terça-feira, 16 de outubro de 2018

Textual description of firstImageUrl

Kenshō

Foi escolha dos editores da App Store em 2017, um jogo que nunca baixou de preço está agora pela primeira vez ao preço de 1€ e vale bem a pena para fãs de puzzles relaxantes e não só. Estou a falar de Kenshō da FIFTYTWO, um bonito jogo com um visual incrível e uma banda sonora apaixonante que não deixará ninguém indiferente.


Usando uma mecânica inspirada no famoso Threes! ou qualquer outro jogo do género 2048, em Kenshō temos de ir combinando blocos da mesma cor, 3 ou mais na horizontal ou na vertical, para ir limpando a àrea de jogo que é pequena, mas principalmente para ir obtendo as peças que compõem uma chave.

Ao combinarmos o bloco que contém a peça da chave com outros 2 blocos da mesma cor, fazemos com que a peça seja libertada, ficando a faltar outras 3 peças para que se consiga preencher os 4 espaços de uma tão famigerada chave, essencial para desbloquear novos mundos.


Depois de conseguirmos as 4 peças da chave, falta desbloquear a própria chave, que ao ser completado esse objectivo, passamos para um puzzle intermédio entre mundos, onde ficamos perante um mega portão de pedra, e no qual teremos que colocar blocos coloridos nos seus respectivos lugares para que se abra este novo portal para outro mundo.

Quando atravessamos o portal, damos por nós num mundo belíssimo, numa espécie de menu onde podemos navegar entre os vários portais que dão acesso aos diferentes mundos, e onde percebemos que o nosso personagem é uma espécie de cubo alienígena simpático que vai reagindo ao ambiente animado que o rodeia, demonstrando as suas emoções através de emojis, e onde se podem ler algumas mensagens que nos fazem pensar.

Em cada mundo vão sendo apresentadas novas mecânicas, novos desafios, novas maneiras de fazer as coisas. É certo que temos de continuar a deslizar com o dedo na vertical e horizontal para mover as peças (1 casa de cada vez), mas as combinações começam a complicar-se.


Vão sendo introduzidas novas peças de pedra que se movem mas não podem ser combinadas com as outras pedras, ou mesmo pedregulhos que simplesmente não se movem, e podem ser usados para servir de obstáculo para melhor colocar as peças que queremos combinar. Depois ainda podem surgir barreiras nos próprios blocos que contêm as peças e chaves, que nos obrigam a combinar apenas de um dos lados do cubo, etc, etc.

A banda sonora do jogo pede o uso de headphones, que é mesmo uma experiência super relaxante. A ajudar está a não grande complexidade do jogo, pois os puzzles vão-se resolvendo de uma forma fácil e intuitiva, não havendo a possibilidade de perder. Se preenchermos o ecrã com blocos, o ecrã liberta-se de todos os blocos oferecendo-nos uma nova tela para trabalhar.

Não há dúvidas que o jogo é mesmo muito bonito, com uns efeitos visuais incríveis, uma banda sonora relaxante que vai mudando de mundo para mundo, e uns puzzles que vamos querer resolver um atrás do outro. Pelo preço de 1€ não vejo razão nenhuma para não recomendar este jogo espectacular.


Kenshō na App Store

Tamanho: 246.6 MB



segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Textual description of firstImageUrl

Paper.io 2

Lembram-se do jogo de grande sucesso Paper.io? Pois bem a Voodoo resolveu mexer na fórmula e lançar o Paper.io 2, que mantém em grande parte a mesma mecânica de jogo, mudando apenas o aspecto gráfico, agora em 3D, e uma maneira mais livre de desenhar o nosso território no ecrã.


O aspecto original do Paper.io onde parecia estarmos a desenrolar um rôlo de papel tinha mais pinta para mim, mas este Paper.io 2 está muito bem conseguido, e é certo que continua a ser um grande vício logo a partir do momento em que começamos a conquistar território aos outros jogadores.

O objectivo é conquistar o máximo de território que conseguirmos, desenhando novas paredes no território que não nos pertence, e voltando bem rápido à nossa "base" para consolidar este novo território como nosso.

