quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Solisquare

Ora cá está mais um jogo de cartas do solitário bem original e com uma mecânica nova que pretende vir a dar cartas neste mundo dos jogos de cartas e paciência. Chama-se Solisquare e chega-nos pelas mãos de gary gogis, e podemos encontrá-lo hoje grátis na App Store.


O jogo em si é o clássico solitário, onde temos 52 cartas do baralho que temos de retirar com sucesso até chegar a zero. No lugar das cartas dispostas na horizontal, com os espaços em cima para colocar os Ases, e um espaço para ir retirando cartas do baralho, desta vez temos uma grelha de 3 por 3 onde temos ao centro o baralho de onde vamos tirando cartas, e à volta do baralho os espaços onde podemos colocar as cartas para serem retiradas.

Em cima, em baixo, e dos lados, são os locais onde podemos colocar cartas a subir ou a descer para irem desaparecendo do ecrã. E nos cantos são os lugares onde podemos colocar cartas para ficarem lá temporariamente até as queremos utilizar.

Na primeira vez estranha-se este novo método de jogar, mas à segunda vez entranha-se, e de que maneira. É muito divertido o conceito, e com toda a certeza um excelente desafio sem dúvida. Subir ou descer não importa, mas temos de ter a noção de que há 4 cartas idênticas, uma de cada naipe, que necessitam de ser retiradas, por isso muita atenção com a eliminação de cartas em sequência, pois pode ou não ser a melhor estratégia.


Por cada vez que jogamos ganhamos uma moeda, mas ganhamos várias moedas se conseguirmos eliminar todas as 52 cartas do baralho. E as moedas são essenciais para comprar novos baralhos, que mudam por completo o aspecto das cartas e do ambiente à sua volta. A banda sonora é impecável, e gosto bastante de como o efeito de som muda do menu para o jogo (tipo música de elevador enquanto não estamos a jogar).

Há também um modo de jogo multjogador online, onde podemos defrontar um amigo através do gamecenter, ou um perfeito desconhecido. Isto vai um pouco contra aquilo que as pessoas procuram num jogo do solitário, pois aqui estamos a jogar contra o tempo a ver quem elimina mais cartas do tabuleiro, tudo muito rápido. Seja como for, vejam aqui em cima um vídeo que nos mostra o jogo em acção, e não percam se forem fãs deste tipo de jogo de paciência.


Solisquare na App Store

Tamanho: 711.3 MB

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Evil Shooter!

Um grande shooter onde precisamos apenas de um dedo para jogá-lo é este Evil Shooter! da Maf, um jogo que podemos encontrar hoje gratuito na App Store e que nos vai pôr nos pés de uma menina demoníaca enquanto temos de destruir todos os monstros à nossa volta.


Um jogo super pequenino que cabe na palma da mão, um daqueles que até corre nos iPhones mais antigos e lentos, Evil Shooter! é um título do qual não esperava muito, mas que supreendeu pela positiva. Daqueles jogos que fica difícil pousar, excepto se começarmos a perder muitas vezes, pois ficamos sem vidas e depois temos que aguardar um bocadinho, ou visualizar uma ou outra publicidade para ganhar vidas.

Com apenas um dedo controlamos o nosso pequeno demónio, mas há um twist bem interessante na jogabilidade. Quando nos estamos a mover ela não disparar, portanto temos mesmo de parar e levantar o dedo do ecrã para ela disparar. É um grande twist, e o que transforma a mecânica do jogo em algo inovador e bem desafiante.

E jogar com esta dualidade entre mover e disparar mexe com os nossos reflexos e timing. Temos de estar constantemente a mudar de posição, seja para fugir dos monstros que nos querem matar, seja para evitar os projécteis que vêm na nossa direcção à distância, e fica pouco tempo para disparar.


Para ajudar temos acesso a poderes especiais no início de cada nível, como uma bola de fogo rotativa que vai atingindo os monstros, ou um veneno, ou uma arma que dispara para trás, ou uma que faz ricochete, etc, etc. Para além destes poderes especiais podemos usar as moedas que coleccionamos para ir melhorando o nosso armamento pessoal, armadura, e outros poderes que podemos aplicar à nossa heroína.

Temos ainda um desafio extra que é diferente todos os dias, para o qual temos 3 tentativas, e o no qual temos de lutar contra autênticos bosses, e que se for concluído com sucesso nos dá direito a uns extras muito porreiros que podemos usar para melhorar as armas e poderes no nosso inventário.

Como disse antes, não estava nada à espera que este jogo fosse tão divertido e viciante, mas é um facto que me deixou agarrado, mesmo com as suas micro transações, às quais podemos fugir facilmente, e à sua publicidade, que acabamos por ver uma ou outra, aqui e ali.


Evil Shooter! na App Store

Tamanho: 38.1 MB

terça-feira, 17 de setembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Home Runtaro

E pelos vistos os Japoneses da Hap Inc. continuam a sua demanda a fazer jogos completamente loucos, como é o caso do mais recente Home Runtaro, um jogo gratuito que nos põe nos pés de um jogador de baseball, onde teremos que acertar com o taco na bola e evitar todas as coisas malucas que nos atiram.


Somos o batedor, e temos de bater todas as bolas que os diferentes atiradores lançam na nossa direcção. A ideia é fazer Homeruns, e não falhar a bola, pois temos apenas 3 vidas. O problema é que o atirador lembra-se de atirar coisas que não têm nada a ver, e se acertarmos com o taco nesses objectos, perdemos imediatamente o jogo.

