quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Warsnake

Estamos numa altura em que os jogos andam a evoluir, especialmente aqueles géneros clássicos que pensamos não ser possível mudar ainda mais a fórmula como aconteceu recentemente no caso dos jogos match-3, e agora com este Warsnake da Moido Games Ltd., que nos traz o clássico jogo Snake completamente reinventado.


Ainda me lembro de ter o jogo Snake no meu Nokia, onde tinha de andar a passear com a pequena cobra no ecrã a comer todas as frutas que encontrava, e ao mesmo tempo a ter especial cuidado com o tamanho da sua cauda que não parava de crescer e começava a tornar-se um verdadeiro perigo.

Esta era a premissa do Snake original, tentar comer o maior número de frutas e aguentar o máximo de tempo possível no ecrã sem bater contra a nossa própria cauda. Depois apareceram algumas versões onde a cobra tinha de se mover no interior de um labirinto, mas nenhuma como este Warsnake que nos traz um autêntico 50% cobra 50% guerra.


Pois é, neste jogo encontramos a cobra num labirinto, que ainda por cima está às escuras, e que só nos deixa visualizar as paredes mais próximas da cabeça da cobra, o que torna tudo bem claustrofóbico. E depois como se isso não fosse suficiente, temos inimigos que andam por ali a passear e que dão cabo das nossas vidas se formos contra eles.

Como é 50% jogo de guerra, podemos disparar contra eles para os eliminar, e isto é altamente satisfatório. Tocando do lado esquerdo do ecrã, arrastando o dedo na direcção que queremos, permite-nos controlar o movimento da cobra, e do lado direito temos o disparo do canhão (tocar na parte superior do lado direito activa as bombas).

Disparar o canhã tem uma dupla função, e isto está muito bem pensado aqui neste jogo, pois permite-nos iluminar temporariamente o caminho na direcção do disparo. E para além de bem pensado, está também muito bonito ao nível gráfico, com uns efeitos visuais fantásticos.


O jogo funciona em modo de campanha, avançando missão a missão, cada uma com um determinado objectivo, como conseguir apanhar um x número de pedras preciosas e matar não sei quantos inimigos, e depois avançar para a saída. Passados alguns desafios, e como não podia deixar de ser temos um desafio extra onde encontramos o chefão, que é bem mais difícil de derrotar do que os pequenos bandidos que ele vai libertando para nos destruir.

Este é um jogo bem desafiante e super divertido, daqueles que não nos mata logo quando vamos contra uma parede ou inimigo, pois vamos perdendo a cauda da cobra até não restar mais cauda, e conta com uma banda sonora electrónica incrível estilo jogos dos anos 80 que não deixará ninguém indiferente. Se tiverem uma Apple TV podem até jogar contra outra pessoa, que há um modo multijogador especial só para a caixinha mágica da Apple.


Warsnake na App Store

Tamanho: 83.8 MB

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Promoção Halloween da Glitch Games

Mesmo a tempo do Halloween a Glitch Games colocou gratuitos 3 dos seus misteriosos jogos point-and-click do género Room Escape, onde temos de resolver uma série de puzzles e quebra cabeças para conseguir escapar do local onde nos encontramos e levantar o véu ao mistério que nos rodeia.


Já falei aqui de Forever Lost: Episode 1 HD e Forever Lost: Episode 2 HD, assim como do mais recente dos 3, The Forgotten Room. Mas a estrela desta promoção poderá mesmo ser o jogo All That Remains: Part 1, onde passamos a ter mais cenas animadas, um trabalho de vozes bem profissional, e um mistério bem mais interessante e assustador para resolver.


Os puzzles são uma grande componente de todos estes jogos, e são a parte central que atrai os fãs destes quebra cabeças misteriosos. No caso de All That Remains vestimos a pele de Campbell Price, um jovem a quem costumavam chamar de paranóico, mas estas vozes parece que perderam o pio, pois perderam a sua vida.

E nós encontramo-nos fechados num bunker e temos um único canal de comunicação com a nossa irmã que também ela está presa. Cabe-nos a nós descobrir como fugir do bunker, perceber o que se está a passar, e tentar salvar a nossa irmã. São bons a resolver puzzles? Têm aqui 3 jogos gratuitos de grande qualidade para provar as vossas capacidades de dedução.


Forever Lost: Episode 1 HD

The Forgotten Room

All That Remains: Part 1

terça-feira, 29 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

reky

Os jogos que mais aparecem aqui nos Apps do iPhone são mesmo os quebra cabeças, e basta seguir o link para perceber que são já às centenas, e na sua maioria tudo jogos de grande qualidade e com mecânicas e jogabilidade bem interessantes. Isto só acontece porque vão aparecendo sempre novas maneiras de resolver puzzles, e este reky de Andreas Diktyopoulos, é mais um a juntar a uma enorme lista de puzzles inovadores que marcam pela diferença.


Em reky controlamos uma pequena bola saltitona, a qual temos de levar até ao portal de saída em cada nível, que aparece assinalado com uns pequenos riscos animados. Digo isto porque a certa altura começamos a ter vários portais que podem ser atravessados pela nossa bola, que nos transportam entre diferentes localizações no nível, e há que saber qual é o portal final, o nosso objectivo e destino.

A mecânica de jogo é nova e portanto há que perder uns minutos a perceber como tudo funciona. Para mover a nossa bola é só tocar no local que queremos para onde ela vá, e está feito, como em qualquer jogo point-and-click. A ideia de cada nível será tentar estabelecer um caminho viável para que a bola consiga chegar até ao portal de saída.

Para isso contamos com as cores que pintam alguns dos blocos presentes no ecrã. Estes blocos podem ser movidos, bastanto deslizar o dedo sobre eles, o que nos permite obter novas passagens para a nossa bola. Ao passarmos sobre estes blocos coloridos podemos tocar no seu interior para transferir a sua cor para a bola, que pode dessa forma ser transferida para um outro bloco em branco, passando este bloco a ter a capacidade de ser movido da mesma forma que o anterior bloco.


