. Este é um jogo pago que já esteve ao preço de pouco mais que um ou dois cafés, com muitos puzzles para resolver, ou mesmo infinitos puzzles.


Minesweeper Genius na App Store

Tamanho: 215.7 MB

sexta-feira, 3 de julho de 2020

Textual description of firstImageUrl

SPHAZE

Um jogo com robôs passado num universo Sci-Fi com um aspecto visual muito interessante e uma mecânica inovadora, SPHAZE da SUBPIXELS, é um novo quebra cabeças com puzzles para se resolver em tempo real que se estreou ontem na App Store.


O seu criador diz que se inspirou na mecânica de jogos como Cut The Rope e no visual de jogos como Monument Valley para chegar a este SPHAZE, e ao ver que teve a cooperação de pessoas envolvidas em jogos como Dying Light 2, The Witcher 3, e Cyberpunk 2077, não é de admirar.

Pensei um pouco nisto ao fim de umas dezenas de puzzles resolvidos e percebi as ligações aos jogos que o inspiraram. O visual é óbvio, mas a mecânica de Cut The Rope não era assim tão claro. E é aqui que fica o aviso para os fãs de puzzles e quebra cabeças. Este jogo tem de facto puzzles e quebra cabeças para resolver, mas muitos deles precisam de um input da nossa parte em tempo real à medida que as coisas estão a acontecer, exactamente como em Cut The Rope, o que pode não agradar a alguns fãs deste género de jogo.

Em SPHAZE temos um robô que temos de fazer chegar ao centro da estranha estrutura que temos à nossa frente. Uma estrutura que parece uma espécie de torre vista de cima, e com os caminhos possíveis desenhados na sua superfície. Temos de manipular os diferentes discos da torre com o dedo, de maneira a alinhar os caminhos, para que o robô vá a rolar até ao cimo da torre.

Nos primeiros desafios parece que todos os puzzles são fáceis demais, mas percebe-se que são desenhados assim apenas para aprendermos a mecânica do jogo, que nos vai sendo explicada por um robô no início e durante o desafio. Num piscar de olhos é-nos dada a informação de que podemos manipular os discos quando o robô está já em acção a rolar pela torre acima, e será essencial para conseguir resolver a maioria dos puzzles.


Como já é habitual neste tipo de jogos a dificuldade vai aumentando com a complexidade dos caminhos, mas também com novos elementos a surgirem nos cenários. Caminhos a vermelho que destroem os robôs. Paredes que necessitam ser derrubadas por diferentes tipos de robôs bem mais resistentes. Botôes que têm de ser activados para derrubar o escudo que protege o centro da torre, e até botões que têm de ser activados seguindo uma certa ordem numérica.

São 4 mundos diferentes que vão sendo desbloqueados à medida que vamos concluíndo os níveis do mundo anterior. Por cada mundo que for concluído serão desbloqueados alguns níveis extra, especialmente direccionados para os aficcionados dos puzzles em tempo real, pois são bem mais difíceis de resolver. Os puzzles normais contam com ajudas que podemos activar para encontrar a solução (por favor não as usem), mas os puzzles extra não contam com nenhuma ajuda, só mesmo com a nossa cabeça e reflexos.

Com uma banda sonora que acompanha de forma brilhante o visual Sci-Fi do jogo assim como os efeitos sonoros, SPHAZE é quase uma obra de arte, mas cujos puzzles podem não agradar a toda a gente ao mesmo tempo. Há quem prefira resolver puzzles sem ter de andar preocupado em ser rápido e ter bons reflexos, mas no geral temos aqui um jogo muito bem concebido e equilibrado nestas duas vertentes de jogabilidade.

Nota: O cenário é interactivo e há pequenos puzzles para resolver escondidos em redor da área do jogo. Descubram todos os mistérios escondidos no terreno destes estranhos mundos como bónus adicional.


SPHAZE na App Store

Tamanho: 367 MB


quinta-feira, 2 de julho de 2020

Textual description of firstImageUrl

-Cast-

Ando sempre atento ao que o criador de The Pads Game anda a fazer. Pela sua criatividade e design gráfico dos jogos, assim como o factor diversão. Desta vez, Ciro Manna chega-nos hoje com este -Cast-, um jogo gratuito arcade de estratégia onde temos de obter a maior pontuação possível.