Para não ajudar os atiradores também vão variando, e é aqui que reside a grande piada do jogo, e também alguma estranheza à mistura. Do clássico atirador de baseball passamos para uma iguana, um pai natal que atira presentes junto com as bolas, a estátua da liberdade, um menino com o seu drone, ninjas e os seus shurikens, etc, etc.


O jogo é absolutamente louco, mas é também um grande desafio. Temos de acertar na bola no local certo no momento certo, e isso não é tão fácil como parece, especialmente quando os atiradores nos atiram outras coisas para além da bola, ou o fazem com diferentes timings, ou mesmo com bolas invisíveis.

Como é costume dizer-se, "não julguem um livro pela sua capa", e aqui é mesmo verdade aplicando o ditado a um jogo. As animações bem simples assim como os gráficos desenhados à mão por este criador Indie, parecem gritar "amador", mas não podia estar mais longe da verdade. Estes jogos da Hap Inc. são bem divertidos e saiem completamente da caixa, deixando-nos surpresos a cada momento.


Home Runtaro na App Store

Tamanho: 57.9 MB

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

SWITCH or NOT? - brain games

A fazer lembrar os esquemas eléctricos de Bomb Squad Academy, mas numa versão bem mais simplificada, SWITCH or NOT? - brain games de Aleksey Kolesov, é um quebra cabeças bem simpático que nos põe a brincar com circuitos e electricidade, e que podemos encontrar grátis na App Store.


Temos um fio eléctrico, ou algo que é suposto ser um fio eléctrico, um interruptor que permite a passagem ou a interrupção da electricidade, e no final uma bateria que tem de ser carregada. É este o primeiro puzzle, basta accionar o interruptor, a electricidade passa, e a bateria é carregada. Mais simples é impossível.

Mas o jogo não podia viver só da simplicidade, portanto começamos a ter puzzles mais complexos com a introdução de certos elementos no circuito que obedecem a certas condições para deixar passar ou não a electricidade. Alguns deixam passar toda a electricidade que entra, outros apenas deixam passar electricidade se todas as entradas estiverem com carga, e outros funcionam tipo condensador e só se activam quando não recebem qualquer energia, etc, etc.


É este o desafio, interruptores que temos de accionar para controlar a electricidade no circuito, e apenas podemos accionar os interruptores um número limitado de vezes. Perceber como é o comportamento dos vários objectos que são introduzidos no circuito, e carregar a bateria para passar ao próximo nível.

Para além deste modo de jogo contamos ainda com uma espécie de jogo de acção que faz lembrar um Tower Defense, onde temos o circuito eléctrico ligado a uma série de torres com canhões, os quais terão de eliminar uma vaga de inimigos que fazem lembrar os aliens do Star Invaders.

Aqui temos mais acção e o tempo a jogar contra nós, que temos de ir direccionando a electricidade para diferentes torres, obrigando-nos a accionar os interruptores atempadamente de maneira a não deixar passar nenhum inimigo. Podem ver aqui em baixo os primeiros níveis a ser resolvidos, para ir aguçando o apetite enquanto descarregam este belíssimo jogo gratuito.

SWITCH or NOT? - brain games na App Store

Tamanho: 26.6 MB



sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Chegou o iPhone 11

Começa hoje a pré venda dos iPhone 11, e dos iPhone 11 Pro / iPhone 11 Pro Max. Com novos processadores mais rápidos e um novo sistema de câmaras, é mais do que óbvio que estes iPhones são capazes de fazer melhor pelas fotografias que os iPhones mais antigos. Por exemplo, para dar resposta ao Google Night Sight temos agora o Night Mode ou modo Noite, que nos permite finalmente tirar fotos bem iluminadas em locais com pouca luz.


Os iPhones antigos ficam de fora deste novo processamento com inteligência artificial que só estará disponível nos novos iPhones 11, mas não desesperem que existe uma app espectacular que nos traz resultados muito semelhantes, e chama-se NeuralCam - Night Camera, que nos chega pelas mãos dos criadores da fantástica câmara fotográfica Halide, e acreditem quando vos digo que têm mesmo de ver aquilo de que é capaz, iluminando uma foto quase como que por magia, e sem precisar usar um tripé.


Depois temos algo que já existe há algum tempo que também não está disponível em todos os iPhones mais antigos, que são as fotos de retrato, que têm acesso à informação de profundidade para criar fundos desfocados e criar retratos espectaculares das pessoas. E mais, os iPhones mais recentes vão ainda ter a possibilidade de tirar retratos com um fundo todo branco, que também é criado com a ajuda da inteligência artificial.

Mais uma vez, não desesperem que há uma app gratuita que nos ajuda a fazer isto tudo, mesmo nos iPhones mais antigos que não têm acesso à informação de profundidade. Chama-se Focos, e é capaz de criar informação de profundidade numa imagem usando a sua própria inteligência artificial, e isto funciona mesmo muito bem. Criar fotos com o fundo desfocado, ou com diferentes tipos de fundo ou mesmo com diferentes fontes de luz a cair sobre o rosto das pessoas, é algo que é possível com esta magnífica app gratuita.

Acho que voltamos à velha máxima da Apple: "There's an app for that". E ainda bem, que temos todos a ganhar com isso, e também as belíssimas fotos que tiramos com os nossos iPhones.


Para o Modo Noite: NeuralCam Night Camera na App Store

Para o Modo Retrato: Focos na App Store


quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

CORBS

Instalar um sistema operativo num telemóvel com a ajuda de uma caveira não será própriamente um sinal de confiança. Mas é esta a premissa do original CORBS da Nyacu Games, um jogo interessante que nos leva a resolver puzzles bem desafiantes e que podemos encontrar hoje grátis na App Store.