Diferentes cores permitem que os blocos se movam de maneiras distintas, e é aqui que temos a parte do quebra cabeças para resolver. Há que mover vários blocos, ou por vezes apenas só um, brincar com as cores, atravessar portais, e contar com o botão de UNDO (voltar atrás) para não termos que reiniciar constantemente um mesmo nível. Sim, que isto com portais podemos acabar por ser transportados para um local de onde não haja saída possível.

Este é um jogo onde a partir de certo nível experimentar é a ordem do dia. Temos de perceber em que direcção certos blocos coloridos se movem, e para onde certos portais nos transportam. E só aí é que podemos começar a usar a lógica para perceber quais os movimentos a fazer e qual o melhor caminho até chegar ao portal de saída. Com 96 níveis para resolver, e um design incrível 3D a acompanhar, este é um jogo muito bonito que recomendo vivamente a qualquer fã de puzzles e quebra cabeças.


reky na App Store

Tamanho: 420.9 MB

segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Starbeard

Há por aqui fãs de jogos do género Match-3? Não, nada de Candy Crush nem Bejeweled, mas sim algo completamente novo e genial, que adiciona um pouco do género Roguelike para uma mistura divertida e bem desafiante. Estou a falar do recém chegado Starbeard da Jolly Good Games Limited, um jogo que vos vai deixar de queixo caído de tão espectacular que é.


Há jogos incríveis, e posso dizer que este Starbeard está lá bem no topo com os melhores. Para alguns ouvir a palavra Match-3 é razão para fugir a sete pés, e para outros é razão para perderem horas e horas da sua vida de volta de um jogo. O que é certo é que se gostam de pôr a cabeça a funcionar e apreciam a aventura e desafio que proporciona um bom Roguelike, então este é um jogo que vão adorar.

Gnomos no espaço é a moda do dia, especialmente gnomos que têm de cuidar dos seus jardins plantados em vários planetas espalhados por essa galáxia fora. O problema é que os seus jardins estão a ser invadidos por pestes, desde insectos alienígenas a sapos, aranhas, etc, etc. Cabe-nos a nós atravessar um portal e viajar para esses planetas para nos livrarmos das pestes que ameaçam destruir as nossas queridas flores espaciais, e ao mesmo tempo, salvar a galáxia, duh!

A mecânica do jogo leva alguns minutos a apanhar-lhe o jeito, mas depressinha ficamos enrolados no seu esquema bem pensado, e não vamos querer pousar o jogo tão cedo. Cada planeta tem um diferente tipo de pestes, com ataques e movimentos distintos, e que se misturam com as peças a combinar (sol, estrela e lua).

Cada gnomo tem uma cor específica que coincide com a cor ora da estrela ou da lua ou do sol, e isto é importante porque o próprio gnomo pode ser usado para fazer combinação com 2 peças da sua cor. Mas isto é um pormenor, porque o que vamos andar a fazer mais é combinar estas peças às 3 de cada vez, ou mais, para cumprir o objectivo pedido.


E o objectivo é sempre aleatório, e pode variar entre combinar 15 luas, ou destruir 6 pestes, ou mesmo aguentar 5 turnos sem morrer. E com morrer quero dizer, não perder todas as flores do jardim, que se encontram na parte inferior do tabuleiro, e também fazer parte do jogo. Mas este é um jogo por turnos, e na nossa vez apenas podemos fazer 3 movimentos, e depois é a ver do adversário que acrescenta uma linha de peças e pestes no topo, arrastando tudo uma casa para baixo (se alguma peça tocar no fundo, perdemos uma flôr).

Perder todas flores faz com que percamos o desafio, e teremos que recomeçar a defesa desse planeta novamente. Mas isso é algo que todos os jogadores de Roguelikes já estão habituados, recomeçar um jogo, melhorar os seus poderes, conseguir novos gnomos e ir progredindo dessa forma. Eu falei em poderes, pois é, sem os poderes não conseguíamos fazer grande coisa, pois é com eles que vamos poder destruir as pestes e conseguir concluir os desatios que temos pela frente.

Há que combinar os elementos para carregar estes poderes, que podem depois ser activados nos botões em baixo. Fazer combinações e usar os poderes, esta é a estratégia essencial para nos levar ao sucesso. Cada gnomo tem poderes diferentes, e por isso há que experimentá-los todos à medida que os vamos desbloqueando.

Não há dúvidas que estamos perante um jogo muito bem concebido, daqueles que não queremos pousar, e vamos repetir vezes e vezes sem conta. Os combates não duram muito tempo, mas se por acaso nos demorarmos é só pousar o iPhone, que quando voltarmos o combate que ficou a meio está lá à nossa espera. Este é um jogo pago, por um preço bem baixo, sem quaisquer compras in-app nem publicidade, e que recomendo vivamente.


Starbeard na App Store

Tamanho: 334.3 MB

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Bury me, my Love

A guerra na Síria levou a que uma grande parte da população tivesse que abandonar as suas casas e o seu país para fugir aos combates. A crise dos refugiados pode ser vivida de uma forma bem intensa e emocional neste Bury me, my Love da Plug In Digital, um jogo a ser experienciado em tempo real como se estivessemos na pele de uma refugiada a trocar mensagens no seu telemóvel com o seu marido que ficou para trás na Síria.


Este é um daqueles jogos do género do Lifeline, que ficou famoso pela troca de mensagens funcionar em tempo real, tendo de aguardar pela resposta demorada da pessoa do outro lado, como se fosse mesmo algo real que nos estivesse a acontecer. São vários os jogos deste género e alguns deixam-nos mesmo agarrados ao telemóvel e com os níveis de ansiedade bem altos, como é o caso deste Bury me, my Love.