Extremamente simples, este é um jogo de cartas quadradas onde temos de as deslizar umas para cima das outras para ir aumentando a pontuação. A ideia é básica, escolhemos uma carta inicial, e começamos a jogá-la para cima de outras cartas da mesma, de acordo com algumas regras pré-estabelecidas.

Ao jogar para cima de uma carta da mesma cor a nossa pontuação sobe. Se jogarmos sobre uma carta de outra cor a nossa pontuação desce. Se a nossa carta é um 3, ao jogar sobre uma carta com um número 4, passamos a ficar com 7, e por aí fora. Se jogarmos a carta sobre uma cor diferente, o valor é subtraído em vez de adicionado. Não podemos passar abaixo de zero, senão perdemos.

E depois há cartas especiais que nos obrigam a ter uma muito boa estratégia para conseguir atingir pontuações astronómicas. Uma bomba, se for da mesma cor dá-nos mais pontos e rebenta com as cartas à nossa volta. Se for de cor diferente, é GAME OVER imediato.

O flash duplica a pontuação se for da mesma cor, ou reduz para metade se for de cor diferente. Há cartas que nos permitem trocar de cor, e temos de andar muito atentos à sua localização, e ao que estamos dispostos a arriscar para chegar lá. A caveira deixa-nos envenenados e com uma cor roxa, e se tocarmos noutra caveira, morremos de imediato.

Temos aqui um belíssimo jogo para se jogar em espaços pequeninos de tempo, ou para perder uns bons minutos quando lhe apanharmos o jeito. O jogo é grátis, e conta com alguma publicidade a surgir aqui e ali, coisa que pode ser eliminada com uma compra in-app de 0.99€. O que vale bem a pena que é um jogo de qualidade muito bem pensado.


-Cast- na App Store

Tamanho: 61.4 MB


quarta-feira, 1 de julho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Arctic Rails

Um puzzle simples, mas ideal para arrefecer o cérebro enquanto se exercita, o recém chegado Arctic Rails da Liontech Studios, é aquele quebra cabeças gratuito que não é muito complicado, mas que nos transporta para um mundo zen onde podemos relaxar ao mesmo tempo que treinamos o cérebro.


Num local completamente gelado e carregado de neve, temos de fazer com que um vagão encontre o seu caminho na pista, para chegar ao nosso destino. Para conseguir isto, teremos que deslocar blocos de neve de maneira a que se estabeleça a linha férrea para o vagão atravessar do início até ao fim.

Isto faz lembrar os clássicos puzzles de plástico, onde temos de deslocar as peças de maneira a conseguir obter a imagem correcta. Aqui movemos os blocos pela ordem correcta, de maneira a conseguir que os blocos de linha férrea alinhem todos até obtermos um caminho completo do ponto A ao ponto B.

Os blocos de linha férrea não têm uma forma fixa, e ao serem movidos para outra posição adaptam-se conforme estejam encostados a outros blocos de linha férrea, tornando o puzzle ligeiramente mais fácil e acessível. São mais de 100 puzzles para resolver, de complexidade crescente, mas tudo de uma forma muito relaxante, o que para isso ajuda também a banda sonora bem zen.


Arctic Rails na App Store

Tamanho: 88 MB



terça-feira, 30 de junho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Slaughter

Com vontade de jogar um First Person Shooter com muita pinta que nos chega pelas mãos de um criador Indie? Já tinha passado algumas vezes os olhos por este Slaughter de Sergey Sukharev, e hoje podem encontrá-lo grátis na App Store, e é tempo muito bem empregue para quem aprecia um bom FPS.


Neste jogo vestimos a pele do nosso personagem Russell, que se encontra numa espécie de cidade prisão carregada de lunáticos que nos querem ver morto. Será uma experiência social ou um jogo para psicopatas observarem à distância? É aquilo que teremos de descobrir se conseguirmos encontrar a saída deste complexo gigante.

Trata-se de um First Person Shooter clássico, com os controlos do costume, mover o nosso personagem com um polegar do lado esquerdo, e apontar a arma e escolher a direcção com um polegar do lado esquerdo (que também serve para disparar as nossas armas). Há portas que temos de abrir, e portanto há que descobrir chaves, ou alavancas que desbloqueiam novas passagens, ou mesmo geradores eléctricos que temos de activar para avançar no terreno.