Sejam bem vindos ao novo sistema operativo CORBS, que promete fazer maravilhas pelo vosso telemóvel. Eu confesso que tenho as minhas dúvidas, especialmente por causa do assistente que nos vai ajudar a fazer a instalação, uma inteligência artificial chamada corv0, que pelos seus comentários deixará qualquer um de pé atrás.

A mecânica do jogo é bem porreira, e a ideia é simples. No processo de instalar o sistema operativo, com a ajuda da corv0, teremos de mover blocos de dados e colocá-los exactamente na mesma posição que aparece na grelha. A nossa caveira e blocos têm de ser transportados um movimento de cada vez em direcção à representação na grelha que mostra a caveira e os blocos.

Nós controlamos uma pequena caveira que fazemos mover arrastando o dedo no ecrã, e temos de passar pelos blocos de dados que se colam à caveira quando encostamos neles, e depois agarrar os outros blocos que faltam de maneira a que fiquem todos com a mesma forma que está apresentada no ecrã, e a qual temos de sobrepôr.


A explicação parece mais complicada do que aquilo que é na verdade. A dificuldade vem do facto de temos de escolher bem a ordem com a qual nos ligamos aos blocos de dados, e ter atenção às setas nos blocos de dados, pois indicam quais são os lados que possibilitam fazer ligação. O próprio cenário também nos obriga a alguma atenção pois podemos ficar bloqueados depois de linkarmos todos os blocos de dados, e não termos espaço para nos movermos até "à saída".

Temos aqui 4 mundos diferentes (ou fases) enquanto vamos fazendo a instalação do sistema operativo, e no final de cada fase podemos sempre contar com um nível protegido por um chefe, que vai tentar ao máximo evitar que consigamos levar a nossa misão até ao final com sucesso. Dá a entender até que eles poderão muito bem ser a última linha de defesa de um antigo sistema operativo que não quer ser eliminado. Mas é algo que terão de descobrir por vocês próprios.

Em cada mundo vão sendo introduzidas novas mecânicas de jogo, com a possibilidade de poder largar os blocos de dados e reconfigurar a sua forma, e até uns pequenos glitchs que ao passarmos sobre eles pode levar à nossa destruição, ou dos blocos de dados que transportamos.

O jogo tem carácter e um bom humor, e os puzzles acabam por ser uns quebra cabeças bem desafiantes, por isso estejam preparados que isto não é nenhuma pêra doce. Original e divertido, CORBS é um daqueles jogos que é difícil de encontrar na App Store, mas ficamos felizes por o descobrir assim do nada.


CORBS na App Store

Tamanho: 173 MB

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Hoppia Tale

Nem todos os jogos freemium com publicidade são uma dor de cabeça, e há mesmo agradáveis surpresas como é o caso deste Hoppia Tale da Ludic Side Tecnologia da Informacao LTDA, um jogo de aventuras estilo Zelda que nos traz imensos conteúdos e até puzzles para resolver, e que podemos encontrar grátis na App Store.


Quando as forças do mal usam o poder dos portais para invadir o mundo de Hoppia, teremos que ser nós a controlar o nosso pequeno herói e viajar através desses mesmos portais para destruir os maus da fita que estão espalhados por todo o lado.

Este jogo controla-se apenas com um dedo, e funciona mesmo muito bem, que não nos apetece largar o jogo só por causa desta jogabilidade tão fluída. Deslizando com o dedo para qualquer lado no ecrã faz com que o nosso herói se desloque uma casa nessa direcção. Mas se mantivermos o dedo no ecrã, ele continuará a saltar na direcção que quisermos (como se tivessemos um joystick virtual debaixo do dedo).

Como o jogo vive muito de precisão para combater alguns inimigos e evitar ser atingido pelos projécteis de outras criaturas nefastas, o movimento casa a casa faz todo o sentido, e quando queremos acelerar o movimento com o dedo pousado no ecrã também é muito bem vindo, e isto é tudo muito intuitivo não havendo qualquer curva de aprendizagem para ultrapassar.

São vários os mundos que temos de atravessar, começando com a floresta onde temos de combater animais que se escondem nas plantas, pequenas bolhas saltitantes, plantas que disparam projécteis, etc, etc, obrigando-nos a ter um timing acertado, mas no geral é um jogo onde apenas temos de memorizar o padrão de movimento e ataque dos variados inimigos que vamos encontrando pela frente.

No mundo seguinte já nos deparamos com os brinquedos, que também ganharam vida e se viram contra os habitantes de Hoppia, onde passamos a ter um cenário carregado de legos e onde os carrinhos de brincar investem a toda a velocidade na nossa direcção, e onde temos no final de cada mundo um chefe bem chato para derrotar.


Em cada um dos mundos que completarmos podemos depois passar para um modo de fases mais difíceis que nos deixa repetir uma versão bem mais complicada de todos os níveis que ultrapassamos, o que no fundo parecem ser níveis completamente novos, e nada repetitivo.

Sempre que perdemos as vidas podemos visualizar uma única publicidade para continuar a partir do ponto onde morremos, ou então vamos ter de usar as tentativas que se gastam, e as quais temos de esperar que se regenerem com o tempo, ou então usar diamantes para renovar as tentativas. Seja como for o jogo tem imensas coisas para fazermos e por isso quando tivermos de esperar por novas tentativas basta avançar para os vários mini-jogos que temos espalhados pela cidade.