O jogo chega-nos pelas mãos da Plug In Digital, que não é nenhuma estranha a jogar com temas polémicos e até bem reais dos nossos tempos, como é o caso do recém chegado à App Store Alt-Frequencies, que é inovador tanto em jogabilidade como na temática usada no jogo.


No jogo podemos ir tomando decisões à medida que vamos acompanhando a viagem de Nour e a troca de mensagens com o seu marido, Majd. Ao mesmo tempo vamos percebendo a realidade da guerra, a realidade dos campos de refugiados, a dura realidade daqueles que deixam tudo para trás para tentar sobreviver e viver com alguma dignidade, e das dificuldades que lhes aparecem pela frente nesta viagem a caminho da Europa.

Este é um jogo que não deixará ninguém indiferente, e que para muitos será um abrir de olhos que muitas vezes nos passa ao lado, especialmente quando não andamos atentos às notícias do mundo. O jogo está muito bem conseguido, mas é a história que interessa, e é difícil de acompanhar porque se tratam de vidas humanas em jogo todos os dias.


Bury me, my Love na App Store

Tamanho: 187.5 MB

quinta-feira, 24 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

GameClub - a new way to play!

Eu já falei aqui antes do GameClub, um serviço do mesmo estilo que o Apple Arcade, que se estreou hoje na App Store com a sua nova app GameClub - a new way to play!, e disponibilizando de imediato os seus mais de 50 jogos que foram retirados do baú dos jogos de grande sucesso que já tinham desaparecido da loja de apps da Apple.


A grande diferença entre Apple Arcade e GameClub é que estes jogos já gozaram de grande sucesso na App Store, jogos bem divertidos que passaram pelas mãos de milhões de jogadores, e que deixaram muita gente triste e chateada quando desapareceram, mas que estão agora de volta. A equipa do GameClub foi procurar os melhores jogos que deixaram de ser suportados pelos seus criadores, recuperou-os, actualizou-os para o iOS mais recente e tornando-os compatíveis com mais iPhones e iPads, melhorando até os gráficos e jogabilidade de muitos destes títulos.

A escolha é incrível, e tenho a dizer que muitos destes jogos ainda me deixam mais colado ao ecrã do que muitos dos jogos do Apple Arcade. Jogos como The Path to Luma, Gears, Mini Squadron, Kano, o espectacular Choper 2, iBlast Moki 2, Mage Gauntlet, Super Crate Box, Faif, Adventure Company, Zombie Match Defense, Chippy, Roofbot, Legendary Wars, ORC: Vengeance, e Warpack Grunts.




E tenho duas boas notícias para todos os gamers. Primeiro o preço da subscrição é igual à subscrição do Apple Arcade e conta também com 1 mês grátis, o que dá para experimentar todos estes jogos à vontade. Segundo, se por acaso já tiveram algum destes jogos, vão poder voltar a jogá-lo novamente, e sem terem de subscrever o GameClub, pois o jogo ganhou uma nova vida com o regresso à App Store, e se já o compramos no passado, é nosso para jogar quando quisermos.


Portanto, basta passar pela página do GameClub na App Store, e ver quais dos jogos já adquirimos no passado e voltar a instalá-los para recuperar aquele prazer de jogar alguns dos melhores jogos de sempre (estou a olhar para ti Chopper 2). Ou então instalem a app do GameClub, procurem o jogo que querem jogar, activem a subscripção de 1 mês grátis, e se os jogos antigos retro for mais a vossa cara, é só continuar a pagar a mensalidade, que estão prometidos novos jogos todas as semanas (Spider: The Secret of Bryce Manor é um dos que se pode ver no vídeo aqui em baixo como próxima entrada no GameClub).


GameClub - a new way to play! na App Store

Tamanho: 46.9 MB



quarta-feira, 23 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Get aCC_e55

A brincar um pouco com a nostalgia dos computadores antigos como o ZX Spectrum ou o DeLorean do Regresso ao Futuro, em Get aCC_e55 de Andrew Kyznetsov, somos um geek cyberpunk que tem um carro muito estranho na sua garagem e temos de resolver uma série de puzzles para o conseguir pôr a funcionar.


Este poderia ser o típico jogo do género room escape, mas aqui trocam-nos um pouco as voltas com a sua mecânica de jogo isométrica, onde podemos rodar os locais onde nos encontramos para vê-los quatro ângulos diferentes, o que nos permite ter muito mais pistas e puzzles para resolver em cada local.

Como cientista wanna-be a viver numa garagem anexada a um pequeno bar, damos de caras com uma oportunidade única, um carro que se diz poder viajar no tempo, um que se parece imenso com um tal de DeLorean que aparece num filme de viagens no tempo, e cabe-nos a nós activar uma espécie de portal para que seja possível receber o motor que falta, e ao mesmo tempo resolver todos os puzzles em vários locais na garagem e bar que nos levarão a conseguir ter tudo a funcionar.


Há computadores para fazer hacking, há copos para arrumar no bar, há máquinas arcade com um jogo clássico para jogar e vencer, há muitas portas para abrir, para as quais temos de encontrar as suas chaves digitais, e há toda a uma série de puzzles espectaculares para resolver.

O jogo é bem desafiante, e temos aqui várias horas de jogo pela frente. Ele não é no entanto completamente gratuito, pois quando estivermos quase a chegar a 3/4 do jogo, é-nos pedida uma chave especial para conseguir activar o elevador, chave essa que tem de ser comprada com uma compra in-app, e só assim conseguimos continuar o jogo e resolver todos os puzzles até ao fim.

Seja como for, o jogo é um belíssimo desafio para os fãs de jogos point-and-click e puzzles em geral, e para chegar até essa parte do jogo já teremos que ter resolvido mesmo muitos quebra cabeças. Concluir o jogo e adquirir esta chave é bem merecido pelo trabalho que foi preciso para criar este belo jogo, por isso fica à vossa consideração. Se tiverem dúvidas é só perguntar, e há muitos vídeos no YouTube a mostrar como resolver o jogo até ao final se for preciso.