Pelo caminho há muitas armas para equipar entre outro equipamento útil. Os inimigos começam por ser simples prisioneiros (como nós?), mas depressa começam a aparecer inimigos cada vez mais potentes e com um aspecto bem monstruoso, que aumentam o mistério de tudo o que se está a passar. Há um modo arena para além do modo campanha, onde podemos matar sem parar, para ver quanto tempo nos aguentamos com vida (para além de se poder contratar soldados que nos ajudam, e canhões automáticos de fixar no chão, etc).


Slaughter na App Store

Tamanho: 354.6 MB



segunda-feira, 29 de junho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Beyond a Steel Sky

Tenham ou não jogado o clássico Beneath a Steel Sky, uma aventura point-and-click que se podia jogar em 1994 nos PCs e no Commodore Amiga (e agora num iPhone ou iPad), só pelo facto de voltar a ter Dave Gibbons (um dos artistas gráficos de Watchmen) como um dos criadores desta espécie de sequela, Beyond a Steel Sky da Revolution, é logo motivo para ficarmos super interessados em mais uma grande aventura passada em Union City.


E o que foi conseguido aqui é deveras espectacular. Pegar no que poderia ser mais uma aventura point-and-click 2D, e transformá-la numa aventura passada na primeira ou terceira pessoa em 3D, é qualquer coisa de magnífico e deslumbrante.

É como se de repente pudessemos entrar nos nossos jogos favoritos point-and-click. É vestir as botas de Guybrush Threepwood e passar a ver o mundo de The Secret of Monkey Island através dos seus olhos directamente no terreno.

Ao nível gráfico, artístico, e de execução, há muitas palmas para bater a estes senhores. Mas mesmo ao nível de história, voltamos a ter uma aventura carregada de humor nos diálogos entre os personagens, no enredo mirabolante e misterioso, e no ambiente Sci-Fi Steampunk que não deixará ninguém indiferente.

Há muito texto para ler neste jogo, como é habitual nos melhores jogos point-and-click dos anos 90, muitos puzzles para resolver para podermos avançar na história, e um grande mistério a descortinar. Quem vem do primeiro jogo vai adorar as referências ao clássico, mas qualquer pessoa que nunca tenha ouvido falar de Beneath a Steel Sky vai ficar completamente agarrada a esta grande aventura, que podem encontrar apenas na Apple Arcade, a qual já disse aqui várias vezes, que vale bem a pena os 5€ por mês, e pelos seus mais de 100 jogos.


Beyond a Steel Sky na App Store

Tamanho: 3.4 GB



sexta-feira, 26 de junho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Vectronom

Os jogos da ARTE Experience são bem únicos no universo da App Store, autênticas obras de arte para além de serem jogos bem interessantes. Acabado de chegar esta semana, Vectronom é o último de uma longa lista de jogos, desta vez completamente focado na música electrónica e no nosso sentido de ritmo, e podem encontrá-lo grátis na App Store.


Olhando apenas para as imagens aqui em cima, poderíamos dizer que já vimos jogos como este, mas na verdade não vimos nada tão bem construído no que toca a jogos com ritmo e que é um gozo de jogar. É possível jogar sem ter atenção ao ritmo da música que está a passar? Pode-se dizer que sim, mas é bem mais difícil, isso podem ter a certeza.

Neste jogo temos de levar um cubo de uma ponta à outra, seguindo um caminho que vai mudando conforme a música. Por exemplo, uma ponte não é verdadeiramente uma ponte, mas sim um cubo que vai aparecendo e desaparecendo ao som da música, e nós temos que ir saltando acompanhando o ritmo, se queremos chegar ao outro lado.


Mas não é só o próprio caminho que vai mudando, também há perigos, que temos de evitar, ou correr atrás acompanhados da música, como uns picos vermelhos bem irritantes, ou mesmo até elementos especiais como umas catapultas azuis que nos lançam pelos ares, desde que nos aproximemos na direcção correcta, etc.

Há aqui uma data de desafios para enfrentar, e recomendo que usem headphones que a banda sonora é tudo neste jogo, e faz toda a diferença para conseguir ultrapassar os mais de 100 níveis. No entanto, há que ter atenção que ao fim de algumas dezenas de níveis teremos que investir numa compra in-app se quisermos desfrutar do jogo na sua totalidade. Seja como for, há muito para jogar até se chegar a esse ponto, portanto, boa sorte é o que eu vos desejo.