No momento em que andamos a pintar um novo muro da nossa cor, somos bastante vulneráveis, e basta tocar no nosso próprio muro ou que outro jogador atravesse esta nossa linha que estamos a desenhar, para explodirmos e ter de começar tudo de novo.

Mas aqui está o desafio deste grande jogo, é que para além da estratégia que temos de ter para criar novo território sem ser destruídos pelos inimigos, também podemos entrar em modo de caçador e ir atrás dos outros jogadores, esperar que estes fiquem demasiado confiantes e cometam o erro de se atravessarem à nossa frente, momento ideal para os destruirmos.

A partir do momento que passemos a ser o jogador com maior área de território, aparece de imediato uma coroa sobre a nossa cabeça, e toda a gente vai querer matar o rei, por isso há que ter cuidados redobrados a partir daí que a exposição é extrema.

O jogo deixa-nos visualizar um vídeo com publicidade se quisermos ter mais uma tentativa no momento em que morremos, o que vamos querer usar se por acaso já tivermos conquistado imenso território. Mas há também publicidade a visualizar sempre que perdemos e queremos começar um novo jogo do zero. É aquilo a que já estamos habituados nestes jogos gratuitos, mas se forem mesmo fãs do jogo, podem sempre investir para acabar com a publicidade.

Não sei se é desta que passamos a ter outros jogadores online para conquistarem território ao nosso lado no jogo, mas é algo que me parece improvável, e quase que aposto que é tudo bots a jogar à nossa volta. É a solução mais simples, digo eu, por isso já sabem com o que contar. A ser verdade não retira grande divertimento ao jogo, pois continua a ser um desafio incrível, ao qual vamos querer voltar vezes e vezes sem conta até conseguirmos chegar a um valor bem alto de território conquistado. Boas corridas!


Paper.io 2 na App Store

Tamanho: 216.6 MB



sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Textual description of firstImageUrl

Antidote

Algo que seria apenas possível na idade média está agora bem presente nos dias de hoje, que é o ataque à ciência, e em particular o ataque às vacinas, que é actualmente um dos grandes flagelos da humanidade. Para chamar à atenção deste problema e combater a desinformação perigosa, a Finlandesa Psyon Games criou o premiado Antidote, um jogo de defesa e estratégia que nos põe ao nível microscópico no interior do corpo humano a combater infecções de vírus e bactérias.


Aconteceu um acidente no laboratório, e os vírus e bactérias estão todos soltos e a criar o caos. Cabe-nos a nós assumir o controlo das defesas do corpo humano, e juntos combater este grande perigo que quer destruir a grande e vital célula estaminal.

Este é um jogo do género Tower Defense, que é o tipo de jogo preferido aqui do Apps do iPhone, onde teremos que colocar glóbulos brancos a barrar o caminho dos vírus e bactérias, atrasando a sua caminhada e ataque à célula estaminal.


As células indiferenciadas que colocamos no caminho podem ser transformadas em células comilonas que se alimentam de bactérias e vírus, em células que geram açucar essencial para poder criar novas defesas, entre outros tipos de células eficazes no combate aos vírus e bactérias.

Passados os níveis do tutorial, o jogo começa a expandir e passamos a ter um jogo de Tower Defense onde teremos que criar o caminho ideal para que os maus da fita tenham a sua viagem através do corpo humano bem atrasada, que quanto mais tempo eles demorarem a fazer a caminhada, mais tempo temos para os atacar com as nossas defesas.


O jogo é todo ele inspirado na ciência, e portanto há muita coisa a aprender com o jogo, seja na apresentação dos novos perigos ou soluções de defesa, ou mesmo no manual onde podemos ler mais sobre as toxinas, o sam (salmonella), e demais vírus e bicharada que vão surgindo.

Este jogo foi premiado por uma associação ligada ao plano de vacinação na Finlândia, e apareceu até mencionado no site da Organização Mundial da Saúde num artigo sobre o perigo da resistência aos antibióticos, que é algo bem real, e é por isso que devemos respeitar as indicações do médico acerca da toma dos antibióticos.