Get aCC_e55 na App Store

Tamanho: 394.5 MB



terça-feira, 22 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Nood Climbrs

Para os apreciadores da escalada e de trepar em geral, Nood Climbrs da Noodlecake, é o novo desafio que nos vai pôr em pelota, exactamente como viemos ao mundo, a trepar por uma parede acima, num jogo de alpinismo que podemos encontrar grátis na App Store.


Os jogos da Noodlecake são dos mais porreiros e divertidos que existem na App Store, e portanto não é de estranhar que tenham também uma aventura carregada de puzzles no novo Apple Arcade, e que este Nood Climbrs seja também um possível sucesso.

Em Nood Climbrs temos de mover os braços e pernas do nosso personagem de ponto fixo em ponto fixo, até chegar à pose final que aparece desenhada na parede uns metros mais acima. Quem diz parede, pode dizer montanha, já que se trata de um jogo que tanto pode ser escalada como alpinismo.


Este é um jogo de destreza, reflexos e concentração, mas também de rapidez, pois lá mais para a frente os pontos são mais frágeis e só aguentam com o nosso peso alguns segundos antes de nos obrigar a soltá-los, por isso há que planear muito bem a nossa rota em tempo real, e ser bem ágeis a saltar de ponto em ponto.

Mover os pés e mãos individualmente para os vários pontos é um desafio do caraças, e fazê-lo a dar gás é qualquer coisa que nos mantém agarrados ao jogo com unhas e dentes. Ganhar dinheirinho é bom pois permite-nos adquirir novos acessórios e até roupas, que isto de andar a escalar todos nús não é a coisa mais saudável do mundo. Um grande desafio e bem divertido e viciante, Nood Climbrs é o novo passatempo da Noodlecake que não deixará ninguém indiferente.


Nood Climbrs na App Store

Tamanho: 457 MB

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Machinika Museum

Nunca mais sai um novo jogo da série The Room: Old Sins, e enquanto estou à espera, vou procurando jogos dentro do mesmo género, como é o caso do gratuito Machinika Museum da Littlefield Studio, que pelo aspecto gráfico faz logo lembrar os jogos como os The Room.


No futuro encontrar peças alienígenas não é difícil, especialmente quando trabalhamos num museu dedicado a guardar e estudar estas peças. E é no processo de explorar o que fazem e para que servem algumas destas peças estranhas que vamos desvendar um grande mistério, à medida que vamos resolvendo os puzzles que nos vão permitindo avançar nesta aventura.

Não sabemos ao certo quem nos enviou estes estranhos artefactos alienígenas, mas cabe-nos a nós abrir os caixotes e colocar estes estranhos mecanismos a funcionar para perceber para que servem. A ideia é aproximar dos objectos, tentar resolver os puzzles que partes dos objectos encerram em si mesmos, e ir experimentando para ver onde nos leva.


O aspecto gráfico transporta-nos de imediato para jogos como The Room - Old Sins, que é uma grande produção, e mesmo os puzzles adivinham-se poder vir a ser uns bons quebra cabeças. O problema é que o jogo tem apenas um capítulo disponível, o que nos permite jogar apenas alguns minutos até que se tenha resolvido o primeiro mistério.

Pelos vídeos que se encontram na net, o jogo promete bem mais para os próximos capítulos, e as imagens prendem-nos facilmente a atenção, dando a entender que temos um jogo com a qualidade de um bom jogo de consolas. A ver que novidades poderão ainda vir aí para dar continuidade a um jogo que promete e bem. Os primeiros puzzles não são muito difíceis, mas se tiverem alguma dúvida é só perguntar que eu dou uma ajuda se for preciso.


Machinika Museum na App Store

Tamanho: 361.2 MB

sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Utilizer Deluxe shooter match3

Há que tentar ser diferente não é? Porque não pegar num shooter no espaço, misturar com um pouco de match-3 e conseguir um jogo completamente diferente e desafiante? É o que temos aqui com este Utilizer Deluxe shooter match3 de Oleg Antipov, um jogo gratuito que acabou de chegar à App Store.


A vestir o fato espacial de um piloto novato, somos encarregues da missão de recolher os contentores que andam espalhados por esse universo fora, e ao mesmo tempo livrar as rotas espaciais de monstros alienígenas perigosos e também de meteoritos que se podem colocar no caminho das naves nas suas viagens.

É uma missão complexa, pois para além de andarmos atentos a disparar os nossos canhões para destruir os monstros e meteoritos e outros perigos, temos de ter muita atenção aos contentores que podemos recolher na plataforma da nave. Há que colocá-los por cor, que ao termos 3 contentores da mesma cor lado a lado (ou empilhados na vertical), eles são eliminados pelos sistemas da nave, livrando-nos do lixo a mais, e dando espaço para recolher mais contentores.



O jogo conta com 4 modos diferentes, cada um mais desafiante que o outro, incluíndo um modo mais simples sem monstros onde apenas temos de nos preocupar com meteoritos (os monstros disparam contra nós tornando a nossa tarefa bem mais difícil), um modo que nos leva para lá do abismo, que é o mais desafiante de todos, e até um modo infinito para aqueles profissionais que acham que se aguentam bem à bronca.

Ganhar dinheiro é importante para melhorar a nossa nave, melhorar os canhões, e comprar armas potentes que nos podem desenrascar numa situação mais complexa, como uma mega bomba que pode ser essencial quando estivermos a lutar contra um boss. A mistura de géneros é bem interessante e como é um jogo gratuito, podem experimentá-lo à vontade no vosso iPhone, que não se irão arrepender.