Vectronom na App Store

Tamanho: 197.3 MB

quinta-feira, 25 de junho de 2020

Textual description of firstImageUrl

One Wheel

A ideia de tentar andar num monociclo já é desafiante quanto baste, mas fazê-lo a tentar atravessar uma ponte super estreita nas alturas é o pesadelo de qualquer pessoa com vertigens e não só. É isto que One Wheel de Popa Radu, tem para nos oferecer, e podem encontrá-lo hoje grátis na App Store.


Equilíbrio é muito importante para andar num monociclo, mas aqui vai ser mais destreza dos nossos dedos a tentar mantê-lo no interior dos caminhos sinuosos que vamos ter pela frente. Muita concentração e sangue frio também fazem parte das qualidade necessárias.

A ideia é atravessar uma ponte que liga dois penhascos bem lá nas alturas, onde não vemos o chão. Os caminhos ficarem cada vez mais curtinhos em largura seria por si só um desafio bem grande, mas a questão é que estas pontes ganham vida e mudam o seu aspecto e formato à medida que as vamos atravessando, o que nos obriga a estar muito atentos.

Este é um jogo 3D muito bem executado que foi até vencedor do 1º lugar da Buildbox Game Jam. Viciante quanto baste, vamos andar a explorar todos os mundos que tem para nos ofererecer, e a procurar encontrar caminhos cada vez mais desafiantes. É possível comprar novos personagens e monociclos com as pedras preciosas que coleccionamos no caminho, e há aquela clássica publicidade a aparecer aqui e ali, mas é daquelas que dura apenas 5 segundos, o que não chateia nada por aí além.


One Wheel na App Store

Tamanho: 82.3 MB


terça-feira, 23 de junho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Nimian Legends : Vandgels

É impossível ficar indiferente aos belíssimos jogos de mundo aberto criados por Protopop, e se há por aqui fãs de aventuras de explorar um mundo enorme, então é aproveitar que Nimian Legends : Vandgels de Robert Kabwe, está hoje grátis na App Store.


Há uma aventura para viver aqui em Nimian Legends: Vandgels, no seu extenso modo de história, mas o jogo vive de outros modos para quem gosta de explorar coisas diferentes. Há um modo completamente livre, que nos deixa explorar este mundo à vontade e criar as nossas próprias histórias. Há a possibilidade de virar um fotógrafo e tirar fotos às coisas mais lindas que encontrarmos, o que não é difícil, pois este jogo tem uma qualidade gráfica impressionante.

Criado por uma única pessoa, Protopop, este e os seus outros jogos são fenomenais para todos aqueles que apreciam ter um mundo imenso debaixo dos pés para explorar. Este é um daqueles jogos para nos perdermos por horas, dias, semanas, pois há tanta coisa para descobrir, ou então simplesmente concluir o modo história, e ir procurar na App Store os seus outros jogos, inclusive o último lançamento que tem tido excelentes críticas por esse mundo fora.


Nimian Legends : Vandgels na App Store

Tamanho: 324.9 MB



segunda-feira, 22 de junho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Little Orpheus

Continuo grande fã do serviço de jogos Apple Arcade, onde por apenas 5€ por mês se tem acesso a mais de 100 jogos de grande qualidade, direccionados para todos os gostos e feitios. O último que joguei e que chegou há apenas uma semana é este Little Orpheus da Sumo Digital Ltd (The Chinese Room), uma belíssima aventura com um humor brilhante pela qual me apaixonei, e ainda choro por mais.


Com uma história hilariante a ser contada por um cosmonauta russo a um dos seus superiores, este jogo é belíssimo não só ao nível gráfico e sonoro, mas também ao nível da narrativa. Numa altura em que a Nasa lançava o homem para a lua, a Rússia aponta os seus foguetões para o centro da terra, numa tentativa de explorar o seu interior.

O camarada Ivan Ivanovich era o responsável por essa missão, e desapareceu com a cápsula e a bomba atómica que gerava energia para o foguetão. Passados 3 anos aparece do nada, e terá que contar a história dos acontecimentos aos seus superiores, sempre com a ameaça de ir parar ao Gulag ou de levar com uma bala na cabeça.


Parece sério, mas não, o jogo é muito divertido, e a história que nos é contada é tão surreal que só podia dar mesmo numa aventura hilariante. Um jogo de plataformas com alguns elementos de puzzle à mistura, onde para além de saltar teremos que activar alavancas, empurrar objectos, etc, etc.