Podemos comprar acessários, roupas e ajudas para o nosso herói, podemos entrar no calabouço e experimentar ganhar os tesouros nesses níveis especiais diários que aí se encontram, podemos jogar as aventuras contra o relógio onde temos uns níveis para ver quem dos nossos amigos consegue bater o nosso tempo, ou mesmo avançar para a oficina onde podemos construir os nossos próprios níveis e jogar níveis feitos por outras pessoas, e que posso já adiantar que alguns deles são mesmo desafiantes e divertidos.

O jogo é altamente viciante, está muito bem construído e tem conteúdos para nos manter agarrados ao jogo durante horas. Para não perder vidas constantemente há que jogar com calma e estar bem atento à localização dos inimigos, e quais os seus padrões de ataque e movimento. Esperar podia ser uma chatice, mas há tanta coisa para fazer neste jogo que isso não é de maneira nenhuma um problema.


Hoppia Tale na App Store

Tamanho: 328.4 MB

terça-feira, 10 de setembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Path of Giants

Um dos jogos que estreou agora no mês de Agosto e que pode ter escapado aos olhares de muita gente que estava de férias na praia foi este Path of Giants da Journey Bound Games Inc., um belíssimo quebra cabeças onde temos de levar 3 aventureiros a explorar umas cavernas e montanhas belíssimas à procura de um tesouro, e que nos faz lembrar à primeira vista o lindíssimo Monument Valley.


Gosto bastante destes puzzles com um visual 3D incrível, que podemos jogar usando apenas um dedo, bastando tocar em qualquer lugar do ecrã para mover os nossos pequenos aventureiros no cenário. Pelo aspecto inicial também me fez lembrar outro clássico dos jogos deste género, a Lara Croft Go, mas depressa percebemos que a mecânica dos puzzles é bem diferente, e também muito bem vinda.

O jogo arranca com os 3 aventureiros coloridos a entrarem numa caverna e a comentarem uns com os outros que esperam não dar o seu tempo por perdido nesta busca por um grande tesouro. E lá vão eles, um de cada vez até às pequenas plataformas no chão que exibem a mesma cor que as suas roupas.

É possível seleccionar qual o aventureiro que queremos mover, e a ideia é levá-los a todos até às plataformas com um círculo colorido da mesma cor. A partir daí serão transportados até ao próximo local, onde terão um novo puzzle para resolver e chegar novamente às próximas plataformas, e por aí fora.


No início o caminho é linear, e basta tocar nas plataformas para ver os aventureiros a moverem-se para lá sem grandes chatices. Mas logo de seguida começamos a ter plataformas com diferentes alturas, e é aqui que percebemos qual a mecânica do jogo que nos acompanhará até ao final. Para subir para uma plataforma mais alta, teremos que levar um aventureiro para cima dos ombros de outro, e o mesmo para descer para uma plataforma em baixo, há que ter um aventureiro em baixo para conseguir fazer de "escada".

Depois temos a clássica mecânica que utiliza as diferentes cores dos aventureiros, pois há plataformas que só aparecem para uma determinada cor, há interruptores que manipulam o cenário que também só podem ser activados por um determinado aventureiro de uma certa cor, etc, etc.

A ideia é sempre a mesma, conseguir levar os aventureiros até aos interruptores que transformam o cenários abrindo novos caminhos e possibilidades, e no final conseguir levá-los a todos até às suas plataformas coloridas que os transportam até ao próximo nível.


Cada cenário, dos 13 disponíveis, conta com 3 puzzles distintos, os quais nos levam no final para uma espécie de mini-jogo estilo Pipe Mania, onde terá de ser resolvido pelos 3 aventureiros e abrirá a porta para um novo cenário com mais 3 puzzles para resolver.

Há algo que convém estarem atentos, que é o facto de alguns vasos conterem uns amuletos, os quais devemos coleccionar (um para cada puzzle), porque serão necessários para desbloquear o último cenário, que contém um final extra para o jogo. Se estiverem distraídos como eu, terão que voltar atrás e repetir alguns puzzles (o que me deu um renovado prazer, tenho de confessar) para encontrar esses amuletos perdidos.

No geral temos aqui um jogo lindíssimo, com um visual incrível e uma banda sonora agradável que vem acompanhada de uns efeitos sonoros bem porreiros e que por vezes nem damos por eles, como o barulho das cordas que seguram as plataformas a abanarem ao sabor do vento, etc. Se gostam de resolver puzzles num cenário lindíssimo, sem o stress de temporizadores a contar o tempo nem outro limite chato, Path of Giants é um jogo espectacular que não devem deixar passar ao lado.


Path of Giants na App Store

Tamanho: 148.7 MB


Path of Giants - Rating: 4,5

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Unbroken Soul

Um jogo de plataformas retro carregado de acção e com um nível de dificuldade acima da média, Unbroken Soul de Oscar Ruiz, está hoje pela primeira vez grátis na App Store, e com certeza que fará as delícias dos fãs destes jogos de hack n' slash.


Um Necromancer chamado Elianof está pronto para destruir a humanidade com os seus monstros e poderes, mas terá de enfrentar o seu derradeiro adversário, Tyrion (não é aquele anão de Game of Thrones), o rei de Alaron, que depois de o ter enfrentado e perdido, voltou ao mundo dos vivos para mais uma tentativa desesperada de salvar o mundo.