Utilizer Deluxe shooter match3 na App Store

Tamanho: 39.6 MB

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Potion Punch 2

Já não falava aqui há algum tempo de jogos de gestão de tempo onde temos de servir clientes numa cozinha ou restaurante. E também não vai ser hoje, porque o que está na moda são os jogos RPG, e portanto o que é preciso é fazer poções e todo o tipo de coisas mágicas e medievais, como é o caso neste Potion Punch 2 da Monstronauts Inc., um fantástico jogo gratuito para todos os fãs de jogos de gestão de tempo e recursos.


Aqui não se cozinha comida, ou pelo menos não é isso o mais importante, pois os nossos clientes têm gostos muito particulares, como poções e feitiços para usarem nas suas aventuras pelo reino fora. Em Potion Punch 2 vestimos a pele de uma alquimista novata, que terá de satisfazer os pedidos dos seus clientes "cozinhando" tudo aquilo que nos pedem.

Começamos numa pequena taverna, que se encontra no início completamente vazia e ainda tem muito pouco para oferecer. Mas temos de começar por algum lado, e então temos algumas poções coloridas para vender (azul, vermelha e amarela), e uma comidinha apetitosa que é cozinhada pelo bafo quente de um dragão. 

A mecânica é fácil de aprender, e é quase sempre a mesma, variando um pouco lá mais para a frente quando partimos para outras tavernas diferentes com ofertas também elas bem diferentes. Chegando um cliente tomamos nota do seu pedido, e depois há que colocar uma garrafa vazia à nossa frente no balcão, e encher com a poção da cor que nos foi pedida. De seguida entregamos a poção ao cliente e levantamos o nosso dinheirinho precioso do balcão.


Outras coisas que temos de ter atenção para além de servir poções e entregar a comida estorricada pelo dragão (não deixem estorricar a comida!), é repôr o stock das coisas todas, como por exemplo quando se acabam as poções temos de voltar a encher as tinas, repôr o stock dos copos, e também colocar mais comida no cesto para o dragão queimar.

Os clientes são impacientes, e tentar ser o mais rápido possível não é fácil quando nos começam a pedir poções verdes ou roxas, que nos obrigam a misturar poções de mais de uma cor (amarelo e azul para a verde, etc), e quando o dragão teima em estorricar a comida toda. Mas para nos ajudar com isto há que usar o dinheirinho que vamos ganhando para melhorar algumas coisas.


Podemos melhorar a capacidade das tinas de poções, podemos aumentar o tamanho do cesto de comida e dos copos, podemos aumentar o tamanho do balcão, e mais importante podemos contratar novos trabalhadores que nos ajudam nestas tarefas mais chatas como é o caso de repôr o stock dos produtos ou manter o dragão controlado para não queimar a comida.

Como jogo de gestão de tempo é brilhante, pois para além dos trabalhadores extra que podemos ter a trabalhar para nós, podemos inclusive dar festas para fazer com que os nossos clientes fiquem mais amiguinhos e pacientes, permitindo que não se chateiem tão rápido com a espera e fujam sem pagar.

Pelo que vi até agora o jogo não necessita que se gaste qualquer dinheiro para jogar, e mesmo os trabalhadores podemos não os usar para poupar créditos e dinheiro, fazendo tudo à mão sozinhos (para os profissionais da gestão de tempo). O jogo pode ser jogado completamente offline, e conta com um modo de poupança de bateria que reduz a intensidade dos gráficos, que pode até ser bem útil em iPhones mais antigos.


Potion Punch 2 na App Store

Tamanho: 679 MB

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Merge Worlds!

Para os fãs de puzzles match-3 e para todos aqueles que apreciam um bonito jogo onde podem relaxar à vontade, Merge Worlds! da Grrr Game Studio CO., LTD., é um jogo gratuito que acabou de se estrear na App Store onde temos de construir uma cidade e que nos deixa jogar à nossa maneira e ao nosso próprio ritmo.


À primeira vista parece ser mais um daqueles jogos do género 2048, como foi o caso do jogo Criador do Mundo, de que já falei aqui antes, mas não é. Aqui a mecânica é mesmo a do match-3, com alguns toques de 2048, pois as peças obedecem à gravidade e deslocam-se para baixo no ecrã.

Mas a jogabilidade é aquela que nós quisermos, pois o jogo dá-nos liberdade para jogarmos da maneira que nos apetecer. Podemos simplesmente apreciar a música e as construções que vamos conseguindo para a nossa cidade sem stressar com o tempo e a velocidade do jogo, ou então podemos ir atrás dos combos que se activam quanto mais rápidos formos a fazer combinações, o que nos permite obter mais dinheiro e mais certos poderes de uma maneira mais rápida.

O jogo é simples, basta combinar 3 ou mais objectos iguais, para se transformarem num objecto mais complexo e avançado. Por exemplo combinar 3 arbustos dá origem a um pequeno parque com árvores, e ao combinar estes passamos a ter um conjunto de árvores, e de seguida um pequeno parque, depois uma casa, uma mansão, etc, etc, passando até para alguns edifícios e construções famosas do nosso planeta.


E há muita coisa para fazer neste jogo para além de apreciar a cidade e as pessoas que vivem nela. Em termos de jogabilidade podemos investir num jogo livre onde teremos que ver o quanto conseguimos evoluir a cidade até ficarmos sem movimentos, ou então partir para o modo de níveis, onde em cada um deles teremos uma espécie de missão a completar e que nos dará dinheiro extra. Este dinheiro pode ser usado para adquirir novos edifícios e objectos, ou mesmo para desbloquear novas cidades como Paris, Hong Kong, etc.

O único senão do jogo é arrancar em modo Coreano, o que nos obriga a ir às definições do jogo mal acabe o tutorial, e mudar a língua. Depois podemos voltar a aceder ao tutorial nas definições, para voltar a ver como se joga na nossa língua. O impacto na bateria também é considerável, por isso mantenham-se perto de um carregador que este jogo é puxado.