Do mesmo género que outro jogo da Apple Arcade chamado Stela, mas muito mais divertido e belíssimo ao nível visual, e comparável directamente com outros jogos brilhantes como Limbo ou Playdead's Inside. Ao contrário de Stela, aqui a história faz toda a diferença, com a constante narração do camarada Ivanovich, que é mesmo hilariante.

A mecânica do jogo vai mudando à medida que vamos avançando na história, com monstros gigantes a aparecerem, como se pode ver na trailer aqui em cima, e que são momentos de cortar a respiração, como no caso do T-Rex. Há muitos jogos que justificam manter a subscrição da Apple Arcade, mas só por este já vale a pena subscrever por um mês. Agora pensem nos outros 100 que têm lá à vossa disposição. ;)


Little Orpheus na App Store

Tamanho: 3.3 GB

sexta-feira, 19 de junho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Laserbreak 3

Como uma máquina de Rube Goldberg bem afinada, Laserbreak 3 da Top Secret Developments, é um jogo gratuito que nos vai pôr a manipular lasers e outros objectos e deixar que a física faça o seu trabalho para resolver uma série de puzzles bem complexos.


Este é dos jogos com física mais interessante que joguei nos últimos tempos no iPhone. Não é daqueles onde tudo fica a funcionar à primeira, nada disso. A ideia é ir movendo o ângulo dos lasers para ir atingindo os alvos da mesma cor do laser que movemos, um de cada vez ou ao mesmo tempo, e em simultâneo coleccionar a estrela que está disponível em cada nível.

Os lasers podem ser reflectidos em superfícies espelhadas, mas é possível partir esses espelhos com pequenas esferas que podemos colocar em movimento, abrindo o caminho para chegar a outros alvos escondidos previamente.

Portais, caixas e peças de madeira que podem ser ateados em fogo com os lasers, bolas que podemos colocar em movimento ao explodir caixas de explosivos, líquidos que podem ser libertados e ao mesmo tempo alterar o ângulo de superfícies espelhadas, etc, etc.

Há muito para gostar aqui neste jogo, e os 15 primeiros níveis são desafiantes quanto baste, por isso só aí perderão umas boas horas a resolvê-los. Se conseguirmos as estrelas todas, desbloqueamos os níveis de bónus, e a partir daí, se ficarmos viciados no jogo, é possível desbloquear pacotes com mais desafios através de uma compra in-app. É justo, e é merecido. Divirtam-se!


Laserbreak 3 na App Store

Tamanho: 121.6 MB



quarta-feira, 17 de junho de 2020

Textual description of firstImageUrl

DEADWORD

Que ideia mais brilhante para um jogo de palavras, misturando com o género de sobrevivência e zombies, e dando origem a este DEADWORD de Derek Seibel, um jogo que podemos encontrar grátis na App Store que vai dar cabo do vosso tempo livre.


Fica já o aviso, é um jogo de palavras, que apesar de serem simples (apenas palavras com 4 letras), só nos permite jogar com a língua inglesa, o que é uma pena, mas nada que detenha a maioria do povo que estudou inglês na escola.

Seja como for, mesmo para quem não for fluente em inglês, é possível avançar no jogo com a ajuda de mapas que se vão apanhando aqui e ali. Portanto não ponham o jogo de parte só por causa da barreira da língua, que há muito para gostar aqui, e quem sabe até aprendem algumas coisas.

Neste jogo de sobrevivência deparamos com o mundo a desmoronar à nossa volta, com pessoas a aparecem infectadas com uma doença estranha, e a começarem a atacar-nos sem razão aparente. Zombies, sim, mas para aqui isso pouco interessa, que só temos de lidar com palavras e mais palavras.

A mecânica do jogo é espectacular e processa-se da seguinte forma. O nosso objectivo em cada capítulo é avançar até um certo local, que corresponde a uma palavra, e temos de ir trocando letra a letra a nossa palavra principal em baixo para irmos ficando cada vez mais próximos da palavra objectivo.

Por exemplo, temos a palavra principal em baixo como LOOT, e o objectivo é DOOR. Como se pode ver na terceira imagem em cima, estamos a 3 tracinhos distância no radar, o que quer dizer que basta trocar 3 letras para conseguir chegar lá. LOOT -> LOOM -> DOOM -> DOOR.


O problema é que há zombies por todo o lado, e estes são representados por palavras parecidas com aquelas que queremos atingir, o que nos aproxima perigosamente deles. Portanto, sempre que pudermos, mudar para uma palavra que seja bem diferente (letras diferentes) da palavra dos zombies próximos. Se não conseguirmos evitar, seremos atacados, perdendo um coração (de 3 no máximo).