O jogo tem muito bom aspecto, com os seus gráficos retro pixelizados, continua a ter um excelente detalhe em tudo o que vemos apesar de tudo. Os níveis são bem desafiantes, e apesar de ser um jogo de plataformas os controlos no ecrã funcionam bastante bem para nos levar onde queremos. Claro que há suporte a joysticks MFi, por isso recomendo que o usem se tiverem, pois melhora muito a jogabilidade.


Tudo neste jogo é bem simples, temos uma área principal, o nosso castelo onde podemos visitar uma série de personagens que nos ajudam a melhorar o nosso armamento e armadura, comprar poções e outros poderes especiais, e até um indivíduo que parece a morte a quem podemos vender almas a troco de dinheiro.

Depois ao avançarmos para a direita no castelo podemos encontrar 9 portas que nos levam directamente para 9 partes diferentes do reino dos mortos, os quais teremos também 9 bosses para eliminar, até chegar finalmente ao terrível Necromancer, que será o mais difícil de derrotar com toda a certeza.

Este é um daqueles jogos em que teremos que repetir uma zona ou outra mais que uma vez para conseguir apanhar mais jóias e almas, para assim voltar ao castelo e melhorar a nossa armadura e armas, e só assim conseguiremos ultrapassar os níveis mais avançados. Lembrem-se que este jogo é bem desafiante, mesmo na dificuldade mais fácil (sim, é posível subir a dificuldade uns 3 níveis para cima, brrr). Boa sorte!


Unbroken Soul na App Store

Tamanho: 39.2 MB



sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Neon brick breaker

Há pessoas como eu que nunca se fartam de jogar um belo jogo do género brick breaker como o clássico Arkanoid. Especialmente quando encontramos um 2 em 1 como este Neon brick breaker da Gosiha Pte. Ltd, um jogo gratuito que para além de estar disponível para iPhone e iPad, corre também num Apple Watch e é um espectáculo.


O jogo é bem simples, mas conta com uns efeitos especiais interessantes e uma banda sonora 16 bit a fazer lembrar os melhores jogos de aventura dos anos 90. Simples não quer dizer que é só a raquete, uma bola e alguns tijolos, nada disso. Temos aqui os clássicos poderes especiais, como bolas extra, metralhadora para encher os tijolos de balas, e até potentes raios eléctricos que vão disparando aleatóriamente e rebentam com tijolos lá para o meio da parede impenetrável.


Mas para quem tem um Apple Watch (especialmente um série 4), vai ficar agradavelmente surpreendido com a sua qualidade a correr no relógio. Já tínhamos visto no Mini Watch Games 24-in-1 que era possível ter todo o tipo de jogos num Apple Watch (inclusive um do género brick breaker), mas com este Neon Brick Breaker percebemos que estes podem ter uma qualidade bem espectacular e carregada de efeitos visuais e sonoros.

O jogo é grátis e se forem viciados neste tipo de jogo como eu vão adorar jogá-lo num iPhone ou iPad. E se por acaso se apanharem com apenas um Apple Watch no pulso e tiverem instalado este Neon Brick Breaker, é só dar uso à coroa do relógio para controlar a raquete, e acreditem que não vão dar o vosso tempo por perdido. :D


Neon brick breaker na App Store

Tamanho: 224.8 MB



quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Bloop Islands

Um novo jogo gratuito que acabou de aterrar na App Store foi este Bloop Islands da Bloop Games, um quebra cabeças passado num labirinto onde controlamos uma pequena criatura em forma de bola na sua procura por frutas, atravessando 6 mundos completamente diferentes.


A mecânica do jogo é familiar e já foi bem explorada em jogos como Bring Me Cakes com o capuchinho vermelho,  Friday the 13th: Killer Puzzle ou Slayaway Camp, onde cada movimento que fazemos com a pequena bola, leva-a a atravessar o caminho todo nessa mesma direcção até bater num obstáculo, ou numa parede, ou numa armadilha (que não é nada saudável).

Não há limite de movimentos, apenas temos de pensar antecipadamente qual o melhor caminho para chegar à saída sem perder a nossa vida numa armadilha. Há que ter um bom timing para não ser esmagado por uma bola de picos ou uma bala de um canhão, tudo armadilhas e perigos que aparecem eventualmente espalhados pelas várias ilhas que vamos visitar.



O verdadeiro desafio é conseguir chegar ao final (uma pequena bandeira que assinala a meta e fim do nível) apanhando todas as frutas que estão disponíveis nessa ilha, o que nos leva a ter que repetir por vezes um nível, pois ficamos sem maneira de voltar atrás por causa das várias armadilhas que estão espalhadas por todo o lado.

A mecânica do jogo (e os puzzles) vai-se complicando com a introdução de novos elementos como caixas pegajosas que nos prendem os movimentos, ou mesmo caixas que temos de arrastar para desbloquear o nosso caminho (tipo o clássico sokoban), ou bloquear o caminho de inimigos, ou até para ajudar a posicionar o nosso herói num caminho que parecia até aí impossível.

O jogo tem muita pinta, com uns gráficos 3D bem porreiros, uma jogabilidade e controlos espectaculares, e com direito a efeitos sonoros onde se ouvem as ondas do mar e até uma banda sonora a condizer. Como jogo grátis estamos muito bem servidos, apenas tendo de visualizar pequenos anúncios que podemos mandar embora ao fim de 5 segundos. Isto se não quiserem eliminar a publicidade através de uma compra in-app, que não me parece de todo necessário.


Bloop Islands na App Store

Tamanho: 95.1 MB

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

inbento

Inspirado nos famosos pratos Japoneses da Bento Cuisine, o jogo inbento de Lukasz Spierewka, é um belíssimo quebra cabeças que nos põe a brincar com a culinária numa família de gatos, onde temos de preparar a comida de um pequeno gato seguindo o livro de receitas à risca.