As vacinas têm vindo a diminuir a mortalidade no mundo já há muitos anos, e só agora recentemente é que temos vindo a ter mais mortes e pessoas contaminadas com doenças que estavam quase erradicadas, tudo por culpa de pessoas mal informadas e populismo baseado no medo e ignorância. Que este jogo sirva para trazer alguma luz e informação, e ao mesmo tempo ajudar a puxar pela cabeça, pois temos aqui um belíssimo e divertido jogo de estratégia.


Antidote na App Store

Tamanho:




quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Textual description of firstImageUrl

Mr Juggler

Há jogos tão simples, que achamos que não podem ter piada nenhuma tal é a sua simplicidade e premissa. Mas não é esse o caso do divertido Mr Juggler da DIGITAL MELODY GAMES KITAJEWSKI I STALEWSKI SPOLKA JAWNA, um jogo gratuito que nos põe a fazer malabarismos com dois dedos.


Sim, leram bem, malabarismos! Aquele malabarismo de manter 3 bolas no ar, ou cones de bowling, ou facas, ou peças de fruta, o que quiserem. Aqui começamos com uma bola, a passá-la de mão em mão, e de seguida para 2 bolas, 3 bolas, 4 bolas, e por aí fora.

Claro que isto vai variando, e isto traduz-se em objectos diferentes, o que implica terem pesos e comportamentos diferentes, mudando o tempo de voo entre uma mão e outra, o que nos obriga a ter muita atenção e óptimos reflexos para manter tudo no ar, especialmente quando se mistura uma faca com um machado e uma banana, por exemplo.

Não é fácil, mas é extremamente satisfatório quando conseguimos manter todos os objectos no ar depois de passarem umas 50 e tal vezes pelas mãos. O objectivo será sempre algo assim, trocar os objectos de mão um determinado número de vezes, para conseguirmos assim passar ao próximo desafio.

Pelo caminho podemos desbloquear novos malabaristas, desde vikings a ninjas, e poder experimentar todo o tipo de objectos mirabolantes, com as suas velocidades e pesos diferentes que nos forçam a ter uma grande concentração para conseguir manter todos no ar o tempo que for preciso.

O jogo tem uma pequena publicidade a aparecer no final sempre que perdemos, mas que dura apenas 1 segundo, podendo ser eliminada de imediato. O jogo é muito divertido, especialmente para aquelas pessoas que gostam de testar os seus reflexos e tempo de reacção até ao limite. É um bom passatempo, disso podem ter a certeza, apesar da sua simplicidade está muito bem pensado.


Mr Juggler na App Store

Tamanho: 162 MB



quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Textual description of firstImageUrl

Grimvalor

Para aqueles que estavam à espera do dia de amanhã para as estreias habituais na App Store e para verem qual o melhor jogo da semana, podem começar a aquecer os dedos que ele acabou de chegar. Estou a falar do belíssimo Grimvalor da Direlight, um jogo de plataformas carregado de acção e aventura estilo Hack & Slash com uma qualidade gráfica e jogabilidade incríveis.


Esta aventura passa-se no reino esquecido de Vallaris, onde vestimos a armadura de um guerreiro cuja tarefa é descobrir o que aconteceu ao antigo rei Valor, e o porquê da terra estar completamente dominada por monstros terríveis. Depressa iremos descobrir que tudo isto pode ter sido causado pelo antigo rei, e cabe-nos a nós livrar a terra deste mal.


Estamos perante um jogo de plataformas de acção com muito Hack & Slash à mistura, por isso preparem-se para dar uso a esses dedos, pois vai haver muito uso da espada, muito uso de saltos e duplo saltos, e corridas rápidas para atacar os inimigos pelas costas (a posição e tamanho dos controlos são personalizáveis). A ideia é quase sempre a mesma, tentar perceber qual o padrão de ataque e movimento dos monstros, para os atacar no momento certo, e idealmente pelas costas.