Para ajudar, há palavras representadas a castanho que são caixas e outros objectos dos quais podemos obter algumas ajudas, como kits médicos ou mapas que nos dão possíveis palavras para nos aproximar do objectivo. Há sempre coisas para descobrir, e claro, há que tentar fazer a campanha até ao final, atravessando todos os capítulos para acompanhar a história na sua totalidade.

Acho que este é um daqueles jogos que só jogando para perceber como é brilhante. Muito bem pensado, com banda sonora a condizer, muita estratégia à mistura, algum conhecimento de palavras inglesas, e clássica publicidade a aparecer aqui e ali, que podem desbloquear com uma pequena compra in-app, que também desbloqueia 2 novos modos de jogo. Não percam!


DEADWORD na App Store

Tamanho: 147.7 MB

terça-feira, 16 de junho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Jumping Slime 2D Platform Game

Repitam comigo, não julgar um jogo pelo seu aspecto. Este apareceu no meu radar completamente por acaso, e é assim que percebemos que quando não há uma grande campanha de promoção, pérolas como este Jumping Slime 2D Platform Game da OkasileGame, passam-nos completamente ao lado, e é mesmo uma pena.


Este jogo de plataformas 2D está muito bem conseguido, com tudo o que vemos no ecrã desenhado à mão (quase que diria sarrabiscado num papel e transposto directamente para o ecrã do computador), e com uma mecânica de movimento que não é nenhuma novidade, mas que nos dá uma jogabilidade incrível.

E é mesmo a facilidade com que controlamos o nosso herói pegajoso, que nos deixa agarrados ao jogo. Com ele podemos dar grandes saltos, bastando deslocar o dedo no ecrã do lado direito para fazer aquele efeito clássico de catapulta. É possível activar outro salto a meio de um salto (com direito a efeito bullet time e tudo), o que se vai tornar na mecânica ideal para avançar pelos diversos níveis do jogo.


Pelo caminho vão sendo introduzidas novas mecânicas, como a possibilidade de transformarmos esta bola pegajosa num canhão, que nos permite destruir alguns tipos de inimigos. E o objectivo é sempre o mesmo, avançar até ao portal de saída no final de cada nível, evitando tocar nos perigos pintados a vermelho, coleccionando moedas (para adquirir novas características e melhoramentos), e apanhando todos os 3 rubis que há em cada nível.

Um jogo gratuito bem divertido, com publicidade a aparecer quando queremos ganhar algumas moedas extra, mas que de resto é completamente livre de interrupções chatas. Com o seu criador a actualizar o jogo com mais níveis de tempos a tempos, temos aqui um daqueles jogos de plataformas que passam despercebidos do mundo em geral, e não devia ser assim.


Jumping Slime 2D Platform Game na App Store

Tamanho: 188.4 MB


segunda-feira, 15 de junho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Endurance - space action

Um vírus à solta no espaço que infecta a tripulação a bordo de uma nave, é aquilo que Endurance - space action de Ivan Panasenko, tem para nos oferecer. Um shooter passado no espaço com toques de RPG que podem encontrar grátis na App Store.


Para quem está com um comichãozinho por um jogo Sci-Fi passado no espaço, e gosta de dar tiros, coleccionar novas armas e armaduras, explorar uma nave que mais parece um labirinto, e encontrar muitos monstros pelo caminho, então há muito para jogar neste Endurance - space action.

Há aqui uma história a acompanhar-nos na nossa aventura, e é algo que vamos descobrindo aos poucos enquanto falamos com a tripulação (aquela que não está contaminada pelo vírus, claro). De resto há que abrir todas as caixas e armários que encontrarmos para encontrar armas, medkits, e armaduras, e evitar o fogo inimigo ao máximo que a nossa vida não é infinita.

O ambiente Sci-Fi está muito bem conseguido, apesar do seu estilo pixelizado que está bem na moda (e ainda bem), com uma banda sonora que ajuda bastante ao ambiente de terror no espaço onde ninguém nos consegue ouvir (wink wink). Dá para retirar a publicidade, mas se não se importarem que apareça a meio do jogo, há clips de 5 segundos a aparecer aqui e ali mesmo no meio da acção. Seja como for, há muita carne à volta destes ossos contaminados, portanto, com ou sem publicidade, divirtam-se a explorar este Endurance.