Merge Worlds! na App Store

Tamanho: 321 MB

terça-feira, 15 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

DuetCam

Durante a apresentação da Apple em Setembro onde foi dado a conhecer os novos iPhone 11, pudemos ver a fantástica Filmic Pro em acção a mostrar a sua capacidade de filmar um vídeo em simultâneo usando as quatro câmaras do iPhone 11 Pro. Esta funcionalidade ainda vai demorar a estar disponível, mas para quem quiser experimentar algo do género, gravando vídeos usando a câmara traseira e frontal em simultâneo, é só passar pela App Store e instalar a app DuetCam de Marcel Schmitz.


A app DuetCam é de utilização bastante simples, bastando premir o botão de gravar para começar a filmar, onde para além da imagem da câmara traseira que preenche o ecrã na sua totalidade, temos também uma pequena janela sobreposta com o vídeo captado pela câmara frontal. Isto faz com que a pessoa que normalmente nunca aparece nos vídeos (por estar "atrás" da câmara) passe também a fazer parte das memórias que estão a ser recolhidas.

Mas isto tanto é válido para fazer vídeos por puro divertimento, como num âmbito mais profissional onde podemos estar a filmar deste modo para um projecto no nosso trabalho, para um Vlog, para apresentar uma habitação, ou mesmo para mostrar o deslumbre do local que estamos a visitar, como é o caso deste pequeno vídeo aqui em baixo feito pelo criador da app.


A app, que começou com a simples funcionalidade de fazer um vídeo usando a câmara frontal e traseira, cresceu em pouco tempo para permitir fazer zoom digital de qualquer uma das lentes, mudar a posição do rectângulo PIP que aparece sobreposto na imagem (durante a gravação), fazer a troca entre câmaras também durante a gravação, a possibilidade de visualizar os vídeos sem sair da app, e partilhar os vídeos directamente como uma história no Instagram, etc.

Atenção que a app apenas é compatível com os iPhone XR, XS, XS Max, iPhone 11,11 Pro e 11 Pro Max; e com iOS 13, como é óbvio. Se quiserem ver algumas das experiências que o Marcel Schmitz foi fazendo durante o desenvolvimento da DuetCam, é só acompanhar aqui no Twitter.


DuetCam na App Store

Tamanho: 3.2 MB

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Bounty Hunter Space Lizard

De uma equipa completamente Indie, chegou-nos às mãos a semana passada este Bounty Hunter Space Lizard da Stay Inside Games, um jogo roguelike de combates por turnos, com muita estratégia e puzzles à mistura, e que podem encontrar grátis na App Store.


O lagarto do espaço viu a sua carrinha voadora avariar e deu consigo preso num pequeno planeta, no qual resolve mudar de vida e virar um caçador de recompensas. Esta não é uma vida fácil, mas há muitos alienígenas para caçar, num autêntico jogo do gato e do rato através de uma série de níveis gerados aleatóriamente.

Como se trata de um jogo de estratégia por turnos, nada acontece até fazermos o nosso primeiro movimento. Só temos de tocar no ecrã para mover o lagarto para uma nova posição, e tocar nas criaturas para as caçar ou destruir. Normalmente aparecem alguns poderes e items extra para apanhar, coisas como jogadas extra, vidas, balas, bombas, etc, etc.

A estratégia fará uma boa diferença, pois os cenários do jogo não são fechados por quatro paredes, e portanto podemos fugir por uma abertura à esquerda e aparecer de imediato por uma abertura do lado direito do ecrã. O mesmo se pode dizer para um disparo, que podemos fazer da mesma forma dando um tiro para um buraco do lado esquerdo do ecrã, que vamos atingir um inimigo do lado direito do ecrã na mesma direcção.


Depois de apanharmos um determinado número de recompensas podemos seguir para o portal em direcção ao próximo nível, mas se quisermos podemo-nos manter por mais tempo e caçar todas as criaturas que quisermos para ganhar mais coisas (correndo o risco de morrer mais rápido).

O jogo parece algo estranho e simples da primeira vez que jogamos, mas depressa percebemos que é um jogo com bastante mais profundidade que aquela que parece à primeira vista. É um jogo de estratégia bem complexo com muitos elementos a ter em conta, e que acaba por ser bem divertido para pequenos jogos de apenas alguns minutos. Podem ver aqui em cima um vídeo que nos mostra o jogo em acção, e o único senão do jogo é mesmo a publicidade, que raramente aparece, e pode ser eliminada com uma única compra in-app.


Bounty Hunter Space Lizard na App Store

Tamanho: 25.9 MB

sexta-feira, 11 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

LT - Long Exposure

A minha app de eleição para fotos com exposição longa é a Spectre Camera dos criadores da espectacular Halide e NeuralCam. Mas há outra app chamada LT - Long Exposure de Alexander Sukhanov, que também nos permite fazer outras coisas no que toca a longas exposições, e podem encontrá-la hoje grátis na App Store.


Esta é uma app essencialmente para os mais criativos, pois permite-nos brincar com a luz, especialmente criando o efeito de arrastar das luzes, como das luzes dos carros numa rua à noite, ou simplesmente pegar numa lanterna e desenhar literalmente no ar para aparecer sobreposto numa imagem estática.

Quem diz brincar com luz para desenhar no ar, também pode dizer brincar com luz para desenhar com o movimento da água, conseguindo imagens onde a água em movimento aparece esbatida como se de nevoeiro se tratasse, etc, etc.

A app tem algumas funcionalidades interessantes como é o caso por exemplo da possibilidade de ajustarmos a exposição no momento em que estamos a tirar a foto, permitindo-nos captar arrastamentos de luz em situações em que haja mais luz à nossa volta, bastando para isso cortar à exposição, escurecendo consideravelmente a imagem, e depois usar uma luz bem forte para aparecer na foto.