O criador Lukasz Spierewka já passou por aqui antes com o seu fantástico Golf Peaks, um jogo de golf que nos punha a resolver puzzles de uma forma bem diferente do habitual. E em inbento voltamos a experimentar uma fórmula bem fora da caixa (ou dentro da caixa neste caso, eheh), onde temos em cima um livro de receitas com a página aberta numa receita com o aspecto do prato Bento que temos de arranjar na caixa em baixo.

A ideia é a seguinte, temos uma série de ingredientes na caixa no meio do ecrã (arroz, algas, salmão, limão, etc), e temos de arranjá-los de forma a ficarem com a mesma disposição dos ingredientes que nos são apresentados na receita em cima. Para isso teremos de usar os ingredientes que aparecem no tabuleiro em baixo.

Os ingredientes no tabuleiro em baixo podem ser rodados para ficarem na posição que nos dá mais jeito, e à medida que vamos avançando para a frente no livro de receitas, começamos a ter no tabuleiro para além dos ingredientes algumas peças com instruções específicas.


Algumas permitem-nos trocar duas peças de comida de posição, outras arrastar peças de comida para os lados ou para cima ou para baixo, e outras até nos permitem retirar peças de comida da caixa para o tabuleiro, para que possam ser trocadas de posição.

Os primeiros níveis onde vão sendo introduzidas as novas mecânicas parecem ser demasiado simples, mas depressa vemos que as coisas podem complicar-se e bem nos níveis seguintes. São mais de 100 puzzles para resolver, e com as instruções a ficarem cada vez mais complexas, também os puzzles parecem indecifráveis por vezes.

O jogo Golf Peaks acabou por ser actualizado com um novo pacote de níveis alguns meses mais tarde, e não tenho dúvidas que poderá acontecer o mesmo com este inbento. De qualquer maneira, com os mais de 100 puzzles que temos aqui disponíveis, há muitas horas para perder de volta deste belíssimo jogo, que mais uma vez nos deixa a pensar nas próximas aventuras que nos trará a mente brilhante de Lukasz Spierewka.


inbento na App Store

Tamanho: 288.7 MB


inbento - Rating: 4,5

terça-feira, 3 de setembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

NeuralCam Night Camera

Depois das fotos nocturnas excelentes do Google Night Sight já era tempo de alguém fazer o mesmo num iPhone, e é mesmo isso que conseguimos obter com esta NeuralCam Night Camera da Halcyon Products, os criadores da fantástica câmara fotográfica Halide Camera e da app de exposições prolongadas Spectre Camera.


Está previsto agora para Setembro com a apresentação dos novos iPhones, um novo modo de fotografia que capture bem melhor as fotografias nocturnas e em locais escuros. E também é mais que certo que apenas estará disponível nos novos iPhones que vão ser lançados, mas é algo que só saberemos daqui a uma semana.

No entanto, os fantásticos criadores da Halide Camera, chegaram-se à frente e lançaram a semana passada esta NeuralCam Night Camera, que promete e faz exactamente aquilo que faz o Google Night Sight em alguns telemóveis Android. Com a mistura de várias imagens tiradas em simultâneo, e os algoritmos e cálculos de uma inteligência artificial, passamos de uma imagem escura para uma imagem bem iluminada, que é algo que não conseguimos com a câmara nativa do iPhone, e até hoje com nenhuma app.

Os resultados são mesmo fantásticos, como se pode ver pela imagem aqui em baixo, e conseguimos de facto obter imagens muito mais bem iluminadas que aquelas que se consegue normalmente com a câmara do iPhone.


E o mais espectacular de tudo, é que a Halcyon Products conseguiu trazer esta app para quase todos os iPhones que estão no mercado, indo para trás até ao iPhone 6, incluíndo a câmara frontal, o que nos permite tirar selfies mesmo no escuro (o ecrã do iPhone ilumina-se para ajudar neste aspecto). O único sacrifício é a perda de alguma resolução como se pode ver pela seguinte lista de compatibilidades:

1280 x 960 - iPhone 6
1280 x 960 - iPhone 6 Plus
1920 x 1440 - iPhone 6s (não funciona na câmara frontal)
1920 x 1440 - iPhone 6s Plus (não funciona na câmara frontal)
1920 x 1440 - iPhone SE
1920 x 1440 - iPhone 7
2576 x 1932 - iPhone 7 Plus
1920 x 1440 - iPhone 8
2576 x 1932 - iPhone 8 Plus
2576 x 1932 - iPhone X
3088 x 2320 - iPhone XR
4032 x 3024 - iPhone XS
4032 x 3024 - iPhone XS Max

A app é extremamente simples, e apenas temos de carregar no botão do disparador, aguardar um bocadinho enquanto a app captura as imagens necessárias (depende da luminosidade e do iPhone utilizado), e depois apenas aguardar que seja feito o processamento para chegar à imagem final (tudo feito localmente no iPhone).

Como extra, temos a possibilidade de focar manualmente com um pequeno slider, pois já sabemos que no escuro por vezes a câmara vê-se numa situação complicada para conseguir focar com o foco automático. Aproveitem enquanto a app está em promoção, que não tarda irá subir de preço, e acreditem que com estes resultados fantásticos à noite, é uma app obrigatória de ter no iPhone.