Endurance - space action na App Store

Tamanho: 110.3 MB



quinta-feira, 11 de junho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Peak's Edge

Já não é a primeira vez que o digo aqui, mas de facto, os jogos criados por Kenny Sun são estranhos, mas mesmo espectaculares dentro do seu próprio universo. Desta vez ele surpreendeu-nos com o recém chegado Peak's Edge, que podemos encontrar agora gratuito na App Store.


Como todos os seus jogos, o aspecto pode assustar algumas pessoas à primeira vista, mas se experimentarem qualquer jogo por uns minutos, depressa perceberão a magia, o carinho, e a genialidade por detrás de todas as apps que este senhora toca.

Em Peak's Edge controlamos uma pequena pirâmide que anda por ali a rolar pelo tabuleiro sobre cada um dos seus quatro lados. Como se trata de um roguelike, podem contar com combates, tudo muito básico como por exemplo tocar com uma face da pirâmide num inimigo para o eliminar, e ao ser atacado por um inimigo garantir que estamos com uma armadura nesse lado que receberá o ataque, senão morremos.

Começamos com as 4 faces com uma simples armadura, que aguenta um único ataque, e depois ficamos desprotegidos nessa face, até apanharmos outra armadura no decorrer do jogo. Em cada piso haverá uma ou mais armaduras para recolhermos, e cada uma delas terá uma habilidade diferente que nos permitirá aumentar as nossas chances contra os inimigos que encontramos pela frente.


Como exemplo, temos armaduras que nos permitem destruir paredes, armaduras que roubam as armaduras dos inimigos, armaduras que nos teletransportam para outro local no tabuleiro ao sermos atacados, armaduras que sempre que forem pisadas fazem com que a pirâmide rode de forma aleatória sobre si própria, etc, etc.

Há também certos poderes limitados que vamos ganhando e estão disponíveis na parte inferior do tabuleiro, que nos podem ajudar a voltar um movimento para trás, passar a vez, entre muitos outros que vamos coleccionando. O objectivo é sempre o mesmo, chegar até à saída sem morrer, e tentar chegar o mais longe possível em termos de pisos da masmorra.

O jogo é gratuito, e apenas aparece uma pequena publicidade de 5 segundos de longe a longe, ou quando queremos desbloquear mais UNDO's. Isto não incomoda nada mesmo, mas se acharem que se querem ver livre da publicidade e contribuir para um criador de jogos incríveis como é o Kenny Sun, então é só pagar cerca de três euros, e está feito, o que vale bem a pena, que os seus jogos são muito bem pensados e de grande qualidade.


Peak's Edge na App Store

Tamanho: 185.4 MB


terça-feira, 9 de junho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Pocket Earth PRO

Não estamos propriamente na altura ideal para fazer viagens, mas ter esta app sempre connosco instalada no nosso iPhone é como andar sempre com um canivete suiço. Estou a falar da fantástica Pocket Earth PRO da GeoMagik, e podem encontrá-la hoje grátis na App Store.


Seja no nosso país, seja noutro país qualquer ou mesmo na montanha, onde não há rede ou não temos acesso a dados móveis, com esta Pocket Earth PRO vamos ter sempre connosco todos os mapas e pontos de interesse que nos vão dar imenso jeito para encontrarmos o que queremos.

A app permite guardar os mapas que quisermos de forma offline, e portanto não necessitamos de quaisquer dados para nos orientarmos em viagem. É também possível guardar informações sobre lugares e guias de viagem, pontos de interesse, e percursos que queremos fazer numa viagem futura.

Para quem quer ir para a montanha, e usar um mapa topográfico mais detalhado, no lugar daqueles incluídos da OpenStreetMap.org, é necessário fazer uma pequena compra in-app para ter acesso aos mesmos.

Esta app tem navegação com indicações quando estamos online, e é possível pesquisar por qualquer lugar que nos interesse, desde comida a dormida, shopping, museus, etc, etc. Com a possibilidade de importar e exportar ficheiros GPX e CSV, não há dúvidas que é mesmo uma app para amadores e aficcionados, para montanhismo, trekking, bicicleta, geocaching, o que quiserem.


Pocket Earth PRO na App Store

Tamanho: 50.1 MB



sexta-feira, 5 de junho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Many Ways

Um puzzle minimalista que podem levar com vocês para o fim de semana é este Many Ways de Pratap Rai, que nos põe a resolver uma série de quebra cabeças onde temos de encontrar o caminho certo, e que podemos encontrar hoje grátis na App Store.