Há secções onde seremos perseguidos por monstros, como se estivessemos numa caçada e nós a sua presa, outras onde teremos que enfrentar um monstro mais poderoso que todos os outros que tenhamos encontrado até aí, e zonas onde poderemos descansar para recuperar a nossa energia, zonas onde poderemos fazer trocas comerciais, adquirindo frascos com poções que nos restituem a energia, ou mesmo uma fornalha para fabricar novas armas.


A acção é o que mais importa neste jogo, e de facto estamos muito bem servidos, que o jogo é sempre a abrir. Há a parte RPG do jogo, onde poderemos melhorar várias características do nosso herói, a sua energia, ataque, foco, e a potência das suas armas. Ao mesmo tempo vai aprendendo novos truques para fazer ataques mais poderosos, o que será mesmo necessário pois os monstros não vão ficando mais fracos com o avançar do jogo.

Ao nível gráfico o jogo é incrível, e vão ficar de boca aberta com a qualidade dos cenários, as animações das criaturas e do fogo, as sombras e efeitos de luz, e também a banda sonora dramática e bem cinematográfica que nos deixa agarrados ao jogo com unhas e dentes. Este é sem dúvida o jogo da semana, e quem sabe do mês, com uma qualidade de consola excepcional, e como não poderia deixar de ser é compatível com joysticks MFi e iCloud Save para se jogar ao mesmo tempo num iPhone e iPad.


Grimvalor na App Store

Tamanho: 709.2 MB




terça-feira, 9 de outubro de 2018

Textual description of firstImageUrl

Sushi Ride

Com uma banda sonora a abrir em tons de jazz com um slap de baixo incrível, Sushi Ride da niceplay games, é um divertido jogo que temos agora disponível grátis na App Store, para todos os fãs de sushi e não só.


Imaginem que somos os donos de um restaurante de sushi bem estranho frequentado por monstros, onde a comida está a circular na sua frente. Cada monstro tem a sua preferência de sushi, idealmente da sua própria cor, e nós temos que colocar esse sushi favorito nas suas bocas no momento em que o sushi está a passar à sua frente.

Para o fazer apenas temos que tocar no ecrã para enviar um rolinho de sushi para a boca do monstro que está à sua frente, ou tocar várias vezes seguidas para enviar o número de rolinhos de sushi necessários para saciar a fome desse monstro.

A nossa tarefa complica-se porque o sushi é variado e vem alternado, o que nos obriga a esperar pelo monstro certo para entregar o sushi, ou então usar o caixote do lixo para nos libertarmos das peças de sushi que não vamos usar tão cedo.

Como seria de esperar, os monstros com mais fome começam a ficar impacientes, e se não lhes dermos pelo menos um rolinho de sushi eles acabam por sair do restaurante bem infelizes, o que se traduz em menos uma vida para nós. Se perdermos todas as vidas, é Game Over Man!

Pelo meio do sushi há moedas de ouro para apanhar, as quais não devemos atirar para a boca dos monstros, mas sim para o cofre que aparece de vez em quando. Este ouro pode ser usado para adquirir algumas ajudas, como aumentar o número de vidas, aumentar o número de rolinhos de sushi a circular de cada vez.

E depois há a parte cosmética da coisa, podendo comprar novas roupas para os monstros, mudar a cor de fundo do jogo, entre outras coisas que aparecem numa lista enorme que vai sendo desbloqueada lentamente. Há compras in-app, mas que são completamente desnecessárias a meu ver. Basta jogar para ir desbloqueando tudo.

Temos também níveis extra que apenas são desbloqueados se conseguirmos obter todas as conquistas em cada nível, o que implica dar apenas sushi favorito aos monstros, não perder nenhuma vida, e conseguir alimentar todos os monstros que aparecem no objectivo para esse desafio.

Como o jogo de ontem, também este Sushi Ride tem uma boa dose de originalidade, apesar de partir de uma fórmula algo conhecida em outros jogos da App Store. As novas mecânicas trazem um desafio acrescido bem interessante, e esta banda sonora jazz com um baixo a slapar à força toda é qualquer coisa de espectacular.


Sushi Ride na App Store

Tamanho: 72.5 MB