NeuralCam Night Camera na App Store

Tamanho: 133.5 MB

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Textual description of firstImageUrl

Alt-Frequencies

Para quem está à vontade com a língua inglesa, há um jogo completamente fora da caixa para vocês experimentarem que vos põe a ouvir uma série de estações de rádio enquanto tentam descobrir uma enorme conspiração do governo. O jogo chama-se Alt-Frequencies e chega-nos pelas mãos da Plug In Digital, e é um daqueles quebra cabeças originais que leva umas boas horas para resolver.


Algo de estranho se passa à nossa volta, e não temos bem a certeza do quê, mas ao ouvir as várias estações de rádio que temos em casa, começamos a perceber que há uma enorme conspiração do governo em volta de um suposto time loop que nos põe a todos a viver os mesmos 3 minutos, uma e outra vez sem parar.

Ao receber algumas mensagens pirata no nosso rádio é-nos pedida ajuda para espalhar a palavra, e passará então a ser a nossa missão ouvir todas as rádios, à procura de mensagens e informações importantes que poderão ser a solução para resolver o mistério.

O interface é bem simples, temos um rádio à nossa frente que se encontra a tocar a rádio na frequência escolhida, e deslizando com o dedo para a direita ou para a esquerda, mudamos de frequência e também de estação de rádio. Ao fim de 3 minutos dá-se um loop do tempo, e ouvimos tudo outra vez, a não ser que nós consigamos interferir com as mensagens que passam na rádio.


O que podemos fazer é gravar o áudio de pequenos trechos da emissão de uma rádio, e transmiti-lo para outra estação de rádio. Deslizando com o dedo para baixo gravamos o áudio que estamos a ouvir, e depois deslizando com o dedo para cima enviamos esse trecho de áudio para outra rádio à nossa escolha.

Isto faz com que os DJ's reajam às mensagens enviadas, se forem relevantes e do seu interesse, e vão mudando a narrativa da sua programação de rádio, obrigando também outras rádios a reagirem e mudarem também a sua conversa na programação.

Temos de estar atentos a certas coisas que nos dizem, que são as pistas que precisamos para descobrir quais trechos de áudio temos de gravar, e onde entregá-los para avançar com a história. Andamos assim de capítulo em capítulo até chegar finalmente ao fim do jogo, de preferência com o mistério do time loop resolvido.

O jogo é bem original, e se estão à vontade com a língua inglesa, e apreciam narrativas interessantes, então este Alt-Frequencies vai mexer com vocês, especialmente porque toca em assuntos que podem ser relevantes para o que se passa no mundo actualmente. Façam parte da resistência e tentem resolver esta grande conspiração.


Alt-Frequencies na App Store

Tamanho: 529.2 MB

sexta-feira, 30 de agosto de 2019

Textual description of firstImageUrl

Riptide GP: Renegade

Vamos lá despertar para as corridas de motas de água que hoje temos grande promoção na App Store para todos os fãs de velocidade que não se importem de molhar os pés. É o terceiro jogo da série, e com toda a certeza o melhor deles todos, Riptide GP: Renegade da Vector Unit está hoje grátis na App Store e é uma oportunidade imperdível.


Já tivemos direito a Riptide GP e a Riptide GP 2, que também já estiveram gratuitos antes, só que ambos traziam aquela coisa chata das micro transações que ninguém apreciava muito, e apenas tinham pistas de corridas tradicionais que acabavam por ser um pouco mais do mesmo.

Mas desta vez a Vector Unit deu uma grande reviravolta, levando o este Renegade para as consolas, com grande qualidade diga-se já, e depois trouxe-o de volta para o iPhone, iPad e Apple TV, e acreditem que foi grande jogada, que temos um jogo premium incrível nas nossas mãos.


No que toca a jogos de corridas aquáticas, ninguém bate estes gajos, desde os gráficos à física da água e demais efeitos especiais, neste Riptide GP: Renegade atingiram o topo, tudo mesmo incrível. As pistas já não são as tradicionais pistas, pois agora parece mais que estamos num mundo pós apocalíptico, e depois de algumas inundações em cidades aqui e ali, andamos a fazer corridas em rios, riachos no meio da cidade, museus, fontes, lagos, etc, etc.

Quem já jogou um Riptide GP sabe com o que contar. Os controlos são fantásticos, bastando inclinar o iPhone para os lados para controlar a direcção do nosso jetski, e com os polegares podemos activar os truques aéreos que são essenciais para conseguir alimentar o turbo, que nos dá aquela velocidade extra que nos leva à loucura.

Para além da mudança de todo o aspecto visual das pistas, que é incrível, temos muitos elementos novos a atravessarem-se à nossa frente nas corridas, como a polícia que teima em nos perseguir, barcos que surgem do nada e servem de rampas, etc, etc.


Podemos adquirir novos jetskis, melhorar os pilotos ou optar por um piloto com características diferentes, e há muitos modos de jogo novos neste Renegade. Temos um modo de carreira que bem falta fazia nos jogos anteriores, temos um modo de desafios onde podemos jogar contra os pilotos fantasma dos nossos amigos, temos um modo multijogador síncrono online até 8 jogadores, e podemos até jogar com mais jogadores localmente no mesmo dispositivo em splitscreen (que funciona melhor numa Apple TV e com mais de um controlador MFi).

Com a chegada do iOS 13 agora em Setembro vai ser possível ligar os comandos da XBOX e da Playstation 4, por isso este jogo vai-se tornar ainda mais apetecível para 2 jogadores em splitscreen (especialmente para quem tiver uma Apple TV). Seja como for, corridas espectaculares com jogabilidade magnífica, super rápidas, com pistas loucas altamente detalhadas, uma física de água incrível e uns gráficos muito bem conseguidos. Temos aqui um jogo que recomendo vivamente a todos os fãs de racers.


