quinta-feira, 10 de maio de 2018

Textual description of firstImageUrl

Tiny Bubbles

Ontem tivemos o prazer de assistir a uma grande estreia na App Store, um jogo chamado Tiny Bubbles que nos chega pelas mãos da Pine Street Codeworks LLC (chama-se Pequenas Bolhas na App Store Brasileira e Portuguesa), onde temos de combinar bolhas da mesma cor para as eliminar do ecrã, entre muitas outras coisas.


Eu sei que à partida falar-se de combinação de cores, pensa-se logo no género match-3 do costume, e queremos logo passar ao próximo jogo. Mas desenganem-se, que neste Tiny Bubbles estamos perante um dos jogos mais originais e bem concebidos de todos os tempos, ainda para mais num iPhone e iPad.

Primeiro temos um motor molecular dinâmico incrível que nos possibilita ter no ecrã bolhas espectacularmente reais (com o comportamento igualzinho ao das bolhas de sabão que conhecemos tão bem), mas aqui transportadas para o nível microscópico de um ambiente aquático carregado de criaturas que encontramos habitualmente no oceano.

Este gosto do criador do jogo pelo comportamento das bolhas veio do seu avô, um cientista de renome do M.I.T., que estudou a fundo a estrutura das bolhas de sabão, publicando uma série de artigos científicos nos anos 50. Em jeito de homenagem ao seu avô, que tem daltonismo, o jogo inclui  até um modo para daltónicos que possui 3 paletes de cores diferentes para ser acessível para os 3 tipos de daltonismo que existem.

Nos primeiros desafios o objectivo é simples, fazer desaparecer todas as bolhas do ecrã, e para o conseguir basta combinar quatro ou mais bolhas da mesma cor, para que estas expludam todas de seguida mal entrem em contacto umas com as outras. E como fazemos isto? Temos em cima uma lista com as cores que podemos usar por ordem, e basta tocar numa bolha para que esta se encha com a primeira cor da lista.

Mas a partir daqui as coisas podem seguir diversos caminhos. É possível combinar cores por exemplo, o que faz com que o jogo ganhe uma nova dimensão, e ainda mais quando percebemos que para além das cores podemos também usar uma tesoura para quebrar as finas películas que compõem uma bolha de sabão. Isto tanto pode servir para fazer desaparecer uma bolha de sabão ao rebentar a sua parede exterior, ou para misturar as cores de duas bolhas vizinhas (já sabem como é, azul e amarelo dá verde, azul e vermelho dá roxo, vermelho e amarelo dá laranja, e por aí fora).


Os desafios do jogo não se ficam por aqui, pois temos pela frente 172 puzzles criados à mão, e à medida que vamos avançando a mecânica vai ficando mais complexa, assim como os objectivos pedidos. Podemos ter que rebentar bolhas até conseguir ficar dentro de um pequeno círculo alvo, ou podemos ter que aproximar duas bolhas que contêm no seu interior duas estrelas do mar pai e filho que têm de se encontrar.

E não são estes os únicos bichos aquáticos que encontramos no jogo, pois há também um pequeno peixinho chamado Bloop que aparece especialmente no níveis de Arcade, e que se diverte a colocar mais bolhas no ecrã, o que pode complicar ou facilitar a nossa vida. Temos é de evitar o contacto com caranguejos e ouriços, pois estes depressa rebentam com todas as bolhas, estragando por completo o nosso jogo.

O caminho entre os puzzles é escolhido por nós, e vamos avançando para desbloquear um novo mundo com mais puzzles, ou o mundo Arcade por exemplo, que se torna num desafio um pouco menos zen que todos os outros puzzles relaxantes, pois temos a pressão do peixinho Bloop a fazer das suas, assim como dos caranguejos e ouriços sempre a ameaçar destruir tudo.

Há também um modo de jogo infinito, que podemos jogar a qualquer momento entre puzzles, sempre que tenhamos jogadas disponíveis. Este não é um modo para podermos jogar à pressa sem puxar pela cabeça, pois é limitado no número de jogadas possíveis. Sempre que conseguimos combinações, ganhamos novas jogadas, mas se colocarmos todas as cores disponíveis sem rebentar bolhas, teremos que aguardar alguns minutos até voltarmos a ter jogadas disponíveis. Este é portanto um modo para ir jogando à medida que vamos resolvendo os puzzles dos mundos em baixo.

Ao nível visual o jogo é incrível, com o movimento realista das bolhas a 60 FPS, e o som destas a rebentarem (usando sons reais gravados pelo criador), e uma banda sonora altamente relaxante e interactiva, que vai mudando de intensidade conforme vamos rebentando mais ou menos bolhas e nos aproximamos da conclusão do puzzle (usar headphones é altamente recomendado).

Um jogo como estes não podia passar sem um sistema de ajuda, e há dicas para desbloquear com as fichas que vamos ganhando na resolução dos puzzles ou do modo infinito. Lembrem-se que como este é um jogo com vida, por vezes é preciso ser rápido a colocar as cores para concluir um determinado puzzle, ou então ser paciente, pois as bolhas vão-se movendo naturalmente até chegarem a uma posição que nos convém para aí colocar a cor perfeita e resolver tudo de uma assentada.

O jogo está com desconto de 40% nesta primeira semana em que se estreou na App Store, e só posso recomendar vivamente que o comprem, que é mesmo uma experiência incrível e única. Tiny Bubbles tem sido aclamado por toda a crítica, e com boa razão, pois não encontrarão melhor jogo que este em 2018.


Tiny Bubbles na App Store

Tamanho: 162.3 MB



Tiny Bubbles - Rating: 5

Sem comentários :

Publicar um comentário