segunda-feira, 8 de abril de 2019

Textual description of firstImageUrl

Retro Pixel

Encontrei um jogo de plataformas com uma banda sonora 8-bit brutal, chama-se Retro Pixel e chega-nos pelas mãos de Oliver Kjellen, e podem ter a certeza que se não fosse pela música fantástica e aspecto visual retro como se estivessemos a jogar num monitor CRT com o antigo Spectrum, iam dar em malucos com a dificuldade deste jogo gratuito.


Em Retro Pixel temos de levar o pequeno pixel do ponto A ao ponto B, neste caso até ao portão preto que se encontra normalmente bem afastado do nosso ponto inicial. O pixel está constantemente a saltitar, e tocando nos lados do ecrã controlamos a direcção do seu movimento.

Este é um jogo de timing e bons reflexos, pois temos de mover o pixel no momento certo para saltar em cima de uma determinada plataforma em movimento, ou para evitar cair em cima de um pico ou mesmo na lava incandescente. Pelo caminho também podemos apanhar um pequeno diamante, que nos permite desbloquear novos modos de jogo.


São mais de 80 níveis para ultrapassar, os quais parece que vamos conseguir mal apanhemos o jeito ao movimento do pixel, especialmente ir contra às paredes para conseguir chegar a pontos mais altos. Mas depressa percebemos que o timing do salto é crucial para resolver muitos dos níveis, e também as novas mecânicas como uma espécie de líquido que altera por completo a física do pixel, etc, etc.

O jogo no início fez-me lembrar o espectacular e incrível Thomas Was Alone (este sim não podem mesmo perder), por causa dos balões com conversa que aparece por vezes sobre a cabeça do pequeno pixel, mas não há dúvida que este é mais próximo da família Flappy Bird, tão irritante que consegue ser às vezes. É um jogo para os viciados no desastre e no "só mais uma vez e vou conseguir" sem fim.


Retro Pixel na App Store

Tamanho: 65.3 MB

Sem comentários :

Publicar um comentário