Temos temporizador para começar o disparo (ideal para podermos ir calmamente para a frente da câmara e começar a desenhar no ar com as luzes), temos um temporizador para desligar ao fim de alguns minutos (também ideal para não tocarmos na câmara e afectarmos a qualidade da imagem com o movimento do nosso dedo), e há a possibilidade de activar o flash para conseguir efeitos interessantes.

Por falar em efeitos, é possível editar a foto resultante directamente na app, onde podemos alterar coisas como o contraste (que é aplicado ao efeito resultante sobre a imagem estática, que é algo que não se consegue noutras apps de edição de imagem), saturação, brilho, e até aplicar filtros com efeitos distintos. Se apreciam tirar fotos com o iPhone, esta é uma app que não devem deixar passar ao lado com toda a certeza.


LT - Long Exposure na App Store

Tamanho: 9.9 MB

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Prison Planet

É fantástico perceber que há jogos clássicos dos anos 80 que ainda conseguem ganhar novo fôlego quando há mentes brilhantes a repensar em mecânicas inovadoras que melhoram muito a sua jogabilidade. Estou a falar do recém chegado Prison Planet da Springloaded Ltd, um jogo de estratégia e gestão  de recursos onde temos de construir um autêntico planeta prisão para guardar os criminosos mais perigosos do universo.


O jogo é inspirado livremente no clássico Qix, um jogo Arcade das máquinas de jogos dos anos 80, onde tínhamos de desenhar linhas no interior de um rectângulo para ir conquistando território até chegar ao objectivo que era requerido em cada nível, e isto sem tocar nos objectos que se moviam livremente no seu interior. Em Prison Planet a mecânica é semelhante, mas é usada aqui de forma brilhante com um drone a criar as celas para os prisioneiros.


Mas o jogo é muito mais do que isto, pois temos uma pequena história que nos enquadra no espaço e no tempo, colocando-nos como um director de um planeta inabitado, e onde teremos que ir construíndo cada vez mais celas, pedir o envio de mais prisioneiros (que funcionam como inquilinos dos quais recebemos uma renda), construir novos edifícios, construir bancos maiores para guardar mais dinheiro, geradores de energia para manter tudo a funcionar, tanques de oxigénio senão os prisioneiros morrem, e edifícios de investigação para ir descobrindo novas galáxias onde ir buscar prisioneiros alienígenas e descobrir novos tipos de construções.


O jogo vive muito do timing e precisão, pois o drone tem de usar os lasers para criar as divisões (ou celas) no interior dos edifícios prisão, e deve evitar ao máximo atingir os prisioneiros, pois estes morrem se entram em contacto com o laser. Também estamos limitados no número de lasers que podemos usar, portanto há que usar a cabeça para não desperdiçar lasers à toa.

Temos uma loja onde podemos adquirir mais lasers, e aumentar a velocidade de disparo do drone, mas também podemos usar as celas de transferência para mudar os prisioneiros entre edifícios prisão, o que nos permite melhorar a disposição dos lasers quando acharmos que estamos a desperdiçar muitos lasers para o número de prisioneiros que estamos a guardar. No geral um jogo bem divertido e desafiante, que nos vai pôr a jogar por horas e dias, e que quase não tem publicidade nenhuma presente, o que é uma excelente notícia.


Prison Planet na App Store

Tamanho: 98.9 MB

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Zooba: Action & Shooting Game

Os combates de Battle Royale nunca tiveram tanta piada como este Zooba: Action & Shooting Game da Wildlife Studios, onde vamos ter a bicharada do Jardim Zoológico em plena guerra, todos contra todos, numa autêntica guerra multijogador entre 20 animais para ver quem fica em pé para o final.


Dentro do género de jogos MOBA e Battle Royale temos os mais sérios e bem famosos PUBG Mobile e Fortnite, e até o mais recente Call of Duty Mobile, mas para quem quer um jogo divertido e bem mais apelativo e amigo das crianças ao nível visual, este Zooba é a escolha acertada.

Mas o jogo para além de divertido e simpático, é mesmo desafiante e ao mesmo tempo um gozo de jogar. Os combates são rápidos, e não tarda temos o jardim zoológico todo a arder, o que obriga todos os animais que ainda estão vivos a virem lutar para o centro do jardim, como já acontece nos outros jogos de Battle Royale.


Aqui apenas temos 20 animais a combaterem uns contra os outros, mas a grande diferença deste jogo para os outros tem a ver com as habilidades específicas de cada animal, como por exemplo o Gorilla consegue saltar e derrubar os seus inimigos quando cai ao chão com os seus poderosos braços, o camaleão consegue esconder-se dos seus inimigos camuflando-se temporariamente, etc, etc.

Uns são mais ágeis, outros mais lentos, todos com poderes especiais específicos de cada animal, e depois claro está, temos as armas que podemos apanhar do chão e que também fazem toda a diferença para virarmos o rei do jardim zoológico.

Há baús para abrir, há moedas que nos permitem melhorar o poder dos nossos animais, há clãs para nos juntarmos aos nossos amigos, os quais podemos convidar para vir para a luta connosco, o que é um factor de divertimento garantido quando vamos combater com estratégias combinadas em coordenação com os nossos companheiros. O jogo está agora disponível grátis na App Store.


Zooba: Action & Shooting Game na App Store

Tamanho: 257.8 MB

terça-feira, 8 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Coloristic

Um belíssimo quebra cabeças que temos hoje em promoção, completamente grátis na App Store, é este Coloristic de Daniel Krautwurst, um jogo de lógica onde temos de preencher as grelhas no ecrã com as cores que nos são disponibilizadas.


No início de cada puzzle temos quadrados coloridos com um número no seu interior, e uma data de quadrados a branco à espera de serem preenchidos com essas cores que temos na grelha.O número apresentado no intior do quadrado inicial de cada cor indica quantos quadrados podemos preencher com essa mesma cor.