É um jogo muito simples, especialmente nos primeiros níveis do capítulo 1 e 2, onde o desafio não é grande, mas que pode servir muito bem para os mais novos e para aqueles que não têm o olho treinado para este tipo de puzzles.

Mas a partir do terceiro capítulo os puzzles começam a ficar mais interessantes, cada vez maiores em termos de caminhos possíveis, e com mais objectos para interagir. A única coisa que temos de fazer no início é tocar numa pequena esfera branca para a colocar em movimento.

Ela segue um caminho prédefinido, e nesse caminho pode encontrar certos quadrados especiais que mudam o seu comportamento. Ora a param no caminho, ora a dividem em duas ou três, ou quatro esferas, seguindo depois vários caminhos diferentes, e podem até ser portais de teletransporte entre diferentes quadrados no ecrã.

A certa altura teremos que encontrar os interruptores que desarmam as bombas coloridas que se encontram no caminho, activando interruptores que tanto rodam os botões para zonas que nos interessam, e até desviando lasers que destroem a pequena esfera se não tivermos cuidado. É um jogo de lógica bem relaxante, com um aspecto minimalista, e que está muito bem conseguido. Com ecrãs de publicidade a aparecer aqui e ali, é um jogo gratuito que vale bem a pena para passar umas boas horas.


Many Ways na App Store

Tamanho: 27.2 MB

quarta-feira, 3 de junho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Car Industry Tycoon

No que toca a jogos incrementais (idle games), sempre fui fã daqueles passados em torres, mas esta semana apareceu este Car Industry Tycoon de Adrian Zarzycki, e resolvi dar uma oportunidade às linhas de produção e construção de carros, e ainda bem que o fiz.


O criador do jogo, Adrian Zarzycki, não é um novato nestas andanças, e não é o seu primeiro jogo incremental de estratégia e gestão de tempo. Há um que planeio falar aqui em breve que vai de encontro aos jogos passados em torres que mencionei no início deste post.

Neste seu novo jogo acabado de estrear, temos de gerir uma fábrica, os trabalhadores, as linhas de produção, e começar com a simples tarefa de produzir algumas peças automóveis, até conseguirmos aumentar e melhorar tudo ao ponto de começar a produzir automóveis completos, onde poderemos ir até 12 carros diferentes.

O jogo tem a sua piada, pois põe-nos a gerir o movimento dos trabalhadores, desde o parque de estacionamento, controlando o número de carros estacionados, até aos portais de entrada dos trabalhadores, até à área de descanso dos mesmos. Depois há que ir melhorando e comprando máquinas novas para começar a produzir cada vez mais e melhores peças para chegarmos aos carros bem caros que queremos vender ao público. Um jogo bem pensado e bem divertido, e que podem encontrar grátis na App Store.


Car Industry Tycoon na App Store

Tamanho: 164 MB



terça-feira, 2 de junho de 2020

Textual description of firstImageUrl

Here Kitty!

Jogar às escondidas continua a ser um daqueles jogos universais adorados por qualquer criança. Em vez de andarmos à procura de pessoas, podemos procurar um gatinho, que é aquilo que propõe este Here Kitty! da Impending, um divertido jogo passando no mundo real que podem encontrar grátis na App Store.


O jogo é muito simples, um adulto ou criança é designado para esconder o gatinho, e apenas tem de colocar o iPhone com o ecrã virado para baixo num bom esconderijo. Depois é só dar sinal à criança para ir procurar o gatinho. Isto é muito divertido pois o gatinho vai dando sinal de vida aqui e ali com os seus miaus bem audíveis. E é até possível chamar por ele, assobiar, bater palmas, para ele ir respondendo.

A pessoa que encontrar o gatinho, será ela a próxima a ter oportunidade de o esconder e por aí fora. Dependendo da idades dos jogadores, é possível ajustar o nível de dificuldade, tornando o gatinho mais silencioso, ou mais barulhento e mais responsivo aos pedidos sonoros.

Cada vez que é encontrado, o gatinho diz-nos quanto tempo demorou a ser encontrado. Ao longo dos dias em que o jogo for aberto, é possível desbloquear novos animais de forma gratuita, e até desbloquear um aspirador estilo Roomba, que também fará os seus barulhos característicos.


Here Kitty! na App Store

Tamanho: 74.3 MB