Riptide GP: Renegade na App Store

Tamanho: 106.1 MB

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Textual description of firstImageUrl

BREAK N TAKE

Quando eu pensava que não era possível pegar na fórmula brick breaker do clássico Arkanoid, e virá-la de cabeça para baixo para fazer um jogo completamente novo e interessante, eis que descubro este BREAK N TAKE de Alexander Johansson, um jogo gratuito de extra terrestres a tentar conquistar o planeta Terra, que se estreou hoje na App Store.


Que reviravolta nos traz este jogo, partindo de uma mecânica conhecida de jogos como Arkanoid, onde temos de partir tijolos com uma bola, em BREAK N TAKE viramos tudo de cabeça para baixo, e temos "os tijolos" em baixo e a raquete na parte superior do ecrã.

Mas a apresentação e jogabilidade mudam por completo esta antiga fórmula dos jogos. Os tijolos em baixo são os prédios dos humanos na Terra, e a raquete em cima é a nave do pequeno extra terrestre verde que temos de controlar de um lado para o outro para apontar a bola para os prédios, e claro, não deixá-la fugir para os céus, senão perdemos o jogo.

Mas a mecânica do jogo é ainda mais complexa do que uma simples bola a destruir tijolos (prédios), pois por cada prédio destruído ficamos com um humano à solta a correr de um lado para o outro. Este humano pode ser raptado pela nossa nave, bastando para isso levantar o dedo do ecrã, que faz com que se active um raio em direcção à terra que puxa o humano para a nave.


Temos de ter atenção à bola para que não nos escape, temos de conseguir raptar o maior número de humanos que conseguirmos (tirando o dedo do ecrã e perdendo o controlo da nave por momentos), e temos de apanhá-los no ar, porque se os deixarmos cair eles morrem esborrachados no solo.

É uma premissa incrível, super desafiante, o que acaba por se transformar num jogo Arcade espectacular e bem divertido. Com os humanos que coleccionamos podemos trocar por certos poderes, como um escudo para agarrar a bola uma vez, e outras coisas que nos ajudam a raptar os humanos de forma mais eficaz.

Podem ver aqui em cima um vídeo de apresentação do jogo que nos dá uma ideia da tarefa complicada que temos pela frente. Sejam ou não fãs do género brick breaker, não faz qualquer diferença, pois este é um jogo completamente diferente, mas que vos vai deixar agarrados por umas boas horas, e dias, e semanas. Boa sorte, humanos!


BREAK N TAKE na App Store

Tamanho: 73.8 MB

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Textual description of firstImageUrl

Crazy Shapes

Uma boa entrada para o mundo dos jogos de plataformas / quebra-cabeças esta semana foi este Crazy Shapes da Rogue Games Incorporated, um jogo gratuito onde o nosso herói se transforma em várias figuras geométricas para conseguir salvar o seu mundo.


Este jogo é daqueles do tipo runner, onde temos o nosso herói Cuebit sempre a correr desde o início até ao final de cada nível. Cabe-nos a nós executar uma série de acções e movimentos de maneira a evitar as armadilhas e inimigos, e também para conseguir coleccionar as coisas boas que se encontram espalhadas pelo nível (como um pequeno sol) e ainda salvar os seus amigos.

O jogo está muito bem pensado e afasta-se da fórmula do costume deste tipo de jogos, onde podemos saltar, abaixar, correr mais rápido, etc. Aqui o nosso amigo vai ganhando o poder de se transformar em várias formas geométricas, que antigamente zelavam pela segurança e bem estar do mundo. Cada forma geométrica tem o seu poder, o que nos ajudará a ultrapassar os perigos que vão aparecer à nossa frente.


Por exemplo, o quadrado azul pode saltar, bastando desenhar uma linha para cima no ecrã com o dedo, o que nos permite saltar sobre picos e outros perigos. Se desenharmos uma linha da esquerda para a direita transformamo-nos num rectângulo cor de laranja que ganha velocidade e nos permite destruir muros e derrotar inimigos de pedra.

Se desenharmos uma linha de cima para baixo no ecrã, transformamo-nos num losango vermelho, que dispara lasers potentes que para além de destruírem certos inimigos, também dão cabo das armadilhas lasers que nos bloqueiam o caminho.


E depois temos o círculo azul claro, que pode ser activado desenhando uma linha da direita para a esquerda, e que tem o poder de abrandar e desmaterializar a sua estrutura, permitindo-nos atravessar portais e estruturas adaptadas exclusivamente para este pequeno herói.

Pelo caminho há que salvar os nossos amigos, recolher energia solar, e encontrar ovos que podemos depois chocar para recuperar os animais mágicos que foram destruídos. Estes animais mágicos quando são colocados em pares dão-nos poderes extras no jogo, portanto há um incentivo grande de voltar a repetir níveis para encontrar ovos, e também porque os níveis têm vários caminhos diferentes que não podemos visitar a todos numa só corrida.

Vejam aqui em baixo a trailer do jogo para vos abrir o apetite, e acreditem em mim, temos aqui um bonito jogo, altamente desafiante, que vai obrigar-vos a puxar pela cabeça e também pelos vossos reflexos, que as coisas começam a acelerar lá mais para a frente. Há publicidade para visualizar aqui e ali, mas nada que seja muito chato a meu ver.


Crazy Shapes na App Store

Tamanho: 565.8 MB