Vamos ter de puxar pela cabeça e ver qual cor seguirá um certo caminho de maneira a que ambas as cores consigam preencher todos os espaços brancos. Nos primeiros níveis avançamos a toda a velocidade, pois não é preciso pensar muito tempo sobre qual o caminho a seguir com cada cor. Mas a partir do nível 20 começam a aparecer obstáculos e caminhos mais complexos, assim como certos objectos que mudam a mecânica do jogo.


A certa altura começamos a ver na grelha uns mini quadrados coloridos, que nos indicam que apenas essa cor pode passar por aí, ou então umas setas, que nos indicam qual a direcção que a cor terá de seguir se quiser passar por cima desse quadrado. Com estes objectos especiais o desafio ganha outro nível, e torna-se num jogo bem interessante.

Com 80 níveis desenhados à mão, e um modo de jogo rápido para fazer um joguinho apenas para queimar tempo, é de aproveitar a promoção deste Coloristic, que suponho que esteja gratuito em jeito de celebração pela chegada do novo Coloristic 2 daqui a dois dias na App Store, que a julgar pelo seu aspecto também será um jogo bem porreiro.


Coloristic na App Store

Tamanho: 9.4 MB

segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Apple Arcade - Assemble With Care

Ainda a aproveitar o primeiro mês gratuito de Apple Arcade, um dos primeiros jogos que joguei do início ao fim foi este Assemble with Care da usTwo Games, um jogo muito bonito com uma história algo curta que nos vai pôr a viver as aventuras de uma rapariga com muito jeito para reparar todo o tipo de objectos do dia a dia.


A minha curiosidade inicial veio logo do facto deste Assemble With Care nos chegar das mãos da usTwo Games, o estúdio que criou os espectaculares e super famosos Monument Valley e Monument Valley 2. Pelo vídeo de apresentação dava para perceber que estavamos perante um tipo completamente diferente de jogo, mas com a excelente qualidade a que já nos tinham habituado antes.

Neste jogo vestimos a pele de Maria, uma mulher com muito jeito para reparar e restaurar todo o tipo de objectos. Em parte ganhou muita experiência para isso a trabalhar na loja de antiguidades dos seus pais, mas era algo que já tinha na sua veia. Vamos acompanhá-la nas suas viagens pelo mundo fora, enquanto vai conhecendo pessoas que irão entrar na sua vida com pedidos de ajuda para reparar objectos queridos, e ao mesmo tempo as suas próprias vidas.


O jogo é narrado em inglês, com legendas, com vozes de grande qualidade, e passamos por cada puzzle / história numa série de capítulos que nos levam até ao final da história da própria Maria. A entrada da vida de Maria nas vidas das pessoas irá mudá-las com toda a certeza, e no final, serão as suas vidas que irão mudar a vida de Maria.

Tirando a parte da narrativa e emocional, que é grande parte do jogo, temos a parte em que temos de realmente reparar objectos, e aqui o jogo não é muito complicado, mas obriga-nos a manipular certos objectos em 3D. Separar as peças de um objecto, retirar os parafusos com uma chave de fendas, trocar partes estradas por outras em condições, colar peças, etc, etc.

Há uma grande componente nostálgica neste jogo, percebendo isso de imediato quando nos chega um pequeno walkman às nossa mãos, o qual temos de reparar começando por puxar a fita da cassete para o seu interior usando um lápis. Muitos dos objectos são assim relíquias dos anos 70/80, como uma máquina fotográfica analógica, um projector de slides, um gira-discos, um walkman, um relógio analógico, etc. Esta é uma experiência que recomendo a qualquer pessoa que invista o seu tempo nos magníficos jogos do Apple Arcade. Joga-se em poucas horas, mas ficamos todos mais ricos por o fazermos.


Assemble with Care na App Store

Tamanho: 552 MB

sexta-feira, 4 de outubro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Pocket-Square

Uma consola de jogos com apenas um botão e com uma série de jogos desafiantes teria sido um sucesso nos anos 70. Especialmente se tivermos em conta alguns dos jogos que aparecem neste Pocket-Square de Cody Mace, uma simulação de uma consola de jogos antiga com alguns jogos modernos à mistura.


Temos um jogo estilo Arkanoid e um clássico Pong, que entre os inícios dos anos 70 e meados dos anos 80 já estariam ambos disponíveis nas máquinas, consolas e primeiros computadores. Se bem que aqui é suposto jogarmos com apenas um dedo, usando o único botão para controlar o jogo, o que implica um bom timing e bons reflexos da nossa parte para avançar no jogo sem perder todas as 3 vidas.

Mas depois destes e outros clássicos, passando por jogos de golf e mini-golf, salto de barreiras, basketball, baseball, frisbee, e um simples shooter, passamos para o campo dos jogos que só fizeram sucesso anos mais tarde, literalmente há apenas alguns anos atrás, como é o caso do Flappy Bird, que mesmo a controlar um pequeno quadrado a saltitar, continua a ser tão viciante e desafiante como o original.


Imagino o que seria o sucesso de uma consola de jogos como esta nos anos 70, especialmente com um jogo como o Flappy Bird (que seria um sucesso garantido), e contando com 12 jogos que fariam as delícias de todos os jovens daquele tempo.

A consola não poderia ser mais simples, com apenas um botão para jogar todos os jogos, e continua a ser apelativa para toda a gente que continua a apreciar estes jogos retro, e para aqueles que têm uma nostalgia grande por outros tempos. Seja como for, para queimar algum tempo, temos aqui uma série de jogos bem interessantes, autênticos high score chasers, para ver quem se aguenta a jogar o máximo de tempo possível. O vídeo aqui em cima não tem áudio, mas o jogo tem, por isso aproveitem, e não liguem à publicidade que só aparece de longe a longe, o que é muito bem vindo.


Pocket-Square na App Store

Tamanho: 82.